O ESPÍRITO DO MEDO: ROMA E O ABSOLUTISMO

Autores

  • Adilton Luís Martins Universidade Federal de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.31669/herodoto.v1i1.39

Palavras-chave:

Montesquieu, República romana, Despotismo oriental, Império romano, Espírito das Leis.

Resumo

Este artigo apresenta a tese de que o filósofo iluminista Montesquieu produziu uma teoria histórica e política baseada na história de Roma. O foco principal deste texto está na associação entre a ideia de que o Império romano e o despotismo oriental são semelhantes. Para o filósofo, a corrupção destruiu o espírito da liberdade e da virtude da República romana e instaurou um império baseado no medo, que é o princípio do despotismo. A fonte principal de análise é a obra Espírito das Leis.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Adilton Luís Martins, Universidade Federal de São Paulo

Possui graduação em Filosofia pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas (2002), mestrado em História pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (2007) e doutorado, também em História, pela Universidade Estadual de Campinas (2012). Tem experiência na área de Filosofia e de História, com ênfase em Ensino de Filosofia e Epistemologia da História, atuando, principalmente ,nos seguintes temas: Ensino de Filosofia, História Antiga, História Moderna, Subjetividade, Usos do Passado. Foi pesquisador na Bibliothèque Nacionale de France (BNF-2003-2004).

Downloads

Como Citar

Martins, A. L. (2016). O ESPÍRITO DO MEDO: ROMA E O ABSOLUTISMO. Heródoto: Revista Do Grupo De Estudos E Pesquisas Sobre a Antiguidade Clássica E Suas Conexões Afro-asiáticas, 1(1), 165–194. https://doi.org/10.31669/herodoto.v1i1.39