Sobre escrita e revolução em Walter Benjamin

tendência política e tecedura literária em "O autor como produtor"

Autores

  • Gilmário Costa Universidade Federal de Goiás

DOI:

https://doi.org/10.34024/limiar.2022.v9.12794

Palavras-chave:

escrita, revolução, tendência, tecedura, práxis

Resumo

O presente artigo pretende analisar as relações entre escrita e revolução no ensaio “O autor como produtor”, de Walter Benjamin. Nele, o pensador alemão orienta a sua reflexão pelo duplo desafio que os vínculos entre escrita e revolução impõe ao trabalho filosófico. O primeiro corresponde ao exame da função crítica do intelectual relativamente à própria classe, da qual resultaria determinada atitude teórica e prática a respeito das mistificações do capitalismo, além da clareza das diferenças entre a práxis intelectual e a práxis proletária. O segundo redimensiona o problema dos vínculos entre forma e conteúdo com instrumentos teóricos mais dialéticos, com os quais pretende examinar a tendência política e a tecedura literária de algumas obras. Tal será o percurso que seguiremos.

Referências

ADORNO, Theodor; BENJAMIN, Walter. Correspondência, 1928-1940. Tradução de José Marcos M. de Macedo. 2. ed. São Paulo: Ed. Unesp, 2012.

BENJAMIN, Walter. As afinidades eletivas de Goethe. Tradução de Mônica Krausz Bornebusch. In: Escritos reunidos: escritos sobre Goethe. Tradução de Mônica Krausz Bornebusch, Irene Aron e Sidney Camargo. São Paulo: Duas Cidades; Editora 34, 2009.

_____. Diário parisiense e outros escritos. Organização e tradução de Carla Milani Da-mião e Pedro Hussak. São Paulo: Hedra, 2020.

_____. Documentos de cultura, documentos de barbárie (escritos escolhidos). Seleção e apresentação de Willi Bolle; tradução de Celeste H. M. Ribeiro de Sousa et. al. São Pau-lo: Cultrix/Edusp, 1986.

_____. Ensaios sobre Brecht. Tradução de Claudia Abeling. São Paulo: Boitempo, 2017a.

_____. Estética e sociologia da arte. Edição e tradução de João Barrento. Belo Horizonte: Autêntica, 2017b.

_____. Gesammelte Schriften II. Frankfurt am Main: Suhrkamp, 1991a.

_____. Gesammelte Schriften III. Frankfurt am Main: Suhrkamp, 1991b.

BENJAMIN, Walter; SCHOLEM, Gerschom. Correspondência, 1933-1940. Tradução de Neusa Soliz. São Paulo: Perspectiva, 1993.

BUCK-MORSS, Susan. Walter Benjamin, escritor revolucionario. Traducción de Ma-riano López Scoane. Buenos Aires: Interzona, 2005.

DAMIÃO, Carla Milani. Apresentação. In: Diário parisiense e outros escritos. Organi-zação e tradução de Carla Milani Damião e Pedro Hussak. São Paulo: Hedra, 2020.

HERING, Christoph. Der Intellektuelle als Revolutionär: Walter Benjamins Analyse intel-lektueller Praxis. München: Wilhelm Fink Verlag, 1979.

KAMBAS, Chryssoula A. Positionierung des Linksintellektuellen im Exil. In: LINDNER, Burckhardt (Hrsg.). Benjamin Handbuch: Leben – Werk – Wirkung. Stuttgart/Weimar: J. B. Metzler, 2011.

_____. Walter Benjamin im Exil: zum Verhältnis von Literaturpolitik und Ästhetik. Tübingen: Max Niemeyer, 1983.

THIELEN, Helmut. Eingedenken und Erlösung: Walter Benjamin. Würzburg: Königshau-sen & Neumann, 2005.

Downloads

Publicado

2022-08-16

Como Citar

Costa, G. (2022). Sobre escrita e revolução em Walter Benjamin: tendência política e tecedura literária em "O autor como produtor". Revista Limiar, 9(17), 173–195. https://doi.org/10.34024/limiar.2022.v9.12794

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

Obs .: Este plugin requer que pelo menos um plugin de estatísticas / relatório esteja ativado. Se seus plugins de estatísticas fornecerem mais de uma métrica, selecione também uma métrica principal na página de configurações do site do administrador e / ou nas páginas de configurações do gerente da revista.