Notas acerca do exílio natural em Álvaro de Campos

Conteúdo do artigo principal

Mauro Rovai

Resumo

O objetivo deste texto é tentar compreender a noção de exílio presente nos versos do livro Vida e obras do Engenheiro (1990) de Álvaro de Campos. O uso da palavra exílio pelo poeta está mais próximo da ideia de uma alma errante (como diz Teresa Rita Lopes) do que da noção comum de exílio - entendida como aquele que está afastado do lugar de pertença.  Considerando isto, estudaremos a forma como o poeta articula as imagens evocadas por este tipo particular de exílio, que aparece sob a capa de exílio natural (num poema escrito em 06/01/1930) e depois exploraremos uma série de outros termos que ecoam ao longo do livro, como por exemplo abandono, exclusão, turista, estrangeiro, estranho, esquecer e lembrar. Embora o foco da análise seja o livro acima mencionado, faremos também uso de outros poemas e notas do Álvaro de Campos e passagens da obra de Fernando Pessoa. A ideia é estabelecer possíveis ligações entre sociologia e literatura, utilizando a discussão dos escritos do poeta como principal abordagem metodológica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Detalhes do artigo

Como Citar
ROVAI, M. Notas acerca do exílio natural em Álvaro de Campos. EXILIUM Revista de Estudos da Contemporaneidade, [S. l.], v. 3, n. 4, p. 139–160, 2022. DOI: 10.34024/exilium.v3i4.13154. Disponível em: https://periodicos.unifesp.br/index.php/exilium/article/view/13154. Acesso em: 3 dez. 2022.
Seção
Dossiê
Biografia do Autor

Mauro Rovai, Unifesp

Professor de Sociologia do Departamento de Ciências Sociais da Unifesp.