Musicoterapia: Ferramenta de Humanização na Assistência de Pré-termos em uma UTIN Cearense

Autores

DOI:

https://doi.org/10.34024/rnc.2021.v29.12190

Palavras-chave:

Recém-nascido prematuro, Unidades de terapia intensiva, Música

Resumo

Introdução. A prematuridade tem se configurado um problema mundial de saúde, visto que nascem cerca de 30 milhões de recém-nascidos por ano. Além de afetar o desenvolvimento infantil pode trazer riscos para a relação afetiva entre mãe e filho, por isso, o cuidado humanizado deve ser enfatizado. Objetivo. Avaliar os efeitos da música nas respostas fisiológicas e comportamentais de recém-nascidos prematuros hospitalizados em uma UTI neonatal.  Método. Pesquisa quantitativa, transversal e descritiva, com proposição intervencionista, que contou com a participação de dois recém-nascidos gemelares dizigóticos. A coleta de dados foi realizada através de uma ficha de avaliação criada pelo pesquisador e foram analisados por meio da estatística descritiva. Resultados. No recém-nascido do gênero feminino houve melhora das respostas comportamentais a partir do final da segunda sessão de terapia, enquanto, no masculino deu-se no final da terceira. No que se refere à análise das variáveis fisiológicas, verificou-se diminuição da frequência cardíaca no neonato feminino a partir da segunda, todavia, o efeito não evidenciado no masculino. Quanto a frequência respiratória identificou-se redução a datar da segunda sessão para o nuelo feminino e a partir da terceira no masculino. A saturação de oxigênio melhorou a partir da segunda no bebê feminino e a começar da terceira para o masculino. Além disso, ocorreu variação da temperatura corporal entre os recém-nascidos quando os dados obtidos durante as sessões são comparados entre os turnos. Conclusão. A música contribuiu para melhorar as respostas comportamentais e fisiológicas, exceto, frequência cardíaca e temperatura corporal.

Unitermos. Recém-nascido prematuro; Unidades de terapia intensiva; Musicoterapia

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

São Paulo. Secretária de Estado da Saúde (endereço na Internet). Manual de neonatologia. 2015 (acessado em: 15/09/2019). Disponível em:https://edisciplinas.usp.br/pluginfile.php/3905402/mod_resource/content/1/manual_de_neonatologia.pdf

OMS - Organização Mundial da Saúde (endereço na Internet). Quase 30 milhões de recém-nascidos prematuros e doentes necessitam de tratamento para sobreviver todos os anos. 2018 (acessado em: 21/7/2019). Disponível em:

https://www.paho.org/bra/index.php?option=com_content&view=article&id=5821:quase-30-milhoes-de-recem-nascidos-prematuros-e-doentes-necessitam-de-tratamento-para-sobreviver-todos-os-anos&Itemid=820

Oliveira GC. Análise do catch-up de crescimento de uma coorte de recém-nascidos prematuros (Tese). Cuiabá: Universidade Federal de Mato Grosso-UFMT; 2015. http://ri.ufmt.br/handle/1/180

Cruvinel FG, Paulett CM. Formas de atendimento humanizado ao recém-nascido pré-termo ou de baixo peso na unidade de terapia intensiva neonatal: uma revisão. Cad PG Dist Desenv 2009;9:102-25. https://www.mackenzie.br/fileadmin/OLD/47/Graduacao/CCBS/Pos-Graduacao/Docs/Cadernos/Caderno_vol_8/2009.2Artigo_7_FORMAS_DE_ATENDIMENTO_HUMANIZADO_AO_RECEM_NASCIDO_PRE-TERMO_OU_DE_BAIXO_PESO_NA_UNIDADE_DE_TERAPIA_INTENSIVA_NEONATAL_UMA_REVISAO.pdf

Miltersteiner AR, Miltersteiner DR, Rech VV, Molle LD. Respostas fisiológicas da posição mãe canguru em bebês pré-termos, de baixo peso e ventilando espontaneamente. Rev Bras Saúde Matern Infant 2003;3:447-55. https://doi.org/10.1590/S1519-38292003000400009

Breichert APS, Lins RNP, Collet N. Humanização do Cuidado da UTI Neonatal. Rev Eletr Enferm 2007;9:200-13. https://doi.org/10.5216/ree.v9i1.7148

Palazzi A, Meschini R, Piccinini CA. Intervenção musicoterápica para mãe-bebê pré-termo: uma proposta de intervenção na uti neonatal. Psicol Estud 2019;24:3-11.

https://doi.org/10.4025/psicolestud.v24i0.41123

Moura JJS. Musicoterapia em uti neonatal: benefícios para os recém-nascido (Monografia). Cuiabá: Universidade de Cuiabá-UNIC; 2018. https://repositorio.pgsskroton.com.br/bitstream/123456789/20152/1/JAQUELINE%20JESSICA%20SOUZA%20MOURA.pdf

Souza RMA. Música e Musicoterapia na Unidade de Terapia Intensiva: uma proposta de humanização (Tese). Goiânia: Sociedade Brasileira de Terapia Intensiva-SOBRATI; 2014. https://www.google.com.br/url?sa=t&rct=j&q=&esrc=s&source=web&cd=1&ved=2ahUKEwjS0q-tobXjAhW-K7kGHZX5BisQFjAAegQIAhAC&url=http%3A%2F%2Fibrati.org%2Fsei%2Fdocs%2Ftese_736.doc&usg=AOvVaw2mp8A-p6vomqaV_qQFe0tw

Oliveira MF, Oselame GB, Neves EB, Oliveira EM. Musicoterapia como ferramenta terapêutica no setor da saúde: uma revisão sistemática. Unicor 2014;12:871-8.

http://dx.doi.org/10.5892/ruvrd.v12i2.1739

IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (endereço na Internet). Censo demográfico. 2010 (acessado em: 9/9/2019). Disponível em: https://cidades.ibge.gov.br/brasil/panorama

BRASIL- Conselho Nacional de Saúde (endereço na Internet). Resolução n. 466, de 12 de dezembro de 2012. Aprova diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisas envolvendo seres humanos. Brasília: Diário Oficial da União (acessado em: 5/9/2019). Disponível em: http://conselho.saude.gov.br/resolucoes/2012/Reso466.pdf

Arnon S. Music therapy intervention in the neonatal intensive care unit environment. J Ped 2011;87:183-5.

https://doi.org/10.1590/S0021-75572011000300001

Cavalcante FCAR, PschiskI PH. Aplicabilidade da musicoterapia pontual sobre a ansiedade decorrente da hipóxia isquêmica encefálica experimental (Monografia). Brasília: Centro Universitário de Brasília-UNICEUB; 2015.

https://repositorio.uniceub.br/jspui/handle/235/9357

Silva CM, Cação JMR, Silva KCS, Marques CF, Merey LSF. Respostas fisiológicas de recém-nascidos pré-termo submetidos à musicoterapia clássica. Rev Paul Ped 2013;31:30-6. https://doi.org/10.1590/S0103-05822013000100006

Araújo CS, Sequeira BJ. A relação da música com a neurociência e o seu efeito no cérebro sobre as emoções. Cad Ciênc Biológ Saúde 2014;1-11. https://docplayer.com.br/47012351-A-relacao-da-musica-com-a-neurociencia-e-o-seu-efeito-no-cerebro-sobre-as-emocoes-resumo.html

Santos TMM, Russo ICP. A prática da audiologia clínica. 5ª ed., São Paulo: Cortez; 2009.

Weigsding JA, Barbosa CP. A influência da música no comportamento humano. Arq MUDI 2012;18:47-62. http://www.periodicos.uem.br/ojs/index.php/ArqMudi/article/view/25137#:~:text=O%20estudo%20concluiu%20que%20a,bem%20estar%20f%C3%ADsico%20e%20ps%C3%ADquico

Nobre DV, Leite HR, Orsini M, Corrêa CL. Respostas Fisiológicas ao Estímulo Musical: Revisão de Literatura. Rev Neurocienc 2012;20:1-8. https://doi.org/10.34024/rnc.2012.v20.8232

Santos LS, Parra CR. Música e neurociência: inter-relação entre música, emoção, cognição e aprendizagem (endereço na Internet). Psicologia.pt 2015. (acessado em: 5/9/2019). Disponível em: https://www.psicologia.pt/artigos/ver_artigo.php?codigo=A0853

Machado A. Áreas Encefálicas Relacionadas com as Emoções: O sistema Límbico (endereço na Internet). Psiquiatriageral 2011. (acessado em: 5/9/2019). Disponível em: https://www.psiquiatriageral.com.br/cerebro/emocoes.htm#:~:text=Press%2C%20Oxford%2C%20315pp).&text=Do%20que%20foi%20exposto%2C%20verifica,pr%C3%A9%2Dfrontal%20e%20o%20hipot%C3%A1lamo.

Silva RPB. O xadrez escolar: uma nova abordagem sob a visão neuropedagógica (Monografia). Rio de Janeiro: Universidade Candido Mendes; 2010.

http://www.avm.edu.br/docpdf/monografias_publicadas/c205289.pdf

Moreira JD. A inter-relação entre sistema imuno-neuroendócrino na artrite reumatoide (Monografia). Belo Horizonte: Universidade Federal de Minas Gerais; 2010.

https://repositorio.ufmg.br/bitstream/1843/BUOS97QPCZ/1/a_inter_rela__o_entre_sistema_imuno_neuro_end_crino_na_artrite_reumat_ide.pdf

Jordão KR, Pinto LAP, Machado LR, Costa LBVL, Trajano ETL. Possíveis fatores estressantes na unidade de terapia intensiva neonatal em hospital universitário. Rev Bras Ter Intensiva 2016;28:310-4. http://dx.doi.org/10.5935/0103-507X.20160041

Garcia CSNB, Almeida DF, Vilela FRF. Estimulação auditiva na unidade de terapia intensiva neonatal. Associação Brasileira de Fisioterapia Cardiorrespiratória e Fisioterapia em Terapia Intensiva (endereço na Internet). 2018 (acessado em: 19/10/2020). Disponível em: https://portal.secad.artmed.com.br/artigo/estimulacao-auditiva-na-unidade-de-terapia-intensiva-neonatal

Mcmahon E, Wintermark P, Lahav A. Auditory brain development in premature infants: the importance of early experience. Ann N Y Acad Sci 2012;1252:17-24. http://dx.doi.org/10.1111/j.1749-6632.2012.06445.x

Vargas MER. A Neurociência e Explicações da Ação e Efeito da Musicoterapia no Comportamento Humano (endereço na internet). Instituto Superior de Música de São Leopoldo. 2008 (acessado em: 26/9/2019. Disponível em: http://ead2.est.edu.br/via_musicoterapia/files/u1/oci__ncia_e_explica____es_da_a____o_e_efeito.pdf

Todres D. Música é remédio para o coração. J Pediatr 2006;82:166-8. https://doi.org/10.1590/S0021-75572006000300002

Auto FML, Amancio OMS, Lanza FC. Efeito da música sobre o ganho de peso de prematuros maiores de 32 semanas: ensaio clínico randomizado. Rev Paul Pediatr 2013;31:293-9. https://doi.org/10.1590/0103-058231369512

Tshiswaka SK. Avaliação do impacto da música como redutor de ansiedade no atendimento odontológico de crianças e adolescentes (Tese). Campinas: Pontifícia Universidade Católica de Campinas-PUC; 2018. http://tede.bibliotecadigital.puc-campinas.edu.br:8080/jspui/handle/tede/1159

Downloads

Publicado

2021-12-14

Como Citar

Freitas, F. B. Q. de, & Rodrigues, N. M. N. M. (2021). Musicoterapia: Ferramenta de Humanização na Assistência de Pré-termos em uma UTIN Cearense. Revista Neurociências, 29, 1–21. https://doi.org/10.34024/rnc.2021.v29.12190

Edição

Seção

Artigos Originais
Recebido em 2021-05-19
Aceito em 2021-10-27
Publicado em 2021-12-14