Liberdade e Autonomia

Repensando as formas da revolução em Beethoven

  • Jorge de Almeida USP
Palavras-chave: Ludwig van Beethoven, Revolução Francesa, Theodor Adorno, John Eliot Gardiner, Filosofia da Música, Romantismo

Resumo

Este ensaio tem como objetivo refletir sobre algumas questões importantes da história da recepção da obra de Ludwig van Beethoven, por ocasião dos 250 anos de seu nascimento. Diante das descobertas de John Eliot Gardiner sobre a existência de “citações subversivas” inseridas em suas sinfonias, argumentamos que é necessário repensar os fundamentos de uma tradição filosófica de interpretação estética (cujos representantes principais são E. T. A. Hoffmann e Theodor Adorno) que elegeu a autonomia como critério histórico, crítico e filosófico para a justa apreciação das relações entre música e política na obra de Beethoven. 

Referências

ADORNO, Theodor. Teoria Estética. Trad. de Artur Morão. Lisboa: Edições 70, 2011.
ADORNO, T. W. Beethoven, Philosophie der Musik. Edição de Rolf Tiedemann. Frankfurt: Suhrkamp, 1993.
CADENBACH, Rainer. “5. Symphonie c-Moll op. 67”. In RIETHMÜLLER, Albrecht (org.) Beethoven, Interpretationen seiner Werke. Darmstadt: WBG, 1996. P.408-502
CORREA DE OLIVEIRA, Willy. Beethoven: proprietário de um cérebro. São Paulo: Perspectiva, 1979.
GARDINER, John Eliot. “A Revolutionary Approach to Beethoven”. New York Times, 14 de fevereiro de 2020. URL:https://www.nytimes.com/2020/02/14/arts/music/beethoven-symphonies-carnegie.html. Acesso em 2 de julho de 2020.
HAUSER, Arnold. História social da arte e da literatura. Trad. de Alvaro Cabral. São Paulo: Martins Fontes, 1995,
HOFFMANN, E. T. A. “Resenha da Quinta Sinfonia, op.67, de Beethoven” (excerto). Tradução e notas de Bruno Berlendis de Carvalho. São Paulo: Literatura e Sociedade Vol. 17 No. 16, 2012; p. 140-147.
HOFFMANN, E. T. A. “A música instrumental de Beethoven”. Tradução e notas de Bruno Berlendis de Carvalho. São Paulo: Literatura e Sociedade Vol. 17 No. 16, 2012; p. 132-139.
KAWANO, Marta e BERLENDIS, Bruno. “E. T. A. Hoffmann e a música instrumental de Beethoven”. São Paulo: Literatura e Sociedade Vol. 17 No. 16, 2012; p.115-130.
LEFEBVRE, Georges. Napoleon. New York: Routledge, 2011.
LOCKWOOD, Lewis. Beethoven's Symphonies: An Artistic Vision. Nova York: Norton, 2015.
ROLLAND, Romain, Vida de Beethoven, Trad. de Lilian Aquino. in GALINDO, João Maurício, Beethoven, as muitas faces de um gênio. São Paulo: Editora Contexto, 2019.
Publicado
2020-10-09
Como Citar
de Almeida, J. (2020). Liberdade e Autonomia. Revista Limiar, 7(13), 13-27. https://doi.org/10.34024/limiar.2020.v7.10881