Protocolo de Tratamento Fisioterápico da Dinâmica Respiratória em Pacientes com Lesão Medular Completa em Diferentes Níveis Cervicais e Torácico Baixo

Autores

  • Valdinéia Cândida Pereira
  • Sissy Veloso Fontes
  • José Augusto Perez
  • Marcia Maiumi Fukujima

DOI:

https://doi.org/10.34024/rnc.1998.v6.10335

Palavras-chave:

Lesão medular, fisioterapia respiratória

Resumo

A lesão medular é um evento devastador que ocorre em todos os países do mundo, independentemente do nível socioeconômico. No Brasil, a maioria das lesões são causadas por acidentes automobilísticos, e mais freqüentemente são completas no nível de C5-C7, causando tetraplegia. As lesões cervicais e torácicas altas causam a paralisia dos músculos abaixo do nível da lesão, dentre eles importantes músculos respiratórios, desta forma, as alterações respiratórias nestes pacientes são muito comuns e, em decorrência destas, surgem comprometimentos da função pulmonar, constituindo as causas mais comuns de incapacidade e morte. O tratamento fisioterápico respiratório é imprescindível e deve ser iniciado o mais precocemente possível e continuado por toda a vida do indivíduo, visando tanto ao tratamento profilático quanto ao curativo; porém, para que o tratamento obtenha maior efetividade, deve conter um programa específico para cada nível de lesão, já que as alterações biomecânicas dependem diretamente desse fator.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

1. Annunthred, D.; Schneider, F.J. Lesão medular traumática. In: Annunthred, D. Fisioterapia neurológica. São Paulo, Manole, 1994, p. 421-479.
2. Fraser, J.; Henrichsen, T.; Mok, Q.; Tasker, R.C. Prolonged mechanical ventilation as a consequence of acute illness. Arch Dis Child, 78(3): 253-6, 1998.
3. Howard, R.S.; Thorpe, J.; Barker, R.; Revesz, T. et al. Respiratory insufficiency to high anterior cervical cord infarction. J Neurol Neurosurg Psyquiatry, 64(3): 358-61, 1998.
4. Irwin, S.; Tecklin, J.; Wetzel, J.L.; Lunsford, R.B. et al. Reabilitação respiratória no paciente com lesão da medula espinhal. In: Irwin, S.; Tecklin, J. Fisioterapia cardiopulmonar. São Paulo, Manole, 1994, p. 513-537.
5. Johnson, R.L.; Brooks, C.A.; Whiteneck, G.G. Cost of traumatic spinal cord injury in a population-based registry. Spinal Cord, 34(8): 470-80, 1996.
6. Lissens, M.A.; Vanderstraeten, G.G. Motor evoked potentials of the respiratory muscles in tetraplegic patients. Spinal Cord, 34(11): 373-8, 1996.
7. Pajareya, K. Traumatic spinal cord injuries in Thailand: an epidemiologic study in Siriraj Hospital, 1989-1994. Spinal Cord, 34(10): 608-10, 1996.
8. Rutchik, A.; Weissman, A.R.; Almenoff, P.L.; Spungen, A.M. et al. Resistive inspiratory muscle training in subjects with chronic cervical spinal cord injury. Arch Phys Med Rehabil, 79(3): 293-7, 1998.
9. Sannohe, A.; Harata, S.; Ueyama, K.; Ito, J. et al. The prognosis and the treatment of patients with a C3/4 spinal cord injury. Spinal Cord, 34(8): 486-7, 1996.
10. Sullivan, O.B.; Schimitz, S.; Murray, M.F.; Thomas, J. Lesões traumáticas congênitas da medula espinhal. In: Sullivan, O.B. Fisioterapia, avaliação e tratamento. São Paulo, Manole, 1993, p. 709-725.
11. Viroslav, J.; Rosenblatt, R.; Tomazevic, S.M. Respiratory management, survival, and quality of life for high-level traumatic tetraplegics. Respir Care Clin N Am, 2(2): 313-22, 1996.

Downloads

Publicado

1998-06-30

Como Citar

Pereira, V. C., Fontes, S. V., Perez, J. A., & Fukujima, . M. M. (1998). Protocolo de Tratamento Fisioterápico da Dinâmica Respiratória em Pacientes com Lesão Medular Completa em Diferentes Níveis Cervicais e Torácico Baixo. Revista Neurociências, 6(2), 81–85. https://doi.org/10.34024/rnc.1998.v6.10335

Edição

Seção

Artigos Originais
Recebido em 2020-02-18
Publicado em 1998-06-30

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 3 4 5 > >>