POLÍTICAS PARA BIBLIOTECAS PÚBLICAS: A CIDADE DE SÃO PAULO COMO FOCO

THE CITY OF SÃO PAULO AS A FOCUS

Autores

  • JOELI ESPÍRITO SANTO DA ROCHA Supervisora de Planejamento na Coordenação do Sistema Municipal de Bibliotecas (SMB) de São Paulo. https://orcid.org/0000-0002-2670-9793
  • Dra. THAÍS CHANG WALDMAN Museu Paulista (MP/USP)

Resumo

A cidade de São Paulo possui o maior Sistema Municipal de Bibliotecas Públicas do Brasil, com 106 bibliotecas e mais cinco tipos de serviços municipais em leitura. Esta pesquisa qualitativa e exploratória tem por objetivo entender as políticas públicas relacionadas às bibliotecas públicas municipais na capital paulista e como elas se materializam no cotidiano da cidade. A reflexão é fundamentada na Gestão Pública e na Ciência da Informação. Mais especificamente, trata-se de compreender as origens e a consolidação da atual rede de bibliotecas e serviços de extensão em leitura que formam o Sistema Municipal de Bibliotecas Públicas (SMB). Para atingir os objetivos propostos, procurou-se conhecer: a) a origem das primeiras bibliotecas municipais na cidade; b) a evolução, por década, da quantidade de bibliotecas; c) a criação e a composição do SMB; d) o mapeamento territorial das bibliotecas públicas municipais e serviços por distrito. Como resultado, foram identificadas quatro fases que resultaram no desenvolvimento da atual rede de bibliotecas e serviços de extensão da cidade, sendo: 1ª) origem e definições (1925-1951); 2ª) expansão das bibliotecas de bairros (1952-2001); 3ª) redefinições da política para bibliotecas públicas (2001-2004); e 4ª) constituição do SMB – integração e descentralização administrativa (a partir de 2005). Conclui-se que o projeto das bibliotecas da cidade de São Paulo, por meio do SMB, deve ser constantemente revisitado e repactuado, utilizando-se de ferramentas de gestão como o Conselho Municipal de Bibliotecas, ao considerar o desenvolvimento de uma rede de serviços formada por membros de diferentes instâncias administrativas.

Palavras-chave: Políticas públicas para bibliotecas; Bibliotecas públicas; Políticas culturais em leitura; Cidade de São Paulo; Brasil.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Dra. THAÍS CHANG WALDMAN, Museu Paulista (MP/USP)

Doutora em Antropologia Social pela Universidade de São Paulo (FFLCH/USP), recebeu o Prêmio Melhor Tese em Humanidades pela Latin American Studies Association (LASA), e obteve título de mestre pela mesma instituição, com dissertação premiada pela Sociedade Brasileira de Sociologia (SBS), que deu origem ao livro "Moderno Bandeirante: Paulo Prado entres espaços e tradições" (FAPESP/Alameda). É também especialista em Arte e Cultura pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (IA/UNESP) e graduada em Ciências Sociais pela Universidade de São Paulo (FFLCH/USP). Atuou como pesquisadora residente na 4a edição do Programa de Editais de Residência em Pesquisa da Biblioteca Brasiliana Guita e José Mindlin (BBM/USP) e como professora orientadora nos cursos de pós-graduação lato sensu em Gestão Pública da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) e de Sociologia da Rede São Paulo de Formação Docente (REDEFOR/USP). Atualmente é pós-doutoranda no Museu Paulista (MP/USP) e integra a comissão editorial da Revista Ponto Urbe (NAU/USP). É líder do grupo de pesquisa/CNPq Coletivo ASA - Artes, Saberes e Antropologia (FFLCH/USP) e membro dos grupos do CNPq MARES - Religião, Arte, Materialidade e Espaço Público (IFCH/UFRGS) e GEPIS - Grupo de Estudos e Pesquisa Itinerários Intelectuais, Imagem e Sociedade (CECH/UFS). Tem experiência nas áreas do pensamento social brasileiro e da história intelectual e cultural, com ênfase nos diálogos que a antropologia estabelece com as artes, a literatura e a história; com o modernismo brasileiro; e com a construção de um imaginário social e urbano.

Downloads

Publicado

2020-12-31

Como Citar

DA ROCHA, J. E. S., & WALDMAN, T. C. (2020). POLÍTICAS PARA BIBLIOTECAS PÚBLICAS: A CIDADE DE SÃO PAULO COMO FOCO: THE CITY OF SÃO PAULO AS A FOCUS. Revista Internacional De Debates Da Administração &Amp; Públicas - RIDAP, 5(1), 153–176. Recuperado de https://periodicos.unifesp.br/index.php/RIDAP/article/view/12172