Competência Leitora e Políticas Públicas: Possibilidades

  • Keila da Silva Santos Rodrigues Prefeitura Municipal de São Paulo, Secretaria Municipal da Educação
  • Ailton Conde Jussani MBA Gestão Empresarial na Fundação Instituto de Administração - FIA

Resumo

Resumo: A qualidade da educação brasileira tem sido avaliada por diversos indicadores externos e internos apontando nossas fragilidades, dentre elas a pouca competência em leitura e fazendo-se necessária ações governamentais com políticas públicas. Por exemplo, a análise do desempenho dos alunos brasileiros no Programa Internacional de Avaliação de Estudantes- PISA de 2003 até 2012 mostram uma melhora significativa, contudo, mesmo com esse avanço, a educação brasileira encontra-se distante da pontuação média desejada. A presente pesquisa descritiva utiliza como ferramenta a análise das principais referências sobre o tema publicados no Scielo entre 2006 e 2015, bem como dados oficiais nacionais e internacionais e programas já implementados no Brasil. Os resultados de estudos relatados na literatura mostram que o baixo índice de leitura ocorre apenas no âmbito educacional, mas estende-se à sociedade brasileira. Após comparações entre estudos e programas sobre a leitura e sua importância na construção da cidadania, fica evidente que programas individuais podem surtir efeitos positivos com abrangência local, mas por meio de iniciativas governamentais são efetivados de forma mais concreta e ampla. Destaca-se que a competência leitora é de fundamental importância para a formação de cidadãos críticos e atuantes na sociedade e contribui para melhoria da educação no Brasil.

Palavras-chave: Qualidade da Educação; Leitura; Políticas Públicas; Educação Básica; indicadores (PISA)

 

Abstract:Several external and internal indicators pointing out our weaknesses have evaluated the quality of Brazilian education. Among them, one of the most important is the lack of reading competence and the need for governmental actions with Public policies to foster it. For example, the analysis of the performance of Brazilian students in Programme for International Student Assessment - PISA from 2003 to 2012 shows a significant improvement, however, even with this advance, Brazilian education still far from the average score desired. The present descriptive research uses as a tool the analysis of the main references on the subject published in Scielo between 2006 and 2015, as well as official national and international data and programs already implemented in Brazil. The results of studies reported in the literature showed that the low reading rate occurs in not only the educational scope, but also it extends to the Brazilian society. After comparisons between studies and programs on reading and its importance in the construction of citizenship, it is evident that individual programs can have positive effects with local scope, but through government, initiatives are implemented in a more concrete and broad. It should be noted that reading competence is of fundamental importance for the formation of critical and active citizens in society and contributes to the improvement of education in Brazil.

Keywords: Quality of Education; Reading; Public policy; Basic education; indicators (PISA)

Referências

BARROS, J. D., MARTINS, S., & JANIAL, M. A. P. (2011). A importância da leitura na qualidade do Ensino. Revista Saber Acadêmico. 12 junho. Recuperado em 20 setembro de 2015, de http://uniesp.edu.br/sites/_biblioteca/revistas/20180403115208.pdf.

BELINTANE, C. (2006). Leitura e alfabetização no Brasil: uma busca para além da polarização. Educação E Pesquisa, 32(2), 261–277.

BELINTANE, C. (2010). Oralidade, alfabetização e leitura: enfrentando diferenças e complexidades na escola pública. Educação E Pesquisa, 36(3), 685–703.

BRITO, D. S. (2010). A importância da leitura na formação social do indivíduo. Revela Periódico de Divulgação Científica da FALS, 4(8), 1-35.

CARVALHO, L. M. (2009). Governando a educação pelo espelho do perito: uma análise do PISA como instrumento de regulação. Educação & Sociedade, Campinas, 30(109), 1009-1036. Recuperado em 20 setembro de 2015, de http://www.redalyc.org /articulo.oa?id=87313699005.

COOPER, D.; SCHINDLER, P. S. (2011). Métodos de pesquisa em administração. 10. ed. Porto Alegre: Bookman.

DAROS JÚNIOR, A. (2013). A presença da OCDE no Brasil no contexto da avaliação Educacional. Jornal de Políticas Educacionais, 7(13), 13–20.

INEP (2012). Relatório Nacional PISA 2012: Resultados brasileiros. Recuperado em 20 setembro de 2015, de http://download.inep.gov.br/acoes_internacionais/pisa/resultados/2014/relatorionacional_pisa_2012.

INSTITUTO PRÓ-LIVRO. (2012) Retratos da Leitura no Brasil. São Paulo 3ª Ed. da pesquisa. Disponível em: . Acesso em: 20 ago 2015.

GIL, A. C. (2010). Como elaborar projetos de pesquisa. 5. ed. São Paulo: Atlas,

GODOY, A. S. (1995) Introdução à pesquisa qualitativa e suas possibilidades. Revista de Administração de Empresas. 35(2), 57-63, mar./abr.

GONÇALVES, M. de L. B. (2014). Sociologia da leitura – uma abordagem teórica Em busca do público leitor. Revista UNIFAMMA, 12(2), 68-89.

GONTIJO, C. M. M. (2012). Avaliação da alfabetização: Provinha Brasil. Educação E Pesquisa, 38(3), 603–622.

MARANHÃO, C. de A., & MOTTA, F. M. de V. (2007). “A importância do ato de ler”: leituras Críticas na formação do administrador. Revista Eletrônica de Ciência Administrativa - RECADM, 6(2), 1–14.

MAZZA, D. (2013). Por uma sociologia da leitura. Educação & Sociedade, 34(123), 621–624.

NASCIMENTO, J. C. H. B., NOSSA, V., & BALASSIANO, M. (2014). O Analfabetismo Funcional e a Contabilidade: Um Estudo Exploratório com Alunos Concluintes da Graduação das Instituições de Ensino Superior do Estado do Espírito Santo. Sociedade, Contabilidade e Gestão, 8(3), 37-54.

ROCHA, S. R. M., & FIGUEIREDO, R. V. (2007). A influência de um programa de leitura na transformação das condições sociais de aprendizagem na escola. Diálogo Educacional, 7, 245–258.

ROSA, F. G. M. G., & ODDONE, N. (2007). Políticas públicas para o livro, leitura e biblioteca. Pesquisa Brasileira em Ciência da Informação E Biblioteconomia (online), 2(1). Recuperado em 20 setembro de 2015, de http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/1124/1265.

SAWAYA, S. M. (2008). Leitura, práticas escolares e a reforma da alfabetização no Brasil. Revista Iberoamericana de Educación, (46), 55–70.

SILVA, R. J. (2009). Leitura, biblioteca e política de formação de leitores no Brasil. Brazilian Journal of Information Science, 3(2), 75-92.

SILVEIRA, R. M. H. (2010). A leitura e seus poderes: um olhar sobre dois programas nacionais de incentivo à leitura. Educar Em Revista, (spe2), 103–120.

SOARES. F.J. (2015) Currículo e avaliação: diálogo necessário. Revista Magistério, nº 4. São Paulo: DOT/SME.

PERISSÉ, G. (1998). Ler, pensar e escrever. São Paulo: Arte Ciência. 3 ed, 1998.

PROLER (2010) Documento Final do XV Encontro Nacional do Programa Nacional de Incentivo à Leitura – PROLER - Recuperado em 15 outubro de 2015, de http://proler.bn.br/documentofinal.htm.

RUAS, M.G. (2012). Políticas públicas. UFSC. Florianópolis: Departamento Especialização – Módulo Básico. Recuperado em 10 maio de 2014, de https://gpm.uab.unifesp.br/pluginfile.php/4334/mod_resource/content/2/Politicas%20Publicas%20GPM%202%20Edicao%20Nacional%20Miolo%20Online.pdf>.

ZANELLA, L.C.H. (2012). Metodologia de estudo e de pesquisa em administração. Hermes. Florianópolis: Departamento de Ciências da Administração / UFSC, 2012.
Publicado
2018-11-01
Como Citar
Rodrigues, K. da S. S., & Jussani, A. C. (2018). Competência Leitora e Políticas Públicas: Possibilidades. Revista Internacional De Debates Da Administração & Pública - RIDAP, 3(1), 18-32. Recuperado de https://periodicos.unifesp.br/index.php/RIDAP/article/view/1286