Verdade e infortúnio na tragédia de Aristóteles: uma defesa da poesia

  • Lúcia Rocha Departamento de Filosofia da Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Palavras-chave: Aristóteles, tragédia, natureza, verdade, infortúnio

Resumo

Em Aristóteles, a relação da tragédia com a verdade mostra-se especialmente no capítulo IX da Poética, pela noção de “verossimilhança” (kata to eikon). Para o filósofo, a poesia diz respeito, antes de tudo, ao que parece verdade, ou ao que “poderia acontecer”, tendo ou não acontecido de fato. Sem desconsiderar a importância do verossímil na Poética, propomos, neste artigo, pensar o sentido da verdade para a tragédia a partir da noção de natureza (physis) que aparece nos capítulos IV e VII, e que compreende a concepção de arte (tékhnê) e de poesia, mímesis.

Referências

ARISTÓTELES. Ethica Nicomachea I 13 – III 8. Tratado da virtude moral. Tradução, notas e comentário Marco Zingano. São Paulo, Odysseus/FAPESP, 2008.
______. La Poétique. Traduction et notes Roselyne Dupont-Roc et Jean Lallot. Paris, Éditions du Seuil, 1980.
______. Metafísica. Tradução de Leonel Vallandro. Porto Alegre, Globo, 1972.
______. Poética. Tradução, notas e comentário Eudoro de Sousa. Lisboa, Imprensa Nacional/Casa da Moeda, 2000.
______. Retórica das Paixões. Trad. Ísis Borges B. da Fonseca. São Paulo, Martins Fontes, 2000.
PLATÃO. A República. Tradução e notas Anna Lia de A. Prado. São Paulo: Martins Fontes, 2014.
SÓFOCLES. Édipo Rei. Tradução Trajano Vieira. São Paulo, Perspectiva/FAPESP, 2001.
______. Rei Édipo. Tradução e notas Maria do Céu Zambujo Fialho. Lisboa: Edições 70, 1995. Nacional/Casa da Moeda, 2000. (Clássicos Gregos e latinos).
Publicado
2019-09-20
Como Citar
Rocha, L. (2019). Verdade e infortúnio na tragédia de Aristóteles: uma defesa da poesia. Revista Limiar, 6(11), 69-84. https://doi.org/10.34024/limiar.2019.v6.9758