Características clínicas e intervenções fisioterapêuticas na tetraparesia espástica

Autores

DOI:

https://doi.org/10.34024/rnc.2021.v29.11237

Palavras-chave:

Paralisia Cerebral, Tetraparesia Espástica, Características Clínicas, Tratamento Fisioterapêutico

Resumo

Introdução. A Paralisia Cerebral (PC), acomete o sistema nervoso central em desenvolvimento maturacional e funcional. Na tetraparesia os quatros membros são acometidos igualmente. A espasticidade é a sequela motora mais comum na PC, sendo caracterizada por aumento do tônus muscular. Objetivo. Realizar revisão não sistemática da literatura sobre as características clínicas de pacientes com PC tetraparesia espástica e as modalidades de tratamento fisioterapêutico adotadas para essa população. Método. A busca foi feita nas bases de dados eletrônicas Medline, Lilacs e PEDro, com artigos publicados entre 2009 e 2019, nos idiomas português, inglês e espanhol. Resultados. Foram selecionados 18 artigos que abordaram as características clínicas e os diversos tipos de intervenção fisioterapêutica, sobre crioterapia, uso de vestes elásticas, equoterapia, cinesioterapia, fisioterapia aquática e conceito Bobath. Conclusão. As diversas estratégias de tratamento mostraram melhoras na aquisição motora e funcionalidade, detectadas por diferentes instrumentos de avaliação. Porém, devido ao baixo índice de descrições de abordagens e publicações realizadas, não é possível delimitar qual seria o método mais indicado e efetivo para o tratamento desses pacientes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Dias CP, Goulart NBA, Freire B, Becker J, Vaz MA. Paralisia cerebral em Pediatria. Rev Ped Mod 2015;51:224-9.

https://www.researchgate.net/publication/281638217_Paralisia_cerebral_em_Pediatria_Cerebral_palsy_in_Pediatrics

Cortés A, Wachhotz D. Intervención temprana en niños com alto riesgo de desarrollar parálisis cerebral; una revisión sistemática. Rev Chil Terap Ocupac 2016;16:63-76. https://doi.org/10.5354/0719-5346.2016.44752

Chagas PSC, Defilipo EC, Lemos RA, Mancini MC, Frônio JS, Carvalho RM. Classificação da função motora e do desempenho funcional de crianças com paralisia cerebral. Rev Bras Fisioter 2008;12:409-16. https://doi.org/10.1590/ S1413-35552008000500011

Oliveira BL, Dantas ACLM, Paiva JC, Leite LP, Ferreira PHL, Abreu TMA. Recursos fisioterapêuticos na paralisia cerebral pediátrica. Rev Cient Esc Saúde 2013;2:25-37.

https://repositorio.unp.br/index.php/catussaba/article/view/296

Santos TS, Santos MCC, Santos EL. Efeito agudo da crioterapia na espasticidade de crianças com encefalopatia crônica não progressiva da infância. Rev UniAndr 2019;20:9-17. https://doi.org/10.18024/1519-5694/revuniandrade.v20n1p9-17

Azevedo SMS, Santos F. O efeito do método Therasuit na função motora de uma criança com paralisia cerebral: estudo de caso (Trabalho de Conclusão de Curso). Porto: Universidade Fernando Pessoa, 2014. http://hdl.handle.net/10284/4336

Oliveira LL, Nery LC, Gonçalves RV. Efetividade do método pediasuit na função motora grossa de uma criança com paralisia cerebral. Rev Interdiscipl Cienc Med 2018;1:15-21.

http://revista.fcmmg.br/ojs/index.php/ricm/article/download/68/30

Espindula AP, Junior DEB, Ribeiro MF, Lage JB, Mello EC, Raizel JBE, et al. Avaliação da flexibilidade de crianças com paralisia cerebral após intervenção fisioterapêutica. Rev Cons Saude 2018;17:41-7. https://doi.org/10.5585/ConsSaude.v17n1.7576

Gregório A, Krueger E. Influência da equoterapia no controle cervical e de tronco em uma criança com paralisia cerebral. Rev Uniandr 2013;14:65-75.

https://www.researchgate.net/publication/277613935_Influencia_da_Equoterapia_no_Controle_Cervical_e_de_Tronco_em_Uma_Crianca_com_Paralisia_Cerebral/fulltext/56410de608ae24cd3e40e685/Influencia-da-Equoterapia-no-Controle-Cervical-e-de-Tronco-em-Uma-Crianca-com-Paralisia-Cerebral.pdf

Pastrello FHH, Garcão DC, Pereira K. Método watsu como recurso complementar no tratamento fisioterapêutico de uma criança com paralisia cerebral tetraparetica espástica: estudo de caso. Fisioter Mov 2009;22:95-102.

https://periodicos.pucpr.br/index.php/fisio/article/view/19369/18717

Arshad N, Imran M, Munir Z, Akram S, Hameed AA. Spastic cerebral palsy; Effects of Bobath motor developmental techniques in spastic cerebral palsy; a case series. Profess Med J 2018;25:1546-51. https://doi.org/10.29309/TPMJ/18.4614

Morell OJA, Ortega FZ, Obispo BP, Porcel RM. Asociación entre respuesta de equilibración del erector de columna y alteraciones de cadera en la parálisis cerebral. Investig Discapacid 2014;3:153-61.

https://www.medigraphic.com/pdfs/invdis/ir-2014/ir144a.pdf

Catena F, Moraes ERM, Lemos AVKC, Yamane PC, Blumetti FC, Dobashi ET, et al. Estudo clínico do quadril não tratado na tetrapareisa espástica. Rev Bras Ortop 2011;46(Supp 4):21-6.

https://doi.org/10.1590/S0102-36162011001000005

Tremblay ES, Shevell M, Dagenais L. Determinants of ambulation in children with spastic quadriplegic cerebral palsy: a population-based study. J Child Neurol 2009;25:669-73. https://doi.org/10.1177/0883073809342590

Firmino RCB, Lima AKP, Almeida CMRS, Uchôa SMM. Influência do Conceito Bobath na função muscular da paralisia cerebral quadriplégica espástica. Rev Neurocienc 2015;23:595-02.

https://doi.org/10.34024/rnc.2015.v23.7992

Castano PRL, Gelves MVC, Urazan DP. Abordaje de un caso de parálisis cerebral espástica nível V mediante el concepto Bobath. Rev Sci Dir 2019;41:242-6. https://doi.org/10.1016/j.ft.2019.03.006

Ávila ASC, Rocha CAQC. Atuação fisioterapêutica em paciente com PC com tetraparesia espástica assimétrica: um estudo de caso. Rev Cien Faminas 2014;10:21-7.

http://periodicos.faminas.edu.br/index.php/RCFaminas/article/view/341/316

Gomes CO, Golin MO. Tratamento Fisioterapêutico Na Paralisia Cerebral Tetraparesia Espástica, Segundo Conceito Bobath. Rev Neurocienc 2013;21:278-85.

https://doi.org/10.34024/rnc.2013.v21.8293

Porras VA, Pedersini P, Berjano P, Villafañe JH. The efficacy of physical therapy on the improvement of the motor componentes of visual attention in children with cerebral palsy: a case series study. J Exerc Rehabil 2019;15:103-8. https://doi.org/10.12965/jer.1836568.284

Ferreira AAS, Fernandes DSSL. Influência da crioterapia e do calor ultrassônico na paralisia cerebral: relato de caso. Rev Neurocienc 2012;20:552-9. https://doi.org/10.4181/RNC.2012.20.710.8p

Oliveira L, Santos MCC, Melo TR. Efeito da terapia neuromotora intensiva no controle de tronco de crianças com quadriparesia. Rev UniAndr 2018;19:77-83. https://doi.org/10.5935/1519-5694.20180010/revuniandrade.v19n2p77-83

Silva EF, Azevedo E, Souza RJ, Favero FM, Frutuoso JRC, Voos MC. Reflexões sobre a importância dos exercícios terapêuticos para o desenvolvimento de uma criança com tetraparesia espástica, relato de caso. Rev Ibirapuera 2014;7:21-30. http://www.revistaunib.com.br/vol7/05.pdf

Navarro FM, Machado BBX, Neri AD, Ornellas E, Mazetto AA. A importância da hidrocinesioterapia na paralisia cerebral: relato de caso. Rev Neurocienc 2019;17:371-5.

https://doi.org/10.34024/rnc.2009.v17.8532

McGee MC, Reese NB. Immediate effects of a hippotherapy session on gait parameters in children with spastic cerebral palsy. Pediatr Phys Ther 2009;21:212-8. https://doi.org/10.1097/PEP.0b013e3181a39532

Downloads

Publicado

2021-08-20

Como Citar

Firmino da Silva, D., Moraes, M. C. G. de, & Golin, M. O. (2021). Características clínicas e intervenções fisioterapêuticas na tetraparesia espástica. Revista Neurociências, 29. https://doi.org/10.34024/rnc.2021.v29.11237

Edição

Seção

Artigos de Revisão
Recebido em 2020-09-30
Aceito em 2021-07-26
Publicado em 2021-08-20

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)