Hospitalizações pediátricas por neoplasia encefálica no Brasil: um estudo ecológico

Autores

DOI:

https://doi.org/10.34024/rnc.2022.v30.13993

Palavras-chave:

Neoplasias Encefálicas, Hospitalização, Lactente, Criança, Adolescente

Resumo

Introdução. As neoplasias do encéfalo caracterizam-se pela multiplicação progressiva, descontrolada e desordenada das células do sistema nervoso, sendo o segundo tipo de câncer mais comum na população pediátrica. Objetivo. Descrever o perfil epidemiológico dos pacientes pediátricos hospitalizados por neoplasia do encéfalo no Brasil entre jan/2012 a dez/2021. Métodos. Trata-se de um estudo ecológico com dados secundários do Departamento de Informática do SUS (DATASUS). Foram incluídos os dados registrados entre jan/2012 a dez/2021 dos indivíduos na faixa etária de um ano a 14 anos com neoplasia maligna do encéfalo. Resultados. No período estudado, foram registradas no Brasil aproximadamente 24.619 internações pediátricas entre um a 14 anos de idade com neoplasia encefálica, predominantes em meninos, na faixa etária de cinco a nove anos e na região Sudeste. Conclusão. Nota-se uma distribuição temporal crescente das internações por câncer no encéfalo, principalmente em caráter de urgência e com dias de permanência hospitalar elevados. Assim, fazem-se necessárias estratégias para uma melhor assistência a população estudada.

Métricas

Carregando Métricas ...

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Costa MS, Holderbaum CS, Wagner GP. Avaliação neuropsicológica em pacientes com tumores cerebrais: revisão sistemática da literatura. Rev Psicol IMED 2018;10:137-60.

https://doi.org/10.18256/2175-5027.2018.v10i2.2676

Siegel R, DeSantis C, Virgo K, Stein K, Mariotto A, Smith T, et al. Cancer treatment and survivorship statistics, 2012. Cancer J Clin 2012;62:220-41. https://doi.org/10.3322/caac.21149

Fisher JL, Schwartzbaum JA, Wrensch M, Wiemels JL. Epidemiology of brain tumors. Neurol Clin 2007;25:867-90. https://doi.org/10.1016/j.ncl.2007.07.002

Galdámez SAM. Causas en el retraso diagnóstico de los tumores cerebrales, en los pacientes de 0 a 18 años del servicio de oncología del hospital nacional de niños benjamín bloom entre enero de 2013 a diciembre de 2016 (Tese). San Salvador: Universidade de El Salvador; 2019. https://docs.bvsalud.org/biblioref/2021/04/1152126/521-11106131.pdf

Zhang J, Walsh MF, Wu G, Edmonson MN, Gruber TA, Easton J. et al. Germline Mutations in Predisposition Genes in Pediatric Cancer. N Engl J Med 2015;373:2336-46.

https://doi.org/10.1056/NEJMoa1508054

Mutti CF, Cruz VG, Santos LF, Araújo D, Cogo SB, Neves ET. Perfil Clínico-epidemiológico de Crianças e Adolescentes com Câncer em um Serviço de Oncologia. Rev Bras Cancerol 2018;64:293-300. https://doi.org/10.32635/2176-9745.RBC.2018v64n3.26

Benage SJ, Picka MCM. A espectroscopia por ressonância magnética no diagnóstico de tumores encefálicos pediátricos. Tekhne e Logos 2016;7:100-13. http://revista.fatecbt.edu.br/index.php/tl/article/view/407/284

Wright E, Amankwah EK, Winesett SP, Tuite GF, Jallo G, Carey C, et al. Incidentally found brain tumors in the pediatric population: a case series and proposed treatment algorithm. J Neurooncol 2019;141:355-61. https://doi.org/10.1007/s11060-018-03039-1

Ward E, DeSantis C, Robbins A, Kohler B, Jemal A. Childhood and adolescent cancer statistics, 2014. Cancer J Clin 2014;64:83-103. https://doi: 10.3322/caac.21219

Ye Z, Srinivasa K, Meyer A, Sun P, Lin J, Viox JD, et al. Diffusion histology imaging differentiates distinct pediatric brain tumor histology. Sci Rep 2021;11:4749. https://10.1038/s41598-021-84252-3

Rangel MRU, dal Fabbro AL, Lima CA, Azevedo AR, Cipolotti R. Câncer Pediátrico: incidência, sobrevida e mortalidade em Sergipe. ICSA 2013;1:9-20. https://doi.org/10.17564/2316-3798.2013v1n3p9-20

Ribeiro LS, Morais RS. A eficácia da TCC para o enfrentamento da hospitalização em crianças com câncer: uma revisão sistemática. Rev Psicol Saúde Deb 2017;2:58-75. https://doi.org/10.22289/2446-922X.V2N2A4

Chang CW, Mu PF, Jou ST, Wong TT, Chen YC. Systematic review and meta-analysis of nonpharmacological interventions for fatigue in children and adolescents with cancer. Worldviews Evid Based Nurs 2013;10:208-17. https://doi.org/10.1111/wvn.12007

Fernández IS, Loddenkemper T. Seizures caused by brain tumors in children. Seizure 2017;44:98-107.

https://doi.org/10.1016/j.seizure.2016.11.028

Udaka YT, Packer RJ. Pediatric Brain Tumors. Neurol Clin 2018;36:533-56. https://doi.org/10.1016/j.ncl.2018.04.009

Reimers TS, Mortensen EL, Nysom K, Schmiegelow K. Health-related quality of life in long-term survivors of childhood brain tumors. Pediatr Blood Cancer 2009;53:1086-91. https://doi.org/ 10.1002/pbc.22122

Ortiz MCA, Lima RAG. Experiências de familiares de crianças e adolescentes, após o término do tratamento contra o câncer: subsídios para o cuidado de enfermagem. Rev Psicopedagogia 2016;33:175-83. https://doi.org/10.1590/S0104-11692007000300008

Bispo júnior JP. Fisioterapia e saúde coletiva: desafios e novas responsabilidades profissionais. Cienc Saúde Col 2010;15(suppl 1):1627-36. https://doi.org/10.1590/S0104-11692007000300008

Howard SC, Metzger LM, Wilimas JA, Quintana Y, Pui C, Robison LL, et al. Childhood cancer epidemiology in low-income countries. Cancer 2008;112:461-72. https://doi.org/10.1002/cncr.23205

Bleeker FE, Hopman SMJ, Merks JHM, Aalfs CM, Hennekamet RCM. Brain tumors and syndromes in children. Neuropediatrics 2014;45:137-61. https://doi.org/10.1055/s-0034-1368116

Wilne S, Collier J, Kennedy C, Koller K, Grundy R, Walker D. Presentation of childhood CNS tumours: a systematic review and meta-analysis. Lancet Oncol 2007;8:685–95. https://10.1016/S1470-2045(07)70207-3

Fermo VV, Lourençato GN, Medeiros TS, Anders JC, Souza AIJ. O diagnóstico precoce do câncer infantojuvenil: o caminho percorrido pelas famílias. Esc Anna Nery Rev Enferm 2014;18:54-9. https://doi.org/10.5935/1414-8145.20140008

Carvalho WMO, Silva RN, Carvalho MBF, Batista TF, Nascimento RIFC, Nascimento MVR, et al. Aspectos epidemiológicos do câncer infantojuvenil em uma capital do nordeste brasileiro. Rev Eletr Acervo Saúde 2020;12:e4045. https://doi.org/10.25248/reas.e4045.2020

Silva Pedro IC, Galvão CM, Rocha SMM, Nascimento LC. Social support and families of children with cancer: an integrative review. Rev Latinoam Enferm 2008;16:477-83. https://doi.org/10.1590/S0104-11692008000300023

Silva RP, Pinto PI, Alencar AMC. Efeitos da hospitalização prolongada: o impacto da internação na vida paciente e seus cuidadores. Rev Saúde (Santa Maria) 2018;44:1-12. https://doi.org/10.5902/2236583424876

Lima ACC, Ramos FS. Há desigualdade de poder entre os estados e regiões do brasil? Uma abordagem utilizando o índice de poder de banzhaf e a penrose square root law. Econ Apl 2010;14:225-49. https://doi.org/10.1016/j.ejpn.2009.12.006

Seow H, Salam-white L, Bainbridge D. Community-based specialist palliative care teams and health system costs at end of life: a retrospective matched cohort study. CMAJ Open 2019;7:73-80. https://doi.org/10.9778/cmajo.20180113

Castro MC, Massuda A, Almeida G, Menezes-Filho NA, Andrade MV, de Noronha KVMS, et al. Brazil's unified health system: the first 30 years and prospects for the future. Lancet 2019;394:345-56. http://dx.doi.org/10.1016/S0140-6736(19)31243-7

Downloads

Publicado

2022-09-13

Como Citar

de Jesus da Silva Mendes, D., Velame Deitos , M. ., Guedes da Paz, E., Cristina Lima de Oliveira, T., & Oliveira Barbosa, W. . (2022). Hospitalizações pediátricas por neoplasia encefálica no Brasil: um estudo ecológico. Revista Neurociências, 30, 1–13. https://doi.org/10.34024/rnc.2022.v30.13993

Edição

Seção

Artigos Originais
Recebido: 2022-06-15
Aceito: 2022-07-21
Publicado: 2022-09-13

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)