Tarefa infinita:

Walter Benjamin e a relação entre linguagem e vida

  • Márcio Jarek Doutor em filosofia pela PUC-Rio, professor da Universidade Tecnológica Federal do Paraná – UTFPR.
Palavras-chave: Walter Benjamin, vida, tarefa, linguagem, crítica

Resumo

Este trabalho visa apresentar uma detalhada análise do primeiro trabalho mais consistente de crítica literária elaborado por Walter Benjamin e, por meio desta apresentar, igualmente, a gênese da compreensão do papel da linguagem na tarefa de “dar forma” à vida. Mais precisamente procuramos apresentar o imbricamento entre crítica, linguagem e vida relacionados ao conceito de tarefa (Aufgabe) que aparece no escrito Dois poemas de Friedrich Hölderlin, publicado em 1915. Esse decisivo trabalho traz uma sofisticada gama de influências que vão do pensamento de Søren Kierkegaard até alguns elementos vitalistas do pensamento neokantiano, passando pelo Romantismo e pela tradição judaica e constitui uma excêntrica formulação crítica acerca das relações entre vida e linguagem. Formulação esta que será, posteriormente, indispensável para a constituição das reconhecidas teorias benjaminianas sobre a linguagem, a crítica e a tradução.

Referências

BENJAMIN, Walter Gesammelte Schriften, v. II, parte I (Metaphysisch-geschichtsphilosophische Studien). Org. de Rolf Tiedemann e Hermann Schweppenhaüser. Frankfurt am Main: Suhrkamp Verlag, 1991.

Escritos sobre mito e linguagem (1915-1921). Org., apres. e notas J. M. Gagnebin e trad. S. K. Lages e E. Chaves. São Paulo: Duas Cidades; Editora 34, 2011.

O conceito de crítica de arte no romantismo alemão. 3a ed. Trad., introd. e notas M. Seligmann-Silva. São Paulo: Iluminuras, 2002.

Ensaios reunidos: escritos sobre Goethe. Trad. M. K. Bornebrusch, I. Aron e S. Camargo. São Paulo: Duas Cidades; Ed. 34, 2009.

ABADI, Florencia. Walter Benjamin y el proyecto (no realizado) de uma tesis doctoral sobre el concepto de “tarea infinita” en la filosofia de la historia de Kant. Diánoia, México, v. 58, n. 70, p. 89-111, 2013. Disponível em: <http://www.scielo.org.mx/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0185-24502013000100004&lng=es&nrm=iso>. Acesso em: 15 set. 2015.

BAIGORRIA, Miguel. Cripto-populismo: Benjamin, Hölderlin, y los “días de agosto”.

Exlibris, Revista do Departamento de Letras da Universidade de Buenos Aires. Buenos Aires, ano 1, n. 1, p. 196-219, 2012. Disponível em: < http://www.filo.uba.ar/contenidos/carreras/letras/exlibris/archivo/1/investigacion/investigacion1.pdf>. Acesso em: 10 ago. 2015.

BERDET, Marc. Walter Benjamin: la passion dialectique. Paris: Armand Colin, 2014.

BIRNBAUM, Antonia. Bonheur justice Walter Benjamin: le détour grec. Paris: Payot, 2008.

CAYGILL, H. Dicionário Kant. Trad. A. Cabral e rev. téc. V. Rohden. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2000.

CHAVES, Ernani. No limiar do moderno. Um estudo sobre Friedrich Nietzsche e Walter Benjamin. Belém: Paka Tatu, 2003.

FICHTE, Johann Gottlieb; SCHELLING, Friedrich Wilhelm Joseph. Fichte e Schelling - Escritos filosóficos. Trad. R. R. Torres Filho. São Paulo: Abril Cultural, Coleção Os pensadores, 1973.

GAGNEBIN, Jeanne Marie. Limiar, aura e rememoração: ensaios sobre Walter Benjamin. São Paulo: Ed. 34, 2014.

GATTI, Luciano. Constelações: crítica e verdade em Benjamin e Adorno. São Paulo: Edições Loyola, 2009.

HEGEL, Georg. Cursos de estética. Vol. 1. Trad. M. A. Werle e rev. téc. M. SeligmannSilva. São Paulo: Edusp, 1999.

KIERKEGAARD, Soren. Estética y ética en la formación de la personalidad. Buenos Aires: Editorial Nova, 1955.

KRAMER, S.; JOBIM, S.; SOUZA, S. (Orgs.). Política, Educação, Cidade: itinerários de Walter Benjamin. Rio de Janeiro: Contraponto/ Editora PUC-Rio, 2009.

LAVELLE, Patricia. Religion et histoire: sur le concept d’expérience chez Walter Benjamin. Paris: Cerf, 2008.

MURICY, Kátia. Dialética do olhar. Imagem e pensamento em Walter Benjamin. Rio de Janeiro: Nau, 2009.

NOVALIS. Pólen: fragmentos, diálogos, monólogo. Tradução, apresentação e notas de Rubens Rodrigues Torres Filho. São Paulo: Iluminuras, 1988.

SCHNEIDER, Paulo R. A contradição da linguagem em Walter Benjamin. Ijuí: Editora Unijuí, 2008.

SCHOUTEN, André K. M. Canteiro de obras: arquivos de antropologia. Pesquisa de doutorado em antropologia social da Universidade de São Paulo (2012). Disponível em: <http://arquivoswbdeantropologia.net.br>. Acesso em: 20 set. 2015.

SUAREZ, Rosana. Nota sobre o conceito de Bildung (Formação cultural). Revista Kritérion, Belo Horizonte, v. 46, n.º 112, p. 191-198, dez. 2005. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-2X2005000200005&lng=pt&nrm=iso>. Acesso em: 20 ago. 2015.

TAGLIACOZZO, Tamara. Esperienza e compito infinito nella filosofia del primo Benjamin. Roma: Quodlibet, 2003.

Publicado
2019-03-24
Como Citar
Jarek, M. (2019). Tarefa infinita:. Revista Limiar, 5(9), 131-146. https://doi.org/10.34024/limiar.2018.v5.9195