A evolução da neurociência no Brasil - Estudo comparativo com os países da América Latina e BRICS - Atualização

  • Tulio Xavier-Rocha Universidade Federal Fluminense
  • Luciana Oliveira
  • Vitória Cruz
  • Maria Andressa Botelho
  • César Santiago
  • Priscila Borges
  • Lara Carneiro
  • Renato Monteiro Junior
Palavras-chave: Neurociência, Bibliometria, Mudança Social, Ciência, Educação

Resumo

Introdução. A neurociência é uma área de rápido crescimento, mas existem estudos escassos que avaliam esse crescimento de um ponto de vista crítico, avaliando e comparando com outros países o número de estudos publicados e relacionando-o à produção de conhecimento, inferida pelo número de citações. Objetivo. Comparar a produção acadêmica em neurociências no Brasil com outros países da América Latina e BRICS. Método. Foi realizada uma pesquisa no SCImago Journal e no Ranking do País sobre a produção científica dos 20 países pertencentes à América Latina e BRICS de 1996 a 2018. Os dados foram analisados ​​por meio de estatística descritiva e análise de variância. Resultados. O Brasil apresentou a maior produção média em neurociência entre os países da América Latina (p> 0,01) e recebeu o maior número de citações em artigos publicados. Comparado ao BRICS, o Brasil ficou em segundo lugar em produção e citações, precedido pela China. No entanto, não foram encontradas diferenças significativas entre o número de citações obtidas em estudos brasileiros, russos e indianos. Conclusão. O Brasil é o maior produtor de conhecimento em neurociência da América Latina e o segundo entre os países do BRICS, o que mostra suas potencialidades no escopo.

 

Métricas

Carregando métricas...

Referências

Abi-Rached JM. From brain to neuro: The brain research association and the making of British neuroscience, 1965-1996. J Hist Neurosci 2012;21:189-213.http://dx.doi.org/10.1080/0964704X.2011.552413

Ventura DF. A report on the area of neuroscience and behavior in Brazil. Psicol Teor e Pesqui 2010;26(suppl. 1):123-9. http://dx.doi.org/10.1590/S0102-37722010000500011

Menezes J, Sosa P. Conhecendo o Sistema Nervoso : Ações de Divulgação e Popularização da Neurociência Junto a Estudantes da Rede Pública de Educação Básica. Ciência e Cognição 2014;19:233-41. http://www.cienciasecognicao.org/revista/index.php/cec/article/view/910

Trópia G. Reflexões sobre o discurso na divulgação neurocientífica. Ciência & Ensino 2008;2:1-9.

http://143.0.232.36:3537/ojs/index.php/cienciaeensino/article/viewFile/177/144

Romano-Silva MA, Correa H, Oliveira MCL, Quirino IG, Colosimo EA, Martelli DR, et al. Perfil e análise da produção científica dos pesquisadores brasileiros em Neurociência Clínica. Arch Clin Psychiatry (São Paulo) 2013;40:53-8. http://dx.doi.org/10.1590/S0101-60832013000200001

Brambilla SDS. Produção científica da UFRGS representada na Web of Science Scientific (2000-2009). Perspect em Ciência da Informação 2012;17:34-50. https://www.scielo.br/pdf/pci/v17n3/a04v17n3.pdf

Vanz SAS. As redes de colaboração científica no Brasil (2004-2006)(Tese). Porto Alegre: Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 2009. https://www.lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/17169/000711634.pdf

Guimarães JA. A pesquisa médica e biomédica no Brasil: comparações com o desempenho científico brasileiro e mundial. Cien Saude Colet 2004;9:303-27. http://dx.doi.org/10.1590/S1413-81232004000200009

Gonçalves RR, Kieling C, Bressan RA, Mari JJ, Rohde LA. The evaluation of scientific productivity in Brazil: An assessment of the mental health field. Scientometrics 2009;80:529-37. http://dx.doi.org/10.1007/s11192-008-2077-9

Leta J, Jacques R, Figueira I, De Meis L. Central international visibility of Brazilian psychiatric publications from 1981 to 1995. Scientometrics 2001;50:241-54. http://dx.doi.org/10.1023/A:1010569522632

Fiestas F, Gallo C, Poletti G, Bustamante I, Alarcón RD, Mari JJ, et al. Improving mental and neurological health research in Latin America: A qualitative study. BMC Public Health 2009;9:334. http://dx.doi.org/10.1186/1471-2458-9-334

Guimarães TT, Monteiro-Junior RS, Deslandes AC. A evolução da neurociência no Brasil: Uma comparação com os países da América Latina nos últimos 16 anos. Rev Neurocienc 2014;22:359-64. https://doi.org/10.4181/RNC.2014.22.03.939.6p

Lazzarotto Freitas J, Sampaio Rosas F, Miguel SE. Estudos métricos da informação em periódicos do Portal SciELO: visibilidade e impacto na Scopus e Web of Science. Palabra Clave (La Plata) 2017;6:21. http://dx.doi.org/10.24215/PCe021

SCImago (endereço na internet). SJR — SCImago Journal & Country Rank (acessado em 2018). Disponivel em: http://www.scimagojr.com

Hoppen NHF, Vanz SAS. Neurosciences in Brazil: a bibliometric study of main characteristics, collaboration and citations. Scientometrics 2016;109:121-41. http://dx.doi.org/10.1007/s11192-016-1919-0

Martelli-Junior H, Martelli DRB, Quirino IG, Oliveira MCLA, Lima LS, Oliveira EA. Pesquisadores do CNPq na área de medicina: comparação das áreas de atuação. Rev Assoc Med Bras 2010;56:478-83. http://dx.doi.org/10.1590/S0104-42302010000400024

Bressan RA, Gerolin J, Mari JJ. The modest but growing Brazilian presence in psychiatric, psychobiological and mental health research: Assessment of the 1998-2002 period. Brazilian J Med Biol Res 2005;38:649-59. http://dx.doi.org/10.1590/S0100-879X2005000500001

Saxena S, Levav I, Maulik P, Saraceno B. How international are the editorial boards of leading psychiatry journals? Lancet 2003;361:609. http://dx.doi.org/10.1016/S0140-6736(03)12528-7

Meis L, Velloso A, Lannes D, Carmo MS, Meis C. The growing competition in Brazilian science: Rites of passage, stress and burnout. Brazilian J Med Biol Res 2003;36:1135-41. http://dx.doi.org/10.1590/S0100-879X2003000900001

Nitrini R. The scientific production of Brazilian neurologists: 1995-2004. Arq Neuropsiquiatr 2006;64:538-42. http://dx.doi.org/10.1590/S0004-282X2006000300037

Publicado
2020-07-10
Como Citar
Xavier-Rocha, T., Oliveira, L., Cruz, V., Botelho, M. A., Santiago, C., Borges, P., Carneiro, L., & Monteiro Junior, R. (2020). A evolução da neurociência no Brasil - Estudo comparativo com os países da América Latina e BRICS - Atualização. Revista Neurociências, 28, 1-14. https://doi.org/10.34024/rnc.2020.v28.10405
Seção
Artigos Originais