Aspectos Psíquicos das Cefaléias Primárias

Autores

  • Selma Rumiko Tsuji
  • Deusvenir de Souza Carvalho

DOI:

https://doi.org/10.34024/rnc.2002.v10.10304

Palavras-chave:

Cefaléia primária, aspectos psíquicos, estresse, homeostase, biopsicossocial

Resumo

Houve aumento importante no conhecimento da neurociência quanto aos componentes neuroanatômicos, químicos e fisiológicos das cefaléias, com possibilidades diagnósticas e terapêuticas padronizadas. Do ponto de vista neuroquímico, preconiza-se o uso de medicações, entre outros, com mecanismos de atuação nos diferentes neurotransmissores: inibidores de recaptação de noradrenalina e serotonina, agonistas gabaérgicos, e antagonistas dopaminérgicos atípicos. Ao mesmo tempo, é vasto o número de estudos na literatura que detectam variáveis psíquicas de ansiedade, depressão, raiva e agressividade com abordagens quantitativas e qualitativas, e estudos clínicos científicos que associam o estresse e seus mecanismos na alteração da homeostase que alertam sobre a evolução crônica, caso não sejam manejadas adequadamente. Como o médico clínico ou o especialista em neurologia e especialmente o cefaliatra utilizarão estes conhecimentos de forma holística? Neste estudo, é enfocada a controvérsia na classificação diagnóstica das cefaléias primárias ao longo dos anos; a história do dualismo corpo e alma na história da medicina e que herdamos no ensino médico tradicional; a teoria do estresse no desencadeamento de sintomas físicos e psíquicos e a teoria psicanalítica correlacionada à formação dos sintomas de cefaléia. É abordada a necessidade de temas de psicologia no ensino médico desde o início da graduação e com prosseguimento na vida pós-acadêmica do médico em suas diferentes especialidades, por cursos de educação continuada, simpósios, congressos, etc. O objetivo é o acesso do médico ao psiquismo do paciente e desenvolvimento de sua função de ouvir, captar, entender e conter as angústias do paciente de forma global.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

1. Ulrich V, Russel MB, Jensen R, Olensen J. A comparison of tension-type headache in migraineurs: a populationbased study. Pain, 67:501-6, 1996.
2. Castillo J, Muñoz P, Guitera V, Pascual J. Epidemiology of Chronic Daily Headache in the General Population – Kaplan Award 1998. Headache, 39:190-6, 1999.
3. Scher AI, Stewart WF, Liberman J, Lipton RB. Prevalence of Frequent Headache in a Population Sample – Wolff Award 1998. Headache, 38:497-506, 1998.
4. Moreira MS. Psiconeuroimunologia: a superação do dualismo cartesiano. Inform Psiq, 18(3):90-5, 1999.
5. Ficek SK, Wittrock DA. Subjective stress and coping in recurrent tension-type headache. Headache, 35:455-60, 1995.
6. Karpouzis KM, Egilius BS, Spierings LH. Circumstances of onset of chronic headache in patients attending a specialty practice. Headche, 39:317-20, 1999.
7. De Beneditis G, Lorenzetti A. Minor stressful life events (daily hassles) in chronic primary headache: relationship with MMPI personality patterns. Headache, 32:330-32, 1992.
8. Hatch JP, Schoenfeld LS, Boutros NN, Seleshi E, Moore PJ, Cyr-Provost M. Anger and hostility in tension-type headache. Headache, 31:302-4, 1991.
9. Venable VL, Carlson CR, Wilson J. The role of anger and depression in recurrent headache. Headache, 41:21-30, 2001.
10. Materazzo F, Cathcart S, Pritchard D. Anger, depression and coping interactions in headache activity and adjustment: a controlled study. J Psychosom Res, 49:6975, 2000.
11. Jensen VL, Turner JA, Romano JM, Karoly P. Coping with chronic pain: a critical review of the literature – Review article. Pain, 47:249-83, 1991.
12. Spira PJ. Tension headache. Austr Fam Physician, 27(7):597-600, 1998.
13. Souza Carvalho D. O mito da cefaléia psicogênica. Psiq Prat Med, 34(1):18-20, 2001.
14. Headache Classification Committee. Classification and diagnostic criteria for headache disorders, cranial neuralgias and facial pain. Cephalalgia, 8(Suppl 7):1-96, 1988.
15. Chrousos GP, Gold PW. The concepts of stress and stress system disorders. JAMA, 67(9):1244-52, 1992.
16. Belmonte TSA. Psicanálise, psicossomática, psicologia médica. Inform Psiq, 15(1):16-21, 1966.
17. Moreira MS. Psiconeuroimunologia: considerações conceituais. Inform Psiq, 18(2):40-2, 1999.
18. Chrousos GP, Gold PW. Editorial: A healthy body in a healthy mind and vice-versa – The damaging power of “uncontrollable” stress. JCE & M, 83(6):1842-5, 1998.
19. Mc Ewen BS. Protective and damaging effects of stress mediators – Review article. N Engl J Med, 338(3):171-9, 1998.
20. Del Bel EA. Bases moleculares. In: Fundamentos da psicofarmacologia. Graeff FG, Guimarães FS (eds.). São Paulo, Editora Atheneu, 1999, pp. 29-42.
21. Fenichel O. Os pontos de vista dinâmico, econômico e estrutural. In: Teoria psicanalítica das neuroses. Rio de Janeiro/São Paulo, Livraria Atheneu, 1981, pp. 9-19.
22. Freud S. Além do princípio do prazer. In: Edição standard brasileira das obras psicológicas completas de Sigmund Freud. Rio de Janeiro, Imago Editora, 1976; VI.XVIII (19201922), pp. 17-22.
23. Fenichel O. Distúrbios psicossomáticos. In: Teoria psicanalítica das neuroses. Rio de Janeiro/São Paulo, Livraria Atheneu, 1981, pp. 221-49.

Downloads

Publicado

2002-09-30

Como Citar

Tsuji, S. R., & Carvalho, D. de S. (2002). Aspectos Psíquicos das Cefaléias Primárias. Revista Neurociências, 10(3), 129–136. https://doi.org/10.34024/rnc.2002.v10.10304

Edição

Seção

Artigos Originais
Recebido em 2020-02-18
Publicado em 2002-09-30

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)