O ideal do otium e a modernidade “não trabalhem nunca”

Conteúdo do artigo principal

Maria Teresa Ricci

Resumo

O artigo propõe uma breve história da noção de “otium” desde a Antiguidade até os nossos dias. Mostra como, na Grécia antiga, a vida ociosa é considerada honorável e o trabalho é condenado, entendido no sentido de ausência de liberdade e de busca de riqueza como um fim em si mesma. Essas ideias reaparecem no curso da história, por exemplo, na tratadística do comportamento que floresce no Renascimento, nos ideais cortesãos, assim como entre as classes marginais da sociedade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Detalhes do artigo

Como Citar
RICCI, M. T. O ideal do otium e a modernidade: “não trabalhem nunca”. EXILIUM Revista de Estudos da Contemporaneidade, [S. l.], v. 1, n. 2, p. 109–124, 2021. DOI: 10.34024/exilium.v1i2.12220. Disponível em: https://periodicos.unifesp.br/index.php/exilium/article/view/12220. Acesso em: 21 set. 2021.
Seção
Crítica da Contemporaneidade
Biografia do Autor

Maria Teresa Ricci, Université de Tours

 Mestra em Filosofia e doutora em Literatura Comparada, professora de Língua e Literatura Italina na Universidade de Tours, na França.