Desempenho cognitivo e equilíbrio funcional em idosos

Autores

  • Giovanna Cristina dos Santos Caixeta Fisioterapeuta, Mestranda do Programa em Reabilitação Vestibular e Inclusão Social da Universidade Bandeirante de São Paulo - UNIBAN, Professora do Centro Universitário de Patos de Minas – UNIPAM, Patos de Minas-MG, Brasil.
  • Andreza Ferreira Graduanda do curso de Fisioterapia do Centro Universitário de Patos de Minas – UNIPAM, Patos de Minas-MG, Brasil

DOI:

https://doi.org/10.34024/rnc.2009.v17.8542

Palavras-chave:

Equilíbrio Musculosquelético, Cognição, Idoso

Resumo

Objetivo. Comparar o desempenho cognitivo e o equilíbrio corporal funcional em idosos institucionalizados com os que vivem na comunidade. Método. A amostra consistiu de 25 idosos residentes na instituição de longa permanência de Patos de Minas – Vila Padre Alaor (G1) que não são submetidos a programa de atividade física e 25 idosos que vivem na comunidade e integrantes do projeto Unipam Sênior (G2) que inclui atividades físicas. O Mini Exame do Estado Mental – MEEM foi empregado para avaliar o desempenho cognitivo e a Escala de Equilíbrio de Berg para investigar o equilíbrio funcional. Para análise estatística dos dados utilizou-se o Teste de t de Student para amostras independentes. Resultados. O escore médio do teste do Mini Exame do Estado Mental entre os idosos do Grupo 1 foi 12,56±5,034 e do Grupo 2 foi 24,72±2,909 (p <0,001). O escore médio da escala de Equilíbrio de Berg entre os idosos do Grupo 1 foi 44,92±6,531) e do Grupo 2 foi 52,40±2,273 (p><0,001). Conclusão. Idosos institucionalizados que vivem em instituições que não oferecem programas de atividades físicas apresentam menor desempenho cognitivo e comprometimento do equilíbrio funcional em relação aos idosos que vivem na comunidade e praticam atividade física. >

Métricas

Carregando Métricas ...

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Kalache A, Veras RP, Ramos LR. O envelhecimento da população mundial: um desafio novo. Rev Saúde Pub 1987;21:200-0.

Netto MP, Brito FC. Urgências em geriatria: Epidemiologia -Fisiopatologia- Quadro clínico- controle terapêutico. São Paulo: Atheneu, 2001, 476p.

Simoceli L, Bittar RMS, Bottino MA, Bento RF. Perfil diagnóstico do idoso portador de desequilíbrio corporal: resultados preliminares. Rev Bras Otorrinolaringol 2003;69:772-7.

Pereira SRM. O idoso que cai. In: Guedes SL. Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia. Caminhos do Envelhecer. Rio de Janeiro: Revinter, 1994, p217-23.

Argimon IIL, Stein LM. Habilidades cognitivas em indivíduos muito idosos: um estudo longitudinal. Rev Saúde Pub 2005;21:64-72.

Kauffman TL. Manual de Reabilitação Geriátrica. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2001, 389p.

Kato EM, Radanovic M. Fisioterapia nas demências. Rio de Janeiro: Atheneu, 2007, 232 p.

Ruewer SL, Rossi AG, Simon LF. Equilíbrio no idoso. Rev Bras Otorrinolaringol 2005;71:298-303.

Oliveira SFD, Duarte YAO, Lebrão ML, Laurenti R. Demanda referida e auxílio recebido por idosos com declínio cognitivo no município de São Paulo. Rev Saúde Socied 2007;16:81-9.

Caldas CP. Cuidado Familiar. In: Veras R, Lourenço R. Formação Humana em Geriatria e Gerontologia: Uma Perspectiva interdisciplinar. Rio de Janeiro: UNATI/UERJ, 2006, p 335-9.

Butler RN, Forette F, Greengross BS. Maintaining cognitive health in an ageing society. J Royal Soc Prom Health 2004;124:119-20.

Ferrucci L, Guralnik JM, Studenski S, Fried LP, Cutler GB Jr, Walston JD. Designing randomized, controlled trials aimed at preventing or delaying functional decline and disability in frail, older persons: a consensus report. J Am Geri 2004;52:625-34.

Faber MJ, Bosscher RJ, Paw ACJM, Wieringen PCV. Effects of Exercise Programs on Falls and Mobility in Frail and Pre-Frail Older Adults: A Multicenter Randomized Controlled Trial. Arc Phys Med Rehab 2006;87:885-96.

Shephard RJ. Envelhecimento, Atividade Física e Saúde. São Paulo: Phorte, 2003, 496 p.

Larson EB, Wang L, Bowen JD, McCormick WC, Teri L, Crane P, et al. Exercise Is Associated with Reduced Risk for Incident Dementia among Persons 65 Years of Age and Older. An Inter Med 2006;144:73-81.

Drewnowski A, Monsen E, Birkett D, Gunther S, Vendeland S, Su J, et al. Heatlh Screening and Health Promotion Programs for the Elderly. Dis Man Health Outc 2003;11:299-309.

Tomporowski PD. Effects of acute bouts of exercise on cognition. Acta Psychol 2003; 112:297-324.

Araújo SRC, Mello MT, Leite JR. Anxiety disorders and physical exercise. Rev Bras Psiquiatr 2007;29:164-71.

Antunes HKM, Santos RF, Casilhas R, Santos RVT, Bueno OAF, Mello MT. Exercício físico e função cognitiva: uma revisão. Rev Bras Med Esp 2006;12:108-14.

Ramos LR. Fatores determinantes do envelhecimento saudável em idosos residentes em centro urbano: Projeto Epidoso, São Paulo. Cad Saúde Pub 2003;19:793-8.

Gordilho A, Nascimento JS, Ramos LR, Freire MPA, Espindola N, Maia R, et al. Desafios a serem enfrentados no terceiro milênio pelo setor saúde na atenção integral ao idoso.Bah An Dados 2001;10:138-53.

Born T, Boechat NS. A qualidade dos cuidados ao idoso Institucionalizado. In: Freitas E, Py L, Cançado F, Doll J, Gorzoni M (orgs.). Tratado de Geriatria e Gerontologia. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2006, p798-807.

Davim RMB, Torres GV, Dantas SMM, Limas ML. Estudo com idosos de instituições asilares no município de Natal/RN: características socioeconômicas e de saúde. Rev Lat Am Enferm 2004;12:518-24.

Muchale SM. Cognição e equilíbrio postural na doença de Alzheimer (Tese). São Paulo: FMUSP, 2007, 88p.

Webber A. Avaliação da propensão a quedas em idosos institucionalizados e não institucionalizados correlacionando com nível de cognição e equilíbrio (monografia). Cascavel: UNIOESTE, 2004, 47p.

Xavier FMF, Ferraz MPT, Bertollucci P, Poyares D, Moriguchi EH. Episódio depressivo maior prevalência e impacto sobre qualidade de vida, sono e cognição em octogenários. Rev Bras Psiquiatr 2001;23:62-70.

Schlindwein-Zanini R. Aspectos Psicológicos e neuropsicológicos do idoso. In: Rosa Neto F (Org.). Manual de atividade motora para terceira idade. Porto Alegre: Artmed, 2009, p 62-73.

Myamoto ST, Lombardi I, Berg KO, Ramos LR, Natour J. Brasilian Vision of the Berg Balance Scale. Braz J Med Biolog Res 2004;37:1411-21.

Borges CF, Ferratin AC, Morelli JGS, Rebelatto JR. Qualidade na execução de AVD´s em idosos institucionalizados que permaneciam sem sair de suas residências por mais de 6 meses. Rev Bras Fisioter 2005; 6:1-9.

Canonici AP, Tanaka K, Ferreira F, Stella F, Gobbi S. Análise Comparativa da Capacidade Funcional de Idosos Esquizofrênicos Institucionalizados. Rev Movim 2008;1:11-5.

Downloads

Publicado

2009-09-30

Como Citar

Caixeta, G. C. dos S., & Ferreira, A. (2009). Desempenho cognitivo e equilíbrio funcional em idosos. Revista Neurociências, 17(3), 202–208. https://doi.org/10.34024/rnc.2009.v17.8542

Edição

Seção

Artigos Originais

Artigos Semelhantes

<< < 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.