Respiração de Cheyne-Stokes é pouco reconhecida no paciente internado

Autores

  • Sara Regina Delgado de A. Franco Fisioterapêuta – Ambulatório de distúrbios do Sono – Disciplina de Neurologia–UNIFESP-EPM
  • Esther A. Kubo1 , Lucila B. F. Prado Médica - Ambulatório de distúrbios do Sono - Disciplina Neurologia – UNIFESP-EPM
  • Gilmar F. Prado Professor Adjunto- Disciplinas de Medicina de Urgência e Neurologia - UNIFESP-EPM

DOI:

https://doi.org/10.4181/RNC.2004.12.186

Palavras-chave:

Respiração periódica, Respiração de Cheyne-Stokes, Apnéia central, Sono, Apnéia do sono

Resumo

Contexto. Respiração periódica inclui uma grande variedade de padrões respiratórios. O padrão mais conhecido de respiração periódica é denominado respiração de Cheyne-Stokes (RCS), que é definido como uma respiração em “crescendo e decrescendo” associada a dessaturação da oxihemoglobina. Objetivo. Analisar a prevalência da RCS nas unidades de internação do Hospital São Paulo, as principais doenças a que se associa, comparar a saturação de O2 durante o repouso em pacientes com RCS e pacientes sem RCS, verificar se a equipe médica reconhece o padrão de RCS e se os pacientes com RCS apresentam maior proporção de reinternações e mortalidade após 30 dias. Método. Foram incluídos 10 pacientes com RCS e 10 sem RCS pareados segundo a idade, sexo e doenças de base, observados nas enfermarias Clínicas, de Ortopedia, UTI e Pronto Socorro. Após o reconhecimento do padrão RCS, realizava-se exaustiva busca nos prontuários dos pacientes com a finalidade de se detectar a descrição do padrão respiratório. Obteve-se a saturação de O2 do paciente em vigília e sono. Resultados. Nenhum prontuário mostrou qualquer descrição que sugerisse o reconhecimento da RCS pela equipe clínica onde o paciente era cuidado. A mortalidade e número de reinternações não deferiram entre os grupos com RCS e sem RCS. A saturação de O2 do grupo de pacientes com RCS foi menor que a do grupo de pacientes sem RCS, tanto durante a vigília quanto durante o sono.

Métricas

Carregando Métricas ...

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Cheyne J. A case of apoplexy, in which the flesh part of the heart was converted into fat. The Dublin Hospital Reports and Communications in Medicine and Surgery 1818; 2:216-223.

Leff AR, Schumacker PT. Controle da Ventilação. In Schumacker PT and Leff AR eds. Fisiologia Respiratória: Fundamentos e aplicações. Rio de Janeiro: Interlivros. pp121-133.

Guyton AC. Regulação da Respiração. In Guyton AC ed. Tratado de Fisiologia Médica. Rio de Janeiro: Interamericana; 1977. pp 501-502.

Hanly J, Zuberi-Khokhar P, Naheed S. Increased mortality associated with Cheyne-Stokes respiration in patients with congestive heart failure. Am J Respir Crit Care Med, 1996; 153:272-276.

Ingbir M, Freimark D, Motro M, Adler Y. The incidence, pathophysiology, treatment and prognosis of Cheyne-Stokes breathing disorder en patients with congestive heart failure. Herz 2002; 27:107-12.

West JB. Controle da Respiração In West JB ed. Fisiologia Respiratória. São Paulo: Manole; 2002. pp117-131.

Lorenzi Filho G, Dajani HR, Leung RS, Floras JS, Bradley TD. Entrainment of blood pressure and heart rate oscillations by periodic breathing. Am J Respir Crit Care Med 1999; 159 (4pt1):1147-1154

Cardeal M, Prado GF. Apnéia central. Revista Neurociências 2003; 10(3):125-128.

Khoo MCK, Yamashiro SM. Models of control of breathing. In Khoo MCK, Yamashiro SM eds. Respiratory physiology and analytical approach. 1989. pp 810-815.

Murray JF, Nadel JA. Sleep disorders. In Murray JF and Nadel JA eds. Textbook of respiratory medicine. New York: Elsevier; 2000. pp 2161-2165.

Staniforth AD, Kinnear WJM, Cowley AJ. Cognitive impairment in heart failure with Cheyne-Stokes respiration. Heart 2001; 85:18-22.

Trinder J et al. Pathophysiological interactions of ventilation, arousals, and blood oscillations during Cheyne-Stokes respiration in patients with heart failure. Am J Respir Crit Care Med 2000; 162: 808-813.

Brack T. Cheyne-Stokes respiration in patients with congestive heart failure. Swiss Med Wkly 2003; 133(45-46):605-10.

Woo MA, Macey PM, Fonarow GC, Hamilton MA, Harper RM. Regional brain gray matter loss in heart failure. J Appl Physiol 2003; 95(2):677-84.

Hanly PJ, Zuberi-Khokhar NS. Increased mortality associated with Cheyne-Stokes respiration in patients with congestive heart failure. Am J Respir Crit Care Med 1996; 153(1):272-6.

Downloads

Publicado

2004-12-31

Como Citar

Franco, S. R. D. de A., Prado, E. A. K. , L. B. F., & Prado, G. F. (2004). Respiração de Cheyne-Stokes é pouco reconhecida no paciente internado. Revista Neurociências, 12(4), 186–191. https://doi.org/10.4181/RNC.2004.12.186

Edição

Seção

Artigos Originais

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.