Relação do controle de tronco com a funcionalidade em pacientes hemiparéticos após AVC

Autores

DOI:

https://doi.org/10.34024/rnc.2021.v29.11709

Palavras-chave:

Acidente Vascular Cerebral, Paresia, Fisioterapia, Funcionalidade, Equilíbrio Postural

Resumo

Objetivo. Avaliar o controle de tronco e funcionalidade em pacientes hemiparéticos pós-AVC através da aplicação das escalas Escala de Deficiência de Tronco (EDT), Escala de Controle de Tronco (ECT), Escala de Avaliação da Simetria e Transferência de Peso (ASTP), Escala de Rankin Modificada (ERm) e Índice de Barthel (IB). Método. Pesquisa quantitativa do tipo transversal, com amostra de 9 indivíduos, atendidos pela fisioterapia na enfermaria do Hospital Municipal de Canoas/RS, de agosto à outubro de 2020. Os dados foram descritos por média e desvio padrão ou mediana e amplitude de variação. Para comparar medianas, o teste de Mann-Whitney foi utilizado e para correlação dos dados o teste da correlação de Spearman. Resultado. Quanto ao controle de tronco, as medianas encontradas: EDT 10 (0-23), TCT 87 (24-100) e ASTP 18 (9-27). Quanto à funcionalidade, a mediana da ERm foi 4 (0-6) e a média do IB 65±27,7 (0-100). Houve associação inversa entre as escalas de controle de tronco e a ERm (EDT p=0,019, TCT p<0,001 e ASTP p<0,001) e uma associação positiva com o IB (EDT p=0,010, TCT p<0,001 e ASTP p<0,001). Conclusão. A relação do controle de tronco com a funcionalidade demonstrou ter uma forte correlação, onde quanto melhor o controle de tronco, maior a funcionalidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Araújo JPD, Darcis JVV, Tomas ACV, Mello WAD. Tendência da mortalidade por acidente vascular cerebral no município de Maringá, Paraná entre os anos de 2005 a 2015. Inter J Cardiovas Sci 2018;31:56-62. http://dx.doi.org/10.5935/2359-4802.20170097

Santos EB, Rodrigues RA, Marques S, Pontes-Neto OM. Estresse percebido nos idosos sobreviventes do AVC após a alta hospitalar para casa. Rev Esc Enferm USP 2015;49:797-803. http://dx.doi.org/10.1590/S0080-623420150000500013

Brasil. Ministério da Saúde. Linha de Cuidados em Acidente Vascular Cerebral (AVC) na rede de Atenção às Urgências e Emergências (endereço na internet). Brasília: Ministério da Saúde; 2012 (acessado em: 10/12/2019). Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/manual_rotinas_para_atencao_avc.pdf

Costa FA, Silva DLA, Rocha VM. Estado neurológico e cognição de pacientes pós-acidente vascular cerebral. Rev Esc Enferm USP 2011;45:1083-8. http://dx.doi.org/10.1590/S0080-62342011000500008

Piassaroli CAP, Almeida GC, Luvizotto JC, Suzan ABBM. Modelos de Reabilitação Fisioterápica em Pacientes Adultos com Sequelas de AVC Isquêmico. Rev Neurocienc 2012;20:128-37. http://dx.doi.org/10.34024/rnc.2012.v20.10341

Martin A, Abogunrin S, Kurth H, Dinet J. Epidemiological, humanistic, and economic burden of illness of lower limb spasticity in adults: a systematic review. Neuropsychiatr Dis Treat 2014;10:111-22. http://dx.doi.org/10.2147/ndt.s53913

Antunes JE, Justo FHO, Justo AFO, Ramos GC, Prudente COM. Influência do controle postural e equilíbrio na marcha de pacientes com sequela de acidente vascular cerebral. Fisiot Saúde Func 2016;5:30-41. http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/19343

Van Criekinge T, Saeys W, Hallemans A, Vereeck L, De Hertogh W, Van de Walle P, et al. Effectiveness of additional trunk exercises on gait performance: study protocol for a randomized controlled trial. Trials 2017;18:249. http://dx.doi.org/10.1186/s13063-017-1989-1

Schuster RC. Correlação entre Disfunções Motoras e Respiratórias no AVC. Rev Neurocienc 2011;19:587-8. http://dx.doi.org/10.34024/rnc.2011.v19.8319

Rangel ESS, Belasco AGS, Diccini S. Qualidade de vida de pacientes com acidente vascular cerebral em reabilitação. Acta Paul Enferm 2013;26:205-12. http://dx.doi.org/10.1590/S0103-21002013000200016

Brito R, Lins LCRF, Almeida CDA, Ramos Neto ES, Araújo DP, Franco CIF. Instrumentos de Avaliação Funcional Específicos Para o Acidente Vascular Cerebral. Rev Neurocienc 2013;21:593-9. http://dx.doi.org/10.34024/rnc.2013.v21.8145

Verheyden G, Nieuwboer A, Mertin J, Preger R, Kiekens C, Weerdt WD. The trunk impairment scale: a new tool to measure motor impairment of the trunk after stroke. Clin Rehab 2004;18:326-34. http://dx.doi.org/10.1191/0269215504cr733oa

Fujiwara T, Liu M, Tsuji T, Sonoda S, Mizuno K, Akaboshi K, et al. Development of a new measure to assess trunk impairment after stroke (Trunk Impairment Scale): its psychometric properties. Am J Phys Med Rehabil 2004;83:681-8. http://dx.doi.org/10.1097/01.PHM.0000137308.10562.20

Chagas EF, Tavares MDCGC. A simetria e transferência de peso do hemiplégico: relação dessa condição com o desempenho de suas atividades funcionais. Fisiot Pesq 2001;8:40-50. http://dx.doi.org/10.1590/fpusp.v8i1.79397

Wilson JTL, Hareendran A, Hendry A, Potter J, Bone I, Muir KW. Reliability of the modified Rankin Scale across multiple raters: benefits of a structured interview. Stroke 2005;36:777-81. http://dx.doi.org/10.1161/01.STR.0000157596.13234.95

Minosso JSM, Amendola F, Alvarenga MRM, Oliveira MAC. Validação, no Brasil, do Índice de Barthel em idosos atendidos em ambulatórios. Acta Paul Enferm 2010;23:218-23. http://dx.doi.org/10.1590/S0103-21002010000200011

Fluetti MT, Fhon JRS, Oliveira APD, Chiquito LMO, Marques S. Síndrome da fragilidade em idosos institucionalizados. Rev Bras Geriatr Gerontol 2018;21:60-9. http://dx.doi.org/10.1590/1981-22562018021.170098

Vasconcelos TG, Reis LA, Reis LA, Fernandes MH, Alves GS, Sampaio LS, et al. Funcionalidade familiar de idosos dependentes residentes em domicílios. Aval Psicol 2009;8:415-23. http://www.redalyc.org/articulo.oa?id=335027282013

Trindade APNT, Barboza MA, Oliveira FB, Borges APO. Influência da simetria e transferência de peso nos aspectos motores após Acidente Vascular Cerebral. Rev Neurocienc 2011;19:61-7. http://dx.doi.org/10.34024/rnc.2011.v19.8402

Sena CG, Saes MO, Brod M, Pitzer Neto VE. Eficácia do tratamento fisioterápico para o controle de tronco em indivíduos acometidos pelo acidente vascular encefálico. Rev Insp Mov Saúde 2013;5:16-9. https://www.inspirar.com.br/wp-content/uploads/2014/01/eficacia-do-tratamento-artigo361.pdf

Azevedo ERFBM, Macedo LS, Paraízo MFN, Oberg TD, Lima NMFV, Cacho EWA. Correlação do déficit de equilíbrio, comprometimento motor e independência funcional em indivíduos hemiparéticos crônicos. Acta Fisiatr 2008;15:225-8. http://www.periodicos.usp.br/actafisiatrica/article/download/102995/101280

Souza JG, Souza RB, Costa VDSP, Ossada VAY, Tsukamoto HF. Avaliação da Simetria Corporal e Controle de Tronco em Hemiparéticos Pós-Acidente Vascular Encefálico: Uma Série de Casos. Rev Equil Corp Saúde 2017;8:11-6. http://dx.doi.org/10.17921/2176-9524.2016v8n1p11-16

Caires TA, Silva GV, Castro SS, Souza LAPS. Controle de tronco e sua relação com quadro clínico, área comprometida e fase pós-acidente vascular encefálico. Fisiot Pesq 2018;25:224-8. http://dx.doi.org/10.1590/1809-2950/17025025022018

Kim TJ, Seo KM, Kim D, Kang SH. The relationship between initial trunk performances and functional prognosis in patients with stroke. Ann Rehabil Med 2015;1:66-73. http://dx.doi.org/10.5535/arm.2015.39.1.66

Park YH, Lee C, Lee BH. Clinical usefulness of the virtual reality-based postural control training on the gait ability in patients with stroke. J Exerc Rehabil 2013;9:489-94. http://dx.doi.org/10.12965/jer.130066

Belchior ACS. Avaliação da funcionalidade de pacientes com sequelas de acidente vascular cerebral por meio da escala MIF. Fisiot Bras 2018;19:208-17. https://doi.org/10.33233/fb.v19i5.2624

Hsieh CL, Sheu CF, Hsueh IP, Wang CH. Trunk control as an early predictor of comprehensive activities of daily living function in stroke patients. Stroke 2002;33:2626-30. http://dx.doi.org/10.1161/01.STR.0000033930.05931.93

Jung KS, Cho HY, In TS. Trunk exercises performed on an unstable surface improve trunk muscle activation, postural control, and gait speed in patients with stroke. J Phys Ther Sci 2016;28:940-4. http://dx.doi.org/10.1589/jpts.28.940

Downloads

Publicado

2021-09-20

Como Citar

Cabral do Prado, P., & Poletto, S. R. (2021). Relação do controle de tronco com a funcionalidade em pacientes hemiparéticos após AVC. Revista Neurociências, 29, 1–17. https://doi.org/10.34024/rnc.2021.v29.11709

Edição

Seção

Artigos Originais
Recebido em 2021-02-02
Aceito em 2021-08-23
Publicado em 2021-09-20