Contratos Administrativos: A Importância do Acompanhamento e Fiscalização da Execução

  • Luciana Marinho Prefeitura Municipal de Paulínia, Município de Paulínia, São Paulo, Brasil
  • Maria Christina S. F Cervera Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará

Resumo

Resumo: Apesar de toda a evolução na transparência, governança e existência de órgãos de controle, ainda ocorrem eventos de superfaturamento e/ou atrasos em obras públicas, compras inadequadas ou com sobre preço. Toda a administração pública deve observar a Lei 8666/93 para realizar as contratações administrativas, todavia, após a assinatura do contrato nem sempre há efetivo acompanhamento e fiscalização da execução contratual. Desta forma, o fiscal do contrato não é útil apenas para a Administração Pública, mas para a sociedade em geral, por reduzir ou evitar custos públicos desnecessários. O objetivo geral deste artigo é demonstrar a importância do acompanhamento e fiscalização na fase de execução dos contratos administrativos. A metodologia aplicada foi qualitativa e explicativa, por meio de revisão de bibliografia em bancos de dados acadêmicos e análise de legislação pertinente. A análise da literatura e a experiência dos autores mostra que fatores como escasso número de servidores, tanto em quantidade como com capacitação de conhecimentos específicos relacionados com a execução contratual são justificativas para erros. Por outro lado, inclusive pela gravidade das sanções que podem ser impostas aos servidores, a Administração Pública deveria dar meios para o exercício da função. Destaca-se atribuir ao fiscal a responsabilidade pelo acompanhamento e fiscalização da execução contratual é uma tendência, mas caberia ao gestor, preparar, coordenar, acompanhar e concluir os atos de contrato, sendo figuras e funções complementares. Salienta-se que o trabalho articulado de ambos representa um ganho para a gestão pública, desta forma, percebe-se que a contratação pública envolve responsabilidade e planejamento para estabelecer contratos de compra com qualidade e preço justo, beneficiando os cidadãos.

 

Palavras-chave: contratos públicos, Lei 8666/93; gestor de contrato; fiscal de contrato; aquisições na administração pública

 

Abstract: Despite the increase in transparency level, governance and existence of control bodies, there are still events of over-invoicing and / or delays in public works, inadequate or over-priced purchases. All public administration must observe Law 8666/93 to carry out administrative contracting, however, after the signing of the contract, there is not always effective monitoring and control of contractual performance. In this way, the contract auditor is not only useful for the Public Administration, but for society in general, for reducing or avoiding unnecessary public costs. The general objective of this article is to demonstrate the importance of monitoring and supervision in the execution phase of administrative contracts. The applied methodology was qualitative and explanatory, through a review of bibliography in academic databases along with analysis of pertinent legislation. The exploration of the literature in this subject and the experience of the authors show that factors such as scarce number of servers, both in quantity and with specific knowledge related to contractual execution, are justifications for errors. On the other hand, even by the severity of the sanctions that can be imposed on the civil servants, the Public Administration should give means and develop capacities for the exercise of the function. The attribution of responsibility only to the fiscal for monitoring and supervising contractual execution is a trend, but it would be up to the manager to prepare, coordinate, monitor and complete the contract acts. So are the two of them complementary figures. It should be noted that the articulated work of both represents gain for the public management. In this way, it is perceived that the public contracting involves responsibility and planning to establish contracts with quality and fair price, benefiting the citizens.

 

Keywords: public contracts, Law 8666/93; contract manager contract fiscal; acquisitions in public administration

Referências

ALVES Jr., D.R., (2010). Proposta de um conjunto de atribuições do gestor de contratos na Câmara dos Deputados. Universidade Católica de Brasília, Brasília, DF, Brasil. Recuperado em 30 setembro, 2015 de http://bd.camara.gov.br/bd/bitstream/handle/bdcamara/9395/proposta_conjunto_alvesjunior.pdf?sequence=1.

ANDRADE, F.C.M. de. (2008). Elementos do Direito. (2. ed.) São Paulo: Premier Máxima.

BARBOSA, L.S. (2013). Responsabilidade do gestor de contratos e convênios perante o Tribunal de Contas da União. Monografia (Especialização), Instituto Brasiliense de Direito Público, Brasília, DF, Brasil. Recuperado em 21 outubro, de 2015 de http://dspace.idp.edu.br:8080/xmlui/bitstream/handle/123456789/1375/Artigo_Leonardo%20Silva%20Barbosa.pdf?sequence=1.

BELO HORIZONTE (2013). Decreto Municipal n. 15.185, de 04 de abril de 2013. Dispõe sobre a criação das funções de gestor e fiscal de contratos administrativos no âmbito da administração direta e indireta do município de Belo Horizonte. Belo Horizonte, Brasil. Recuperado em 21 outubro, 2015 de https://leismunicipais.com.br/a/mg/b/belo-horizonte/decreto/2013/1518/15185/decreto-n-15185-2013-dispoe-sobre-a-criacao-das-funcoes-de-gestor-e-fiscal-de-contratos-administrativos-no-ambito-da-administracao-direta-e-indireta-do-municipio-de-belo-horizonte.html

BORBA FILHO, M.F. (2014). Estudo exploratório da satisfação no trabalho de fiscais de contrato na administração pública brasileira. Monografia (Bacharelado em Gestão de Políticas Públicas), Universidade de Brasília- UNB, Brasília, DF, Brasil.

BRASIL (1993). Lei Nº 8.666, de 21 de junho de 1993. Regulamenta o art. 37, inciso XXI, da Constituição Federal, institui normas para licitações e contratos da Administração Pública e dá outras providências. Brasília. 1993. Recuperado em 25 agosto, 2015, de http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L8666cons.htm.

BRASIL (2008). Instrução Normativa 02, de 30 de abril de 2008. Dispõe sobre regras e diretrizes para contratação de serviços continuados ou não. Recuperado em 30 setembro de 2015 em http://www.comprasnet.gov.br/legislacao/in/in02_30042008.htm.

COSTA, A.F. da (2013). Aspectos gerais sobre o fiscal de contratos públicos. Revista Jus Navegandi. Teresina, 18(3653), 2 jul. 2013. Recuperado em 30 setembro, 2015 de http://jus.com.br/artigos/24855/aspectos-geraissobre-o-fiscal-de-contratos-publicos#ixzz3JdRFBi88.

CURITIBA (2009). Decreto Municipal No 1.644, de 17 de dezembro de 2009. Aprova o regulamento de contratos, convênios, acordos e outros ajustes no âmbito da administração municipal. Curitiba, Brasil. Recuperado em 21 outubro, 2015 de https://leismunicipais.com.br/a/pr/c/curitiba/decreto/2009/164/1644/decreto-n-1644-2009-aprova-o-regulamento-de-contratos-convenios-acordos-e-outros-ajustes-no-ambito-da-administracao-municipal.html

DI PIETRO, M.S.Z. (2005). Direito Administrativo. 18ª ed. São Paulo: Editora Atlas.

GARCIA, J. da C.L., RODRIGUES, S. O., MIRANDA, G. de O. & LIMA, M. J. (2011). Manual de orientações do gestor e fiscal de contratos. [Manual] Unirio, Rio de Janeiro, Brasil. Recuperado em 30 agosto, 2015, de http://www.unirio.br/daa/dicon/manual-do-gestor.

GIL. A.C. (2008). Métodos e técnicas de pesquisa social. 6ª ed São Paulo: Atlas.

GONÇALVES, J. de A.A. (2012). Da inexecução dos contratos administrativos e suas consequências. Recuperado em 21 setembro, 2015 de http://www.jurisway.org.br/v2/dhall.asp?id_dh=7662

HAHN, S.J. (2011). A responsabilidade dos fiscais dos contratos administrativos: conflitos da relação entre o procedimento ideal de fiscalização e a ação eficiente de fiscalizar. Recuperado em 05 setembro, 2015 de http://www.agu.gov.br/page/download/index/id/6864923

HOHMANN, A. C. C. (2011). O contrato de programa na Lei Federal n.11.107/2005. Dissertação (Mestrado) Universidade de São Paulo- USP, São Paulo, Brasil. Recuperado em 31 outubro, 2015 de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/2/2134/tde-04072012-113825/.

JUSTEN FILHO, M., (2008). Comentários à Lei de Licitações e Contratos Administrativos. São Paulo: Dialética.

KÖCHE, J. C. (1997). Fundamentos de Metodologia científica: teoria da ciência e prática da pesquisa. 14ª ed. rev. Amp. Petrópolis, RJ: Vozes.

LAKATOS, E.M. & MARCONI, M. de A. (1991). Metodologia científica. 2ª ed. rev. ampl. São Paulo: Atlas.

MEIRELLES, H.L. (1999). Direito Administrativo Brasileiro. São Paulo: Malheiros.

MELLO, C.A.B. de (2011). Curso de Direito Administrativo. 29ª ed. rev. e atual. até a EC 68, de 21.12.2011, São Paulo: Malheiros Editores Ltda.

MIGUEL, A.C., SEIXAS, A.M. & BARBIERI, M.V.S. (2015). Manual de gerenciamento de contratos administrativos. Secretaria Municipal de Gestão e Controle, Prefeitura Municipal de Campinas, São Paulo, Brasil. Recuperado em 23 outubro, 2015, de http://www.campinas.sp.gov.br/sa/impressos/adm/FO987.pdf.

MORÊTO, L. (2000). Gestão eficaz de contratos: suporte para implantação da terceirização de serviços - caso na Petrobras UN-ES. Dissertação (Mestrado), Universidade Federal de Santa Catarina – UFSC. Florianópolis, SC, Brasil. Recuperado em 21 outubro, 2015, de https://repositorio.ufsc.br/xmlui/handle/123456789/79114

MOTTA, C.P.C. (2002). Eficácia nas licitações e contratos. 9ª ed. Belo Horizonte: Del Rey.

NERY, A.A., NERI, L.J.A.L. (2010). O fiscal de contratos públicos. Revista Do Tribunal de Contas do Distrito Federal, Brasília, DF, Brasil. Recuperado em 20 outubro, 2015, de www.tc.df.gov.br/app/biblioteca/pdf/PE500850.pdf

OLIVEIRA FILHO, G.B. de, (2012). Consulta/4254/2012/G. Editora NDJ, São Paulo, Brasil. Recuperado em 2 setembro, 2015, de http://gespublica.seplan.to.gov.br/index.php/fique-por-dentro/98-fiscal-de-contrato-x-gestor-de-contrato-qual-a-diferenca.

PELEGRINI, S. A. (2013). O fiscal do contrato. Revista Controle, Doutrina e Artigos. Tribunal de Contas do Estado do Ceará, Brasil. Recuperado em 6 setembro, 2015 de http://www.tce.ce.gov.br/component/jdownloads/finish/328-revista-controle-volume-xi-n-1-jan-jun-2013/2151-artigo-19-o-fiscal-do-contrato?Itemid=0.

PUCCETTI, R. F. (2010). Infrações e sanções administrativas aplicáveis em licitações e contratos. Dissertação (Mestrado), Pontifícia Universidade Católica de São Paulo - PUCSP, São Paulo, Brasil. Recuperado em 30 outubro 2015, de www.dominiopublico.gov.br/download/teste/arqs/cp153328.pdf

SANTOS, L.R.L. dos. (2013). Fiscalização de contratos. Brasília: ENAP/DDG. Recuperado em 25 agosto, 2015 de http://repositorio.enap.gov.br/handle/1/656

STUCKERT, G.D. (2015). Sanções do artigo 87 da lei 8.666/93. Monografia, (Bacharelado), Instituto Brasilense de Direito Público, Brasília, DF, Brasil. Recuperado em 21 setembro, 2015 de http://dspace.idp.edu.br:8080/xmlui/bitstream/handle/123456789/1694/Monografia_Gabriela%20Dellacasa%20Stuckert.pdf?sequ ence=1.

URUGUAIANA. (2015). Decreto Municipal No 414, de 15 de junho de 2015. Disciplina a gestão e a fiscalização dos contratos administrativos no âmbito do Poder Executivo e as atribuições do gestor e do fiscal de contrato. Uruguaiana, RS, Brasil. Recuperado em 19 outubro, 2015 de http://www.uruguaiana.rs.gov.br/secad/leis_decretos/Dec414-2015.pdf
Como Citar
Marinho, L., & Cervera, M. C. S. F. (1). Contratos Administrativos: A Importância do Acompanhamento e Fiscalização da Execução. Revista Internacional De Debates Da Administração & Pública - RIDAP, 3(1), 172-187. Recuperado de https://periodicos.unifesp.br/index.php/RIDAP/article/view/1295