A lição de Beethoven

  • Ernani Chaves Universidade Federal do Pará
Palavras-chave: estilo tardio, subjetividade, convenção, morte

Resumo

O artigo pretende indicar em que medida a leitura de “O estilo tardio de Beethoven”, de Theodor W. Adorno foi decisivo para a redação e compreensão do famoso capítulo VIII do Doutor Fausto, de Thomas Mann. Sabe-se, pela correspondência, pelo diário e pelo livro acerca da gênese do seu romance, que Mann relatou, com detalhes, sua relação com Adorno, na época da redação do livro. Com isso pretende-se mostrar que existem dois aspectos da interpretação de Adorno que, impregnam, sobremaneira, o capítulo VIII. Primeiro, a crítica de uma interpretação psicológica das obras tardias do famoso compositor e segundo, o modo pelo qual, segundo Adorno, o Beethoven tardio reelabora as relações entre subjetividade e objetividade, entre criador e obra.

Publicado
2020-10-09
Como Citar
Chaves, E. (2020). A lição de Beethoven. Revista Limiar, 7(13), 50-65. https://doi.org/10.34024/limiar.2020.v7.10894