O impacto da Equoterapia no desenvolvimento infantil - relato de caso

  • Aimê Cunha unicruz
  • Fernanda Ajalla Guedes da Costa unicruz
  • Catherine Kochhann unicruz
  • Graziela Valle Nicolodi unicruz
  • Lia da Porciuncula Dias da Costa unicruz
Palavras-chave: reabilitação, equoterapia, constrição do ducto arterial

Resumo

Objetivo. Avaliar os efeitos da equoterapia em um paciente com atraso no desenvolvimento global decorrente da constrição intrauterina do ducto arterioso. Método. Esta pesquisa teve característica de um estudo de caso, sob perspectiva qualitativa e descritiva. Ocorreu no Centro de Equoterapia UNICRUZ – CEU, localizado no município de Cruz Alta. Utilizamos para avaliação do praticante a Ficha de Avaliação Motora na Prática da Equoterapia validada pela ANDE-BRASIL. A Ficha é própria para a Fisioterapia, visa a uma avaliação motora do praticante durante a terapia. Os dados foram analisados através de pacote estatístico adequado. Resultados. Foi possível verificar que o paciente apresentava um atraso no desenvolvimento global, na aquisição dos marcos do desenvolvimento humano. Após a terapia adquiriu melhora do equilíbrio, força muscular, coordenação motora e marcha. Conclusão. A equoterapia promoveu ganho ao praticante tanto em níveis motores como psicossociais, proporcionando desenvolvimento neurológico seguindo os marcos do desenvolvimento humano.

Métricas

Carregando métricas...

Referências

Zielinsky P, Piccoli Jr AL, Vian I, Zílio AM, Naujorks AA, Nicoloso LH, et al. Maternal restriction of polyphenols and fetal ductal dynamics in normal pregnancy: an open clinical trial. Arq Bras Cardiol 2013;101:217-25. https://doi.org/10.5935/abc.20130166

Barbisan CW, Busato S, Zielinsky P. Constrição ductal fetal. Acta Med 2013;34:1-7. http://docs.bvsalud.org/biblioref/2018/03/880202/constricao-ductal-fetal.pdf

Genovese F, Marilli I, Benintende G, Privitera A, Gulino FA, Iozza I, et al. Diagnosis and management of fetal ductus arteriosus constriction-closure. J Neonatal Perinatal Med 2015;8:57-62. https://doi.org/10.3233/NPM-15814031

Rakha S. Excessive Maternal Orange Intake - A Reversible Etiology of Fetal Premature Ductus Arteriosus Constriction: A Case Report. Fetal Diagn Ther 2017;42:158-60. https://doi.org/10.1159/000453063

Okada S, Muneuchi J, Iwaya Y. Dilated cardiomyopathy due to premature ductus arteriosus constriction. Cardiol Young 2018;28:1172-4. https://doi.org/10.1017/S1047951118001002

Allegaert K, Mian P, Lapillonne A, van den Anker JN. Maternal paracetamol intake and fetal ductus arteriosus constriction or closure: a case series analysis. Br J Clin Pharmacol 2019;85:245-51. https://doi.org/10.1111/bcp.13778

Gewillig M, Brown SC, Roggen M, Eyskens B, Heying R, Givron P, et al. Dysfunction of the foetal arterial duct results in a wide spectrum of cardiovascular pathology. Acta Cardiol 2017;72:625-35. https://doi.org/10.1080/00015385.2017.1314876

Aylward GP. Neurodevelopmental outcomes of infants born prematurely. J Dev Behav Pediatr 2005;26:427-40. https://doi.org/10.1097/00004703-200512000-00008

Araújo AT da C, Eickmann SH, Coutinho SB. Fatores associados ao atraso do desenvolvimento motor de crianças prematuras internadas em unidade de neonatologia. Rev Bras Saúde Matern Infant 2013;13:119-28. http://dx.doi.org/10.1590/S1519-38292013000200005

Guimarães CLN, Reinaux CM, Botelho ACG, Lima GMS, Cabral Filho JE. Desenvolvimento motor avaliado pelo Test of Infant Motor Performance: Comparação entre lactentes pré-termo e a termo. Rev Bras Fisioter 2011;15:357-62.

https://www.scielo.br/pdf/rbfis/v15n5/pt_AOP020_11.pdf

Menezes KM, Flores FM, de Moraes Vargas F, Trevisan CM, Copetti F. A Equoterapia no equilíbrio postural de pessoas com Esclerose Múltipla. Saúde (Santa Maria) 2015;41:149-56. http://dx.doi.org/10.5902/2236583414470

Costa JVL, Serrão-Júnior NF, Luvizutto GJ, Araujo TB, Safons MP, Rezende ALG. Efeitos da equoterapia sobre o equilíbrio estático e dinâmico no transtorno neurocognitivo maior ou leve devido à Doença de Huntington. Fisioter Bras 2018;19215-22. https://portalatlanticaeditora.com.br/index.php/fisioterapiabrasil/article/view/2131/pdf

Souza TB. Avaliação neuropsicomotora em crianças antes e após a equoterapia (trabalho de conclusão de curso). Criciúma: UNESC. 2012;75p. http://repositorio.unesc.net/handle/1/1983

Papalia D, Olds S, Feldman R. Desenvolvimento cognitivo nos três primeiros anos. In: Papalia DE, Olds SW, Feldman RD. Desenvolvimento humano. São Paulo: Ed Artmed. 2006; p186-226.

Torquato JA, Lança AF, Pereira D, Carvalho FG, Silva RD. A aquisição da motricidade em crianças portadoras de Síndrome de Down que realizam fisioterapia ou praticam equoterapia. Fisioter em Mov 2013;26:515-25. http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-51502013000300005&lang=pt%0Ahttp://www.scielo.br/pdf/fm/v26n3/a05v26n3.pdf

Pedebos BM, Porto LB, Copetti F, Souza Balk R. Avaliação do controle postural e sua relação com o hemisfério acometido em pacientes com acidente vascular cerebral praticando equoterapia. Fisioter Bras 2014;15:22-8.

http://porteiras.s.unipampa.edu.br/gpfin/files/2014/06/artigo-4-Fisioterapia-Brasil-v15n1-Rodrigo-de-Souza-Balk.pdf

Lee C-W, Kim S-G, An B-W. The effects of horseback riding on body mass index and gait in obese women. J Phys Ther Sci 2015;27:1169-71. http://dx.doi.org/10.1589/jpts.27.1169

Janura M, Peham C, Dvorakova T, Elfmark M. An assessment of the pressure distribution exerted by a rider on the back of a horse during hippotherapy. Hum Mov Sci 2009;28:387-93. http://dx.doi.org/10.1016/j.humov.2009.04.001

Publicado
2020-08-31
Como Citar
Cunha, A., Ajalla Guedes da Costa, F., Kochhann, C., Valle Nicolodi, G., & da Porciuncula Dias da Costa, L. (2020). O impacto da Equoterapia no desenvolvimento infantil - relato de caso. Revista Neurociências, 28, 1-15. https://doi.org/10.34024/rnc.2020.v28.10054
Seção
Relato de Caso

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##