Reabilitação da funcionalidade e da marcha em hemiparéticos

  • Vitória Regina de Morais Cardoso Rodrigues Fisioterapeuta, Doutoranda do Programa de Promoção de Saúde/UNIFRAN, Franca-SP, Brasil.
  • Paulo Roberto Veiga Quemelo Fisioterapeuta, Doutor, Professor do Programa de Promoção de Saúde/UNIFRAN, Franca-SP, Brasil.
  • Lilian Cristina Gomes do Nascimento Fisioterapeuta, Doutoranda do Programa de Promoção de Saúde/UNIFRAN, Franca-SP, Brasil.
  • Mônica Cecília Santana Pereira Farmacêutica, Doutoranda do Programa de Promoção de Saúde/UNIFRAN, Franca-SP, Brasil.
  • Mônica Cecília Santana Pereira Farmacêutica, Doutoranda do Programa de Promoção de Saúde/UNIFRAN, Franca-SP, Brasil.
  • Marina Candida Lopes Educadora física, Mestranda do Programa de Promoção de Saúde/UNIFRAN, Franca-SP, Brasil.
  • Célio Marcos dos Reis Ferreira Fisioterapeuta, Doutor, Professor Adjunto do Curso de Fisioterapia da Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri, Diamantina-MG, Brasil.
Palavras-chave: Acidente Vascular Cerebral, Hemiparesia, Marcha, Movimento

Resumo

Objetivo. Comparar os efeitos do método Kabat com a estimulação elétrica funcional (FES), bem como a associação dos métodos na ca­pacidade funcional de pacientes hemiparéticos. Método. Trata-se de uma série de casos com três pacientes hemiparéticos. Os participantes foram avaliados ao início e término do tratamento quanto à amplitude de movimento articular de tornozelo, constituintes da marcha e fun­cionalidade. Os pacientes foram divididos aleatoriamente em: (A) tra­tado com Kabat; (B) tratado com FES e Kabat; (C) tratado com FES. Todos os participantes realizaram o treino de marcha, totalizando 25 sessões de 50 minutos cada. Resultados. Observou-se uma melhora na ADM de dorsiflexão dos pacientes (A) e (B), melhora da funciona­lidade em (B) e (C), aumento do passo e passada nos pacientes (B) e (C), aumento do tamanho da base em todos os pacientes e uma me­lhora da cadência e velocidade em (A) e (C). Conclusões. O paciente (B) foi o participante que apresentou resultados positivos para todos os quesitos, o que indica que a associação do método Kabat e o FES, pode ser mais eficiente para os pacientes com sequelas de AVC.

Métricas

Carregando métricas...

Referências

WHO STEPS Stroke Manual: The WHO STEP wise approach to stroke surveillance (Endereço na Internet). Geneva: World Health Organization (atualizado em 2015; citado em 05/2006). Disponível em: http://www.who.int/chp/steps/Manual.pdf

Pontes-Neto OM, Silva GS, Feitosa MR, Figueiredo NL, Fiorot JA, Rocha TN, et al. Stroke Awareness in Brazil: Alarming Results in a Community- -Based Study. Stroke 2008;39:292-6. http://dx.doi.org/10.1161/STROKEAHA.107.493908

Marques PS, Nogueira SPBO. Efeitos da eletroestimulação funcional e Kabat na funcionalidade do membro superior de hemiparéticos. Rev Neurocienc 2011;19:694-701.

Barcala L, Colella F, Araujo MC, Salgado ASI, Oliveira CS. Analise do equilíbrio em pacientes hemiparéticos após o treino com o programa Wii Fit. Fisioter Mov 2011;24:337-43. http://dx.doi.org/10.1590/S010351502011000200015

Figueiredo ILGP. Efeitos da estimulação podal no equilíbrio em Hemiparéticos por Acidente Vascular Cerebral. Rev Neurocienc 2014;22:12-6. http://dx.doi.org/10.4181/RNC.2014.22.890.5p

Scalzo PL, Souza ES, Moreira AGO, Vieira DAF. Qualidade de vida em pacientes com Acidente Vascular Cerebral: clínica de fisioterapia Puc Minas Betim. Rev Neurocienc 2010;18:139-44.

Sobrinha MLVC, Maia M.T, Coutinho CCC, Leite ACNMT, Farias SCS. Método Kabat no fortalecimento muscular da espasticidade. Fisioter Bras 2010;1l:151-8.

Martins FLM, Guimarães LHCT, Vitorino DFM, Souza LCF. Eficácia da eletroestimulação funcional na amplitude de movimento de dorsiflexão de hemiparéticos. Rev Nerocienc 2004;12:103-9.

Silva FPP, Gonçalves SP, Silva SB, Rios DFCR, Silva AT. Terapia de contensão induzida associada à eletroestimulação funcional na paresia de membro superior. Rev Neurocienc 2012;20:187-93.

Nolasco CS, Reis FA, Figueiredo AM, Laraia, EMS. Confiabilidade e aplicabilidade de dois métodos de avaliação da amplitude de movimento de dorsiflexão do tornozelo. Con Scientiae Saúde 2011;10:83-92.

Minosso JSM, Amendola F, Alvarenga MRM, Oliveira MAC. Validação, noBrasil, do Índice de Barthel em idosos atendidos em ambulatórios. Acta Paul Enferm 2010;23:218-23. http://dx.doi.org/10.1590/S010321002010000200011

Lourenço EG, Borges APO, Bezerra PP. Intervenção fisioterapêutica precoce na reabilitação da marcha em portadores de paralisia cerebral do tipo hemiparesia espástica. Investigação 2007;7:39-45.

Luvizutto GJ, Gameiro MO. Efeito da espasticidade sobre os padrões lineares de marcha em hemiparéticos. Fisioter Mov 2011;24:705-12.http://dx.doi.org/10.1590/S0103-51502011000400015

Hilde SR. Método Kabat: facilitação neuromuscular proprioceptiva. São Paulo: Premier, 1998, 182p.

Bisschop G, Bisschopp E, Commandré E. Eletroterapia. Silva DM (tradutor). São Paulo: Livraria Santos, 2001, 194p.

Corrêa FI, Soares F, Andrade DV, Gondo RM, Peres JA, Fernandes AO, et al. Atividade muscular durante a marcha após acidente vascular encefálicoArq Neuropsiquiatr 2005;63:847-51.http://dx.doi.org/10.1590/S0004-282X2005000500024

Knutson JS, Chae J. A novel neuromuscular electrical stimulation treatment for recovery of ankle dorsiflexion in chronic hemiplegia: a case series pilot study. Am J Phys Med Rehabil 2010;89:672-82. http://dx.doi.org/10.1097/ PHM.0b013e3181e29bd7

Oliveira R, Cacho EWA, Borges G. Post-stroke motor and functional evaluations: a clinical correlation using Fugl-Meyer assessment scale, Berg balance scale and Barthel Index. Arq Neuropsiquiatr 2006;64:731 5. http://dx.doi.org/10.1590/S0004-282X2006000500006

Gabell A, Nayak USL. The effect of age on variability in gait. J Gerontol 1984;39:662-6. http://dx.doi.org/10.1093/geronj/39.6.662

Kirkwood RN, Araújo PA, Dias CS. Biomecânica da marcha em idosos caidores e não caidores: uma revisão da literatura. Rev Bras Cienc Mov 2006;14:103-10.

Publicado
2015-06-30
Como Citar
Rodrigues, V. R. de M. C., Quemelo, P. R. V., Nascimento, L. C. G. do, Pereira, M. C. S., Pereira, M. C. S., Lopes, M. C., & Ferreira, C. M. dos R. (2015). Reabilitação da funcionalidade e da marcha em hemiparéticos. Revista Neurociências, 23(2), 227-232. https://doi.org/10.34024/rnc.2015.v23.8021
Seção
Artigos Originais