Cidadãos excepcionais: religião, genocídio e terras nos Estados Unidos e em Israel / Palestina

Conteúdo do artigo principal

Eric Cheyfitz
Leandra Yunis

Resumo

Este ensaio aborda o paralelo histórico entre o genocídio dos indígenas norte-americanos, que caracterizaram a expansão para o Oeste na formação da nação estadunindense, e o genocídio do povo palestino, sob a política expansionista e militarista do Estado de Israel. O autor sublinha o paralelo entre as narrativas religiosas excepcionalistas (do “povo escolhido”) que servem de suporte ideológico para legitimar o processo violento pelo qual se estabelecem os regimes “democráticos” em ambos os casos, nos quais a dominação se codifica em códigos legais de políticas fundiárias expropriadoras e no estabelecimento de um estatuto excepcional para os cidadãos de uma nação (colonizada) dentro da outra (colonizadora).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Detalhes do artigo

Como Citar
CHEYFITZ, E.; YUNIS, L. Cidadãos excepcionais: religião, genocídio e terras nos Estados Unidos e em Israel / Palestina. EXILIUM Revista de Estudos da Contemporaneidade, [S. l.], v. 2, n. 1, p. 211–226, 2021. DOI: 10.34024/exilium.v2i1.12904. Disponível em: https://periodicos.unifesp.br/index.php/exilium/article/view/12904. Acesso em: 25 jan. 2022.
Seção
Crítica da Contemporaneidade
Biografia do Autor

Eric Cheyfitz, Universidade de Cornell

Professor da Cátedra Ernest I. White de Estudos Americanos e Letras Humanas na Universidade de
Cornell, ex-diretor do American Indian and Indigenous Studies Program, e docente de Literatura nativa americana, filosofias indígenas e legislação indígena federal dos EUA na mesma instituição.

Recebido em 2021-10-29
Publicado em 2021-11-29