Terapia de Contensão Induzida Associada à Eletroestimulação Funcional na Paresia de Membro Superior

Autores

  • Flávia Priscila de Paiva Silva Fisioterapeuta, Especialista em Fisioterapia Neurofuncional ISCMSP, São Paulo-SP, Brasil.
  • Stefânia Portugal Gonçalves Fisioterapeuta, Pouso Alegre-MG, Brasil.
  • Sidney Benedito Silva Fisioterapeuta, docente da Universidade do Vale do Sapucaí, Pouso Alegre- MG, Brasil.
  • Denise Fortes Chibeni Ramos Rios Fisioterapeuta, docente da Universidade do Vale do Sapucaí, Pouso Alegre- MG, Brasil.
  • Adriana Teresa Silva Fisioterapeuta, mestranda na Neurologia UNICAMP, docente da Universidade do Vale do Sapucaí, Pouso Alegre-MG, Brasil.

DOI:

https://doi.org/10.34024/rnc.2012.v20.8275

Palavras-chave:

Acidente Vascular Cerebral, Reabilitação, Estimulação Elétrica

Resumo

Objetivo. Comparar a terapia de contensão induzida (TCI) e esta as­sociada à eletroestimulação funcional (FES) no membro superior pa­rético de indivíduos com acidente vascular cerebral (AVC). Método. Amostra de 12 indivíduos divididos em 2 grupos (n=6): grupo I – TCI e grupo II – TCI associada à FES. Os indivíduos deveriam apresentar histórico de AVC, hemiparesia, no mínimo 10° de extensão do punho e estado cognitivo preservado. Foram avaliados antes e ao final das ses­sões e após 2 meses do término dessas. Para avaliação foram utilizados: Mini-Exame do Estado Mental, Escala de Avaliação Motora de Fugl- Meyer, goniometria e escala manual de força muscular. Realizou-se 10 sessões com duração de 3 horas por um período de 2 semanas, sendo que o grupo II realizou 10 minutos a mais para aplicação da FES. Re­sultados. Obteve-se uma melhora significante na função do membro parético no grupo I; na goniometria da extensão do punho em ambos os grupos e na força muscular dos músculos flexores do punho no gru­po II. Comparando-se os grupos, não houve diferença estatística en­tre eles. Conclusão. Não houve diferença entre as técnicas utilizadas, devendo-se ressaltar que independente do tipo da técnica utilizada o indivíduo se beneficiará com o tratamento fisioterápico.

Métricas

Carregando Métricas ...

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Barros AF, Fábio SRC, Furkin AM. A rondomized controlled Trial of modified constraint-induced movement therapy for elderly stroke survivors: changes in motor impairment, daily functioning, and quality of life. Arch Phys Med Rahabil 2006;88:273-8.

Rodrigues JE, Sá MS, Alouche SR. Perfil dos pacientes acometidos por AVE tratados na clínica escola de fisioterapia da UMESP. Rev Neurocienc 2004;12:117-22.

O’Sullivan SB. Acidente vascular encefálico. In: O’Sullivan SB, SCHIMITZ TJ. Fisioterapia: avaliação e tratamento. 2ª ed. São Paulo: Manole, 2004, p.519-82.

Fritz LS, Light KE, Patterson TS, Behrman AL, Davis SB. Active finger extension predicts outcomes after constraint-induced movement therapy for individuals with hemiparesis after stroke. Stroke 2005;36:1172-77. http://dx.doi.org/10.1161/01.STR.0000165922.96430.d0

Riberto M, Monroy HM, Kaihami HN, Otsubo PPS, Battistella LR. A terapia de restrição como forma de aprimoramento da função de membro superior em pacientes com hemiplegia. Acta Fisiatr 2005;12:15-9.

Arantes NF, Vaz DV, Mancini MC, Pereira MSDCI, Pinto FPI, Pinto TPS. Efeitos da estimulação elétrica funcional nos músculos do punho e dedos em indivíduos hemiparéticos: uma revisão sistemática da literatura. Rev Bras Fisioter 2007;11:419-27.7.Strasser A, Albers B, Schofield K, Dunning K, Levine PG, Hill V et al. FES and forced use therapy for a person with chronic stroke: a case study. J Neurol Phys Ther 2006;30:208.

Murden RA, McRae TD, Kaner S, Bucknam ME. Mini-mental state exam scores vary with education in blacks and whites. J Am Geriatr Soc 1991;39:149-55.

Brucki SMD, Nitrini R, Caramelli P, Bertolucci PHF, Okamoto IH. Sugestões para o uso do mini-exame do estado mental no Brasil. Arqui Neuropsiquiatr 2003;61:20-6. http://dx.doi.org/10.1590/S0004-282X2003000500014

Maki T, Quagliato EMAB, Cacho EWA, Paz LPS, Nascimento NH, Inoue MMEA, et al. Estudo de confiabilidade da aplicação da escala de Fugl-Meyer no Brasil. Rev Bras Fisioter 2006;10:177-83. http://dx.doi.org/10.1590/S141335552006000200007

Gajdosik RL, Bohannon RW. Clinical measurement of range of motion: review of goniometry emphasizing reliability and validity. Phys Therap 1987;67:1867-72.

Kendall FP, McCreary EB., Provance PG. Músculos: Provas e Funções. 5ª ed. São Paulo: Manole, 2007, 576p.

Taub E, Uswatte G, Pidikiti R. Constraint-induced movement therapy: a new family of techniques with broad application to physical rehabilitation - a clinical review. J Rehabil Res Develop 1999; 36:12-6.

Santana JM, Filho VJS, Cândido EA, Freire RF. Eletroestimulação functional no controle da espasticidade em indivíduo hemiparético. Rev Fafibe on-line 2005:1-6.

Siegel SE, Castellan JR NJ. Estatística não paramétrica para ciências do comportamento. 2ª ed. Porto Alegre: Artmed, 2006, 470p.

Page SJ, Sueann S, Levine P, Johnson MV, Hughes M. Modified constraint induced therapy: a randomized feasibility and efficacy study. J Rehabil Res Develop; 2001;38:583-90.

Bonifer NM, Anderson KM. Application of constraint-induced movement therapy for an individual with severe chronic upper-extremity hemiplegia. Phys Ther; 2003;83:384-98.

Grotta JC, Noser EA, Ro T, Boake C, Levin H, Aronowski J, et al. Constraint-induced movement therapy. Stroke 2004;35:2699-701. http://dx.doi.org/10.1161/01.STR.0000143320.64953.c4

Boake C, Noser EA, Ro T, Baraniuk S, Gaber M, Johnson R, et al. Constraint-induced movement therapy during early stroke rehabilitation. Neurorehabil Neural Repair 2007;21:14-24. http://dx.doi.org/10.1177/1545968306291858

Bueno GDP, Lúcio AC, Oberg TD, Cacho EWA. Terapia de restrição e indução modificada do movimento em pacientes hemiparéticos crônicos: um estudo piloto. Fisioter Mov 2008;21:37-44.

Souza RD. Terapia de restrição de membro superior não parético e indução de movimento em pacientes hemiparéticos [dissertação]. Campinas: Faculdade de Ciências Medicas da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP); 2008, 84p.

Borges MP, Ishiry MN. Aplicação de um protocolo adaptado de duas horas da terapia por contensão induzida em paciente com sequela de acidente vascular encefálico – estudo de um caso [trabalho de conclusão de curso]. Pouso Alegre: Universidade do Vale do Sapucaí (UNIVÁS); 2008, 76p.

Chae J, Bethoux F, Bohinc T, Dobos L, Davis T, Friedl A. Neuromuscular stimulation for upper extremity motor and functional recovery in acute hemiplegia. Stroke 1998;29:975-79. http://dx.doi.org/10.1161/01.STR.29.5.975

Powell J, Pandyan D, Granat M, Cameron M, Stott DJ. Electrical stimulation of wrist extensors in poststroke hemiplegia. Stroke 1999;30:1384-89. http://dx.doi.org/10.1161/01.STR.30.7.1384

Assis RD, Massaro AR, Chamlian TR, Silva MF, Ota SM. Terapia de restrição para uma criança com paralisia cerebral com hemiparesia: estudo de caso. Acta Fisiatr 2007;14:62-5.

Dettmers C, Teske U, Hamzei F, Uswatte G, Taub E, Weiller C. Distributed form of constraint-induced movement therapy improves functional outcome and quality of life after stroke. Arch Phys Med Rehabil 2005;86:204-9. http://dx.doi.org/10.1016/j.apmr.2004.05.007

Taub E, Uswatte G, King DK, Morris D, Crago GE, Chatterjee A. A placebo- controlled trial of constraint-induced movement therapy for upper extremity after stroke. Stroke 2006;37:1045-9. http://dx.doi.org/10.1161/01.STR.0000206463.66461.97

Vaz DV. Terapia de movimento induzido pela restrição na hemiplegia: um estudo de caso único. Fisioter Pesqui 2008;15:298-303.

Weingarden H, Ring H. Functional electrical stimulation-induced neural changes and recovery after stroke. Euro Medicophys 2006;42:87-90.

Ecard L, Silva APS, Neto MP, Veiga H, Cagy M, Piedade R, et al. Os efeitos da estimulação elétrica funcional na assimetria cortical inter-hemisférica. Arqui Neuropsiquiatr 2007;65(3a):642-6. http://dx.doi.org/10.1590/S0004282X2007000400019

Downloads

Publicado

2012-03-31

Edição

Seção

Artigos Originais

Artigos Semelhantes

<< < 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 > >>