A Gestão Democrática como Prática Viva nas Unidades Escolares

  • FERNANDA MAYUMI GARCIA ZERBINATO Universidade Federal Fluminense - UFF , Rio de Janeiro (Brasil).
  • MÁRCIA GALDINO ALVES Universidade Cidade de São Paulo UNICID (Brasil).

Resumo

A busca pela gestão escolar democrática perpassa pelos meios legais e pelas vivências democráticas que todas as relações podem, ou não, demonstrar. Muitos gestores procuraram vivenciar momentos democráticos mas sentem muitas dificuldades em angariar a participação de funcionários e principalmente da comunidade escolar. O presente artigo buscou pesquisar o que os principais autores sobre o tema entendem como gestão democrática – com foco na escola pública, e quais são os entraves e desafios para que ela se estabeleça como prática cotidiana. Perpassou ainda por alguns dos instrumentos que podem facilitar e potencializar a participação, que é condição sine qua non para a efetivação da gestão democrática no ambiente escolar, desde as relações mais corriqueiras até aquelas que  fundamentam escolhas e decisões acerca do futuro da instituição.

Palavras-chave: Gestão; Democrática; Participação; Comunidade escolar; Conselho Escolar.

Biografia do Autor

FERNANDA MAYUMI GARCIA ZERBINATO, Universidade Federal Fluminense - UFF , Rio de Janeiro (Brasil).

Especialização em planejamento, implementação e gestão da educação a distância pela Universidade Federal Fluminense - UFF , Rio de Janeiro (Brasil). Supervisora Escolar do Departamento Escolar da Prefeitura Municipal de Guarulhos – SP

MÁRCIA GALDINO ALVES, Universidade Cidade de São Paulo UNICID (Brasil).

Doutoranda em Políticas Públicas de Educação pela Universidade Cidade de São Paulo UNICID (Brasil). Assessora de Gestão e Planejamento Educacional da Prefeitura de Itanhaém-SP

Publicado
2019-12-02
Como Citar
ZERBINATO, F. M. G., & ALVES, M. G. (2019). A Gestão Democrática como Prática Viva nas Unidades Escolares. Revista Internacional De Debates Da Administração & Públicas - RIDAP, 4(1), 166-179. Recuperado de https://periodicos.unifesp.br/index.php/RIDAP/article/view/11372