Mundos em contraponto: exílio e memória em Edward Said

Conteúdo do artigo principal

Alessandra El Far
https://orcid.org/0000-0002-7998-3710

Resumo

Este artigo procura explorar o diálogo entre dois textos de Edward Said: o artigo Reflexões sobre o exílio, publicado em 1984 na revista inglesa Granta, e suas memórias, escritas entre 1994 e 1999, que receberam por título a expressão em inglês Out of place. Se, em suas memórias, Said repetidas vezes faz referência sobre o sentimento de deslocamento que o acompanhou por toda a vida, em razão de ter nascido em Jerusalém e crescido no Egito, onde também recebeu educação ocidental; em Reflexões sobre o exílio, Said aponta na experiência do exílio a possibilidade de sobrepor mundos, como alude o conceito contrapontística, na teoria musical, conferindo ao sujeito deslocado, apartado de sua terra natal, a justaposição de diferentes perspectivas culturais, algo capaz de reduzir essencialismos e ampliar a “originalidade da visão”. Este artigo procurará analisar igualmente as memórias de Edward Said como um lugar de fala e, nesse sentido, como uma narrativa que ao lançar luz às experiências coloniais vividas por ele desde a infância acaba por estabelecer fortes vínculos com sua própria obra intelectual.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Detalhes do artigo

Como Citar
EL FAR, A. Mundos em contraponto: exílio e memória em Edward Said. EXILIUM Revista de Estudos da Contemporaneidade, [S. l.], v. 3, n. 4, p. 17–38, 2022. DOI: 10.34024/exilium.v3i4.13142. Disponível em: https://periodicos.unifesp.br/index.php/exilium/article/view/13142. Acesso em: 6 dez. 2022.
Seção
Dossiê
Biografia do Autor

Alessandra El Far, Unifesp

Professora de Antropologia no Departamento de Ciências Sociais, da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp)