Análise das manifestações motoras, cognitivas e depressivas em pacientes com doença de Parkinson

Autores

  • Ana Lúcia Cervi Prado Fisioterapeuta, Mestre do Departamento de Fisioterapia e Reabilitação, Centro de Ciências da Saúde (CCS), Universidade Federal de Santa Maria (UFSM); Coordenadora do Grupo de pesquisa em Disfunções Físico Motoras – Diretório CNPq
  • Gustavo Orione Puntel Acadêmico do curso de Fisioterapia – CCS, UFSM.
  • Luane Paula de Souza Fisioterapeuta.
  • Carlos Alberto Bezera Tomaz Coordenador do curso de Pós-Graduação em Ciências da Saúde – UnB – Pesquisador e Orientador.

DOI:

https://doi.org/10.34024/rnc.2008.v16.8657

Palavras-chave:

Doença de Parkinson, Atividade motora, Cognição, Depressão

Resumo

Introdução. A Doença de Parkinson (DP) é uma desordem neurodegenerativa do sistema nervoso central caracterizada primariamente pelo surgimento de disfunções motoras, mas perturbações cognitivas, incluindo demência, podem estar presentes. Objetivos. O presente estudo objetivou investigar a associação entre manifestações motoras, cognitivas e depressivas em indivíduos portadores de DP. Método. Dez voluntários com DP foram submetidos a avaliação motora, cognitiva e de depressão. Resultados. Observamos que 40% dos indivíduos apresentavam um grau mínimo de disfunção motora e que nenhum mostrou um grau máximo de incapacidade. Referentes às alterações cognitivas, 30% dos indivíduos
demonstraram comprometimentos os quais não tiveram correlação significativa com a presença de disfunções motoras. Constatamos que 70% dos indivíduos apresentavam algum grau de depressão,
independentemente da presença de comprometimento motor ou cognitivo. Conclusão. Neste estudo não houve associação entre manifestações motoras, cognitivas e depressivas em indivíduos portadores de DP. Estudos futuros devem ser realizados para aumentar a amostra a fim avaliar essa associação.

Métricas

Carregando Métricas ...

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Kaplan HIS, Benjamin JG, Jack A. Compêndio de Psiquiatria: ciências do comportamento e psiquiatria clínica. 7ª ed., Porto Alegre: Artes Médicas, 1997, 809-946.

Cronin-Golomb A, Amick M. Spatial abilities in aging, Alzheimer’s disease, and Parkinson’s disease. In: Boller F, Cappa S (Eds.). Handbook of neuropsychology, 2nd ed., Vol. 6, Amsterdam: Elsevier, 2001, 119–43.

Sanvito WL. Síndromes neurológicas. 2a ed. São Paulo: Editora Atheneu, 1997, 382.

Amick M, Cronin-Golomb A, Gilmore G. Visual processing of rapidly presented stimuli is normalized in Parkinson’s disease when proximal stimulusstrength is enhanced. Vis Res 2003;43(26):2827–35.

Cummings JL. Depression and Parkinson disease: a review. Am J Psychiatr1992; 149:443–54.

McDonald WM, Richard IH, DeLong MR. Prevalance, etiology, and treatment of depression in Parkinson’s disease. Biol Psychiatr 2003;54:363–75.

Dooneief G, Mirabello E, Bell K, Marder K, Stern Y, Mayeux R. An estimate of the incidence of depression in idiopathic Parkinson’s disease. Arch Neurol 1992;49:305–7.

Allain H, Schuck S, Mauduit N. Depression in Parkinson’s disease. BMJ 2000;320:1287–8.

Ranoux D. Depression et maladie de Parkinson. Encephale 2000;26(3):22–6.

Schrag A, Hahanshahi M, Quinn N. How does Parkinson’s Disease affect quality of life? A comparison with quality of life in the general population. Mov Disord 2000;6:1112–8.

Slawek J, Derejko M, Lass P. Factors affecting the quality of life of patients with idiopathic Parkinson’s disease-a cross-sectional study in outpatient clinic attendees. Park Relat Disord 2005;11(7):465–8.

Leentjens AF, Van den Akker M, Metsemakers JF, Lousberg R, Verhey FR. Higher incidence of depression preceding the onset of Parkinson’s disease: a register study. Mov Disord 2003;18(4):414–8.

Taylor AE, Saint-Cyr JA, Lang AE, Kenny FT. Parkinson’s disease and depression. A critical re-evaluation. Brain 1986;109(2):279–92.

Gotham AM, Brown RG, Marsden CD. Depression in Parkinson’s disease: a quantitative and qualitative analysis. J Neurol Neurosurg Psychiatr 1986;49(4):381–9.

Sandyk R. Locus coeruleus-pineal melatonin interactions and the pathogenesis of the “on–off” phenomenon associated with mood changes and sensory symptoms in Parkinson’s disease. Int J Neurosci 1989;49(12):95–101.

Kostic VS, Filipovic SR, Lecic D, Momcilovic D, Sokic D, Sternic N. Effect of age at onset on frequency of depression in Parkinson’s disease. J Neurol Neurosurg Psychiatr 1994;57(10):1265–7.

Hoehn MM, Yahr MD. Parkinsonism: onset, progression and mortality. Neurology 1967;17(5):427-42.

Horta W. Escalas clínicas para avaliação de pacientes com doença de Parkinson. In: Meneses MS, Teive HAG. Doença de Parkinson: aspectos clínicos e cirúrgicos. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan,1996, 83-96.

Shenkman ML, Clark K, Xie T, Kuchibhatla M, Shinberg M, Ray L. Spinal movement and performance of standing reach task in participants with and without Parkinson disease. Phys Ther 2001;81:1400-11.

Bertolucci PHF, Brucki SMD, Campacci SR, Juliano Y. O Mini-exame do estado mental em uma população geral: Impacto da escolaridade. Arq Neuropsiquiatr 1994;52:1-7.

Tombaught TN, Mcintyre NJ. The Mini-Mental State Examination: A comprehensive review. J Am Geri Soc 1992;40: 922-35.

Beck AT, Ward CH, Mendelson M, Mock J, Erbaugh G. An inventory for measuring depression. Arch Gen Psychiatr 1961;4:53-63.

Meneses MS, Teive HAG. Doença de Parkinson. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2003, 372 p.

Cerqueira ATAR. Deterioração cognitiva e depressão. SABE – Saúde, Bem-estar e Envelhecimento – O Projeto SABE no município de São Paulo: uma abordagem inicial. Brasília: Organização Pan-Americana da Saúde, 2003, pp. 143-65.

Jankvic J. The extrapyramidal disorders. In: Bennett C, Plum F (eds). Cecil textbook of medicine. 20th ed, Philadelphia: Saunders,1996, 2047 p.

Bennett JC, Plum F. Cecil – tratado de medicina interna. 20a ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1997, 2618 p.

Dunn G, Sham P, Hand D. Statistics and the nature of depression. Psych Med 1993;23:871-89.

Limongi JCP. Conhecendo melhor a Doença de Parkinson: uma abordagem multidisciplinar com orientações práticas para o dia-a-dia. São Paulo: Plexus Editora, 2001, 164 p.

Kashmere J, Camicioli R, Martin W. Parkinsonian syndromes and differential diagnosis. Curr Opin Neurol 2002; 15 (4):461-6.

Brooks D, Doder M. Depression in Parkinson’s disease. Curr Opin Neurol 2001;14:465-70.

Silberman CD, Laks J, Rodrigues CS, Engelhardt E. A review of depression as a risk factor in Parkinson’s disease and the impact on cognition. Rev Psiquiatr 2004; 26(1):52-60.

Paulson HL, Stern BM. Clinical manifestations of Parkinson’s Disease. In: Watts RL, Koller WC. Movement disorders neurologic principles and practice. New York: MacGraw, 2004, pp. 233-46.

Downloads

Publicado

2008-03-31

Como Citar

Prado, A. L. C., Puntel, G. O., Souza, L. P. de, & Tomaz, C. A. B. (2008). Análise das manifestações motoras, cognitivas e depressivas em pacientes com doença de Parkinson. Revista Neurociências, 16(1), 10–15. https://doi.org/10.34024/rnc.2008.v16.8657

Edição

Seção

Artigos Originais

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.