Basta a Prescrição da Melhor Terapia para a Esclerose Múltipla?

Autores

  • Paulo Diniz da Gama Prof. Dr. Assistente da Disciplina de Neurologia da Faculdade de Ciências Médicas da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo – campus Sorocaba, Sorocaba-SP, Brasil.

DOI:

https://doi.org/10.34024/rnc.2011.v19.8397

Palavras-chave:

editorial

Resumo

.

Métricas

Carregando Métricas ...

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Gama PD, Trigo LX, Andrade CRR, Sala CR. Epidemiological study of multiple sclerosis in the city of Sorocaba, Brazil. Arq Neuropsiquiatr 2004;62:13.

Compston A, Confravreux C, Lassmann H, Mc Donald I, Miller D, Noseworthy J, et al. McAlpine’s Multiples Sclerosis. Londres : Elsevier Inc, 2006, p.1-981.

Jansen DE, Krol B, Groothoff JW, Post D. Integrated care for MS patients. Disabil Rehabil 2007;29:597–603.

Bodenheimer T. The future of primary care: Transforming practice. N Engl J Med 2008;359:2086-9.

Fernandes IR, Tilbery CP, Avelar MCQ. Validação das Condutas de Enfermagem na orientação de clientes com Esclerose Múltipla em uso de imunomoduladores. Rev Neurocienc 2011;19:68-76.

Tilbery CP, Fazzito MM, Jordy SS, Thomaz RB, Fernandes IR. Efeitos adversos no tratamento da Esclerose Múltipla com drogas imunomoduladoras - experiência em 118 casos. Rev Neurocienc 2009;17:220-5.

Downloads

Publicado

2011-03-31

Como Citar

da Gama, P. D. (2011). Basta a Prescrição da Melhor Terapia para a Esclerose Múltipla?. Revista Neurociências, 19(1), 16–17. https://doi.org/10.34024/rnc.2011.v19.8397

Edição

Seção

Editorial