A Recepção da antiga Mesopotâmia no cinema

Uma viagem pelo universo da escrita em movimento e seus antepassados artístico-literários

Autores

  • Maria de Fátima Rosa Universidade Nova de Lisboa

DOI:

https://doi.org/10.34024/herodoto.2019.v4.10962

Palavras-chave:

Filmes, Babilônia, Assíria, Sardanápalo, Torre de Babel

Resumo

Este breve estudo pretende analisar a forma como a antiga Mesopotâmia foi recebida no cinema norte-americano e europeu do séc. XX, tendo em conta as suas múltiplas influências artísticas e literárias. Através de curtas e longas metragens, sobretudo das décadas de 10, 20, 50 e 60 da passada centúria, analisar-se-ão algumas das personagens e episódios mais importantes que foram retratados nas telas cinematográficas referentes à Assíria e Babilónia. O estudo terá em conta o facto de o cinema não ser alheio a outras formas de expressão visual ou literária, recolhendo destas vários elementos. De entre as suas influências, destacam-se os quadros de Pieter Bruegel, Gustave Doré ou John Martin, ou as composições literárias de Voltaire, Pietro Metastasio ou Lord Byron. Por outro lado, o cinema também não foi alheio ao seu próprio contexto sociopolítico, estando os filmes produzidos intimamente dependentes dos seus contornos sociais e ideológicos. São aspectos como estes que propomos analisar.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria de Fátima Rosa, Universidade Nova de Lisboa

Professora Auxiliar Convidada, Universidade NOVA de Lisboa.

Publicado

2020-07-27

Como Citar

Rosa, M. de F. (2020). A Recepção da antiga Mesopotâmia no cinema : Uma viagem pelo universo da escrita em movimento e seus antepassados artístico-literários . Heródoto: Revista Do Grupo De Estudos E Pesquisas Sobre a Antiguidade Clássica E Suas Conexões Afro-asiáticas, 4(2), 59–90. https://doi.org/10.34024/herodoto.2019.v4.10962

Edição

Seção

Dossiê / Dossier