Percepção dos usuários sobre Acolhimento e Classificação de Risco nas UPAS: revisão integrativa

Autores

  • João Victor de Mello Correa Universidade Nova Iguaçu
  • Renata Rodrigues Teixeira de Castro
  • Adalgiza Mafra Moreno
  • Rúbia Walquíria de Carvalho
  • Raphael Coelho de Almeida Lima
  • Roberta Rodrigues Teixeira de Castro UNIG

DOI:

https://doi.org/10.34024/rnc.2022.v30.13013

Palavras-chave:

Acolhimento, Emergência, Percepção, Qualidade da Assistência à Saúde

Resumo

Objetivos. Analisar a produção científica existente sobre a percepção dos usuários quanto aos aspectos positivos e negativos relacionados ao Acolhimento e Classificação de Risco (ACCR) realizado nas UPA, com vistas a subsidiar a reflexão e o aprimoramento do serviço prestado. Método. Trata-se de uma revisão integrativa de literatura, realizada nas bases de dados PUBMED, BVS e Google acadêmico, utilizando descritores específicos para cada base. Foram incluídos artigos completos, publicados entre 2010 e 2021 e disponíveis nos idiomas português, espanhol e inglêssendo excluídos os artigos de revisões, teses, dissertações, artigos duplicados e os estudos que não contemplavam o tema em questão. Após a aplicação dos critérios de elegibilidade, foram selecionados 7 artigos. Resultados. Os aspectos positivos identificados traduzem o esforço realizados pelos profissionais, mesmo em condições inapropriadas, de exercerem suas práticas de forma humanizada e acolhedora. Por outro lado, os problemas identificados caracterizam uma rede de atenção fragmentada e pouco resolutiva, que não tem conseguido atuar de forma preventiva, nem atender as demandas da população em tempo hábil. Diferentes recomendações práticas foram propostas, porém o grande desafio é sua operacionalização em um cenário de restrições. Conclusão. Revela-se a necessidade de reflexões para além dos muros das UPAS, através de uma análise crítica por parte dos gestores, sobre a necessidade de intervir a nível de Rede de Atenção à Saúde, tendo em vista que todos os elementos que a compõem precisam estar funcionando adequadamente e de forma articulada para que nenhum deles se sobrecarregue.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Referências

Konder MT, O’Dwyer G. A integração das Unidades de Pronto Atendimento (UPA) com a rede assistencial no município do Rio de Janeiro, Brasil. Interface Com Saúde Edu 2016;20:879-92. http://dx.doi.org/10.1590/1807-57622015.0519

Lima LD, Machado CV, O'Dwyer G, Baptista TWDF, Andrade CLTD, Konder MT. Interdependência federativa na política de saúde: a implementação das Unidades de Pronto Atendimento no estado do Rio de Janeiro, Brasil. Ciênc Saúde Col 2015;20:595-606. https://doi.org/10.1590/1413-81232015202.02512014

Stein AT. Acesso a atendimento médico continuado: uma estratégia para reduzir a utilização de consultas não urgentes em serviços de emergência (dissertação). Porto Alegre: Universidade Federal do Rio Grande do Sul; 1998. https://lume.ufrgs.br/handle/10183/1919

Conselho Nacional de Secretários de Saúde. Rede de Atenção às Urgências e Emergências: avaliação da implantação e do desempenho das Unidades de Pronto Atendimentos (UPAs). Brasília: CONASS; 2015.https://www.conass.org.br/biblioteca/pdf/Conass_Documenta_28.pdf

Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Política Nacional de Humanização da Atenção e Gestão do SUS. Acolhimento e classificação de risco nos serviços de urgência. Brasília: MS; 2009. https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/acolhimento_classificaao_risco_servico_urgencia.pdf

Souza RS, Bastos MAR. Acolhimento com classificação de risco: o processo vivenciado por profissional enfermeiro. Rev Min Enferm 2008;12:581-6. http://www.reme.org.br/artigo/detalhes/304

Moreira DA, Tibães HBB, Batista RCR, Cardoso CML, Brito MJM. Manchester triage system in primary health care: ambiguities and challenges related to access. Texto Contexto Enferm 2017;26:1-8. https://doi.org/10.1590/0104-07072017005970015

Souza CC, Diniz AS, Silva LLT, Mata LRF, Chianca TCM. Nurses’ perception about risk classification in an emergency service. Invest Educ Enferm 2014;32:78-86. https://doi.org/10.17533/udea.iee.v32n1a09

Jones KM, Marsden J, Windle J. Emergency triage: Manchester Triage Group. 2nd ed. Oxford: Blackwell; 2006.

Acosta AM, Duro CLM, Lima MADS. Atividades do enfermeiro nos sistemas de triagem/classificação de risco nos serviços de urgência: revisão integrativa. Rev Gaúcha Enferm 2012;33:181-90. https://doi.org/10.1590/S1983-14472012000400023

Garlet ER, Lima MADS, Santos JLG, Marques GQ. Finalidade do trabalho em urgências e emergências. Rev Latino Am Enferm 2009;17:535-40. https://doi.org/10.1590/S0104-11692009000400016

Prodanov CC, Freitas ECD. Metodologia do trabalho científico: Métodos e Técnicas da Pesquisa e do Trabalho Acadêmico. Volume 1. Novo Hamburgo: Universidade Feevale, 2013. 276p. https://www.feevale.br/institucional/editora-feevale/metodologia-do-trabalho-cientifico---2-edicao

Souza MT, Silva MD, Carvalho R. Revisão integrativa: o que é e como fazer. Einstein 2010;8:102-6. https://doi.org/10.1590/S1679-45082010RW1134

Hermida PMV, Nascimento ERPD, Echevarría-Guanilo ME, Vituri DW, Martins SR, Barbosa SS. Responsividade do acolhimento com Classificação de Risco: Avaliação dos usuários em Unidade de Pronto Atendimento. Texto Contexto Enferm2019;28: e20170480. https://doi.org/10.1590/1980-265x-tce-2017-0480

Tostes PCR, Celestino CSM, Cruz, KM, Chevitarese L. Acolhimento e classificação de risco em unidade de pronto atendimento: uma abordagem educativa. Rev Rede de Cuidados em Saúde 2017;10:1-15. https://doi.org/10.12957/reuerj.2017.19649

Cesar MP, Ilha S, Pereira VC, da Rosa PH, Buriol D, Rangel, RF. Perception of users of a ready 24 hour service about risk classification/Percepção de usuários de um pronto atendimento 24 horas acerca da classificação de risco. Rev Pesq Cuidado é Fundamental Online 2021;13:330-5. https://doi.org/10.9789/2175-5361.rpcfo.v13.8604

Zanon LR, Zanin L, Florio FM. Avaliação da utilização dos serviços das unidades de pronto atendimento de um município brasileiro. Rev Gaúcha Odontol 2016;64:411-8. https://doi.org/10.1590/1981-863720160003000073043

Gomide MFS, Pinto IC, Figueiredo LAD. Acessibilidade e demanda em uma Unidade de Pronto Atendimento: perspectiva do usuário. Acta Paul Enferm 2012;25:19-25. https://doi.org/10.1590/S0103-21002012000900004

Oliveira JLCD, Gatti AP, Barreto MDS, Bellucci JA, Góes, HLDF, Matsuda LM. User embracement with risk classification: perceptions of the service users of an emergency care unit. Texto Contexto Enferm 2017;26:e0960014. https://doi.org/10.1590/0104-07072017000960014

Campos TS, Arboit ÉL, Mistura C, Thum C, Arboit J, Camponogara S. Acolhimento e classificação de risco: percepção de profissionais de saúde e usuários. Rev Bras Prom Saúde 2020;33:1-11. https://doi.org/10.5020/18061230.2020.9786

Melnyk BM, Fineout-Overholt E, Gallagher Lynn, Stillwell SB. Sustaining Evidence-Based Practice Through Organizational Policies and an Innovative Model. AJN 2011;111:57-60. https://doi.org/10.1097/01.NAJ.0000405063.97774.0e

Oliveira KKD, Amorim KKPS, Lima APFN, Monteiro AI. Impacto da implementação do acolhimento com classificação de risco para o trabalho dos profissionais de uma unidade de pronto atendimento. Rev Min Enferm 2013;1:157-64. http://revistafacesa.senaaires.com.br/index.php/revisa/article/view/456/359

Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Política Nacional de Humanização da Atenção e Gestão do SUS. Acolhimento e classificação de risco nos serviços de urgência. Brasília: Ministério da Saúde; 2009. https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/acolhimento_classificaao_risco_servico_urgencia.pdf

Gouveia MT, Melo SF, Costa MWS, Souza JMM, Sá L, Pimenta CJL, et al. Análise do acolhimento com classificação de risco em unidades de pronto atendimento. Rev Min Enferm 2019;23:e-1210. https://doi.org/10.5935/1415-2762.20190058

Godoi VCG, Ganassin GS, Inoue KC, Gil NLP. Acolhimento com classificação de risco: caracterização da demanda em unidade de pronto atendimento. Cogitare Enferm 2016;21:1-8. http://dx.doi.org/10.5380/ce.v21i3.44664

Moreno ECSG, Santos FM, Marinho DDT, Santos JMJ, Cunha JO. Acolhimento Com Classificação De Risco Em Um Hospital Da Rede Pública: Percepção Dos Usuários. Rev Saúde Pesq 2018;11:89-97. https://doi.org/10.17765/1983-1870.2018v11n1p89-97

Hermida PMV, Nascimento ERPD, Echevarría-Guanilo ME, Brüggemann OM, Malfussi LBHD. Acolhimento com classificação de risco em unidade de pronto atendimento: estudo avaliativo. Rev Esc Enferm USP 2018;52:e03318. https://doi.org/10.1590/S1980-220X2017001303318

Silva MRB, Santos JS, Morais MPL, Silva HCDA, Oliveira NS, Donato AG. Percepção dos enfermeiros na classificação de risco em uma unidade de pronto atendimento na Zona Oeste do Rio de Janeiro. Glob Clin Res 2021;1:e2. https://doi.org/10.5935/2763-8847.20210002

Atkinson S, Medeiros RL. Explanatory models of influences on the construction and expression of user satisfaction. Soc Sci Med 2009;68:2089-96. https://doi.org/10.1016/j.socscimed.2009.03.042

Vieira-da-Silva LM. Avaliação de políticas e programas de saúde. Rio de Janeiro (BR): Fiocruz;2014. https://www.google.com.br/books/edition/Avalia%C3%A7%C3%A3o_de_pol%C3%ADticas_e_programas_de/cZNBDwAAQBAJ?hl=pt-BR&gbpv=1&printsec=frontcover

Downloads

Publicado

2022-05-27

Como Citar

de Mello Correa , J. V. ., Rodrigues Teixeira de Castro, R. ., Mafra Moreno, A. ., Walquíria de Carvalho, R. ., Coelho de Almeida Lima, R., & Rodrigues Teixeira de Castro, R. . (2022). Percepção dos usuários sobre Acolhimento e Classificação de Risco nas UPAS: revisão integrativa. Revista Neurociências, 30, 1–22. https://doi.org/10.34024/rnc.2022.v30.13013

Edição

Seção

Artigos de Revisão
Recebido: 2021-12-03
Aceito: 2022-04-28
Publicado: 2022-05-27

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)