Redes emergentes de distribuição cerâmica no Mediterrâneo antigo: as lucernas de terra sigillata da África Proconsular

  • Marcio Teixeira Bastos Universidade Estadual Paulista
Palavras-chave: Ciência das Redes, Arqueologia das Redes, Antiguidade Clássica, África Proconsular.

Resumo

O presente artigo examina o beneficio da utilização da Ciência das Redes,
do pensamento sobre redes, e das metodologias e técnicas analíticas aplicadas
ao estudo da Arqueologia e História Antiga, com especial foco para a
economia romana, produção de cerâmica, e a representatividade étnico-religiosa
na materialidade. As recentes aplicações das técnicas e análises de
redes em Antiguidade Clássica e Arqueologia, demonstram que existe uma
variedade de abordagens que permite reconhecer padrões e pensar sobre
os fenômenos (humanos e não-humanos) como produtos dos processos em
rede. A conectividade provincial é um dos aspectos mais debatidos em economia
romana e tem o potencial de permitir abordagens de grupos (clusters),
nesse caso religiosos, através de suas materialidades em redes de contato
e consumo, com extroversões na macro-economia romana. Os padrões
de consumo de cerâmica no interior e nas regiões costeiras da África Proconsular
demostraram ser muito diferentes. A tendência dominante de voltar-
se para as comunidades formadas e estruturadas em torno de identidades
nativas, especialmente aquelas assentadas nos principais centros
urbanos e áreas maiores, parece se estabelecer como um argumento sólido
para as negociações na economia do Império Romano. A África Proconsular
demonstra evidências que as oficinas cerâmicas através de suas áreas
produtores e redes emergentes, estabeleceram-se procurando tanto engajar-
se nos amplos negócios do Mediterrâneo Antigo, quanto atender tanto a
demanda religiosa de consumo.

Métricas

Carregando métricas...

Biografia do Autor

Marcio Teixeira Bastos, Universidade Estadual Paulista
Pós-Doutorado em Arqueologia na Stanford University (STANFORD-U.S.), ano letivo 2019-2020, convidado pelo Prof. Dr. Ian Hodder para o Archaeology Center, School of Humanities & Sciences. Pós-Doutorado em Cultura, Historiografia e Patrimônio pela UNESP (2018-atual). Pós-Doutorado em Arqueometria no MAE-USP (2017-atual). Doutor em Arqueologia pelo Museu de Arqueologia e Etnologia da Universidade de São Paulo (MAE-USP, ano letivo 2016) e Doutorado Co-tutela (PhD in Archaeology and Ancient Near Eastern Cultures) pela School of Jewish Studies, Institute of Archaeology da Tel Aviv University (TAU-IL), em Israel (ano letivo 2014-2019). Foi Overseas PhD Student do Department of Archaeology na Durham University (DUR-U.K.), Reino Unido (ano letivo 2013-2014). Mestrado em Arqueologia pelo MAE-USP, com período sanduíche na Tel Aviv University (ano letivo 2009-2010) e Graduação em História pela Fundação Universidade Federal do Rio Grande (FURG, 2005). É Pesquisador associado do Centro de Estudos Judaicos da Universidade de São Paulo (CEJ-USP), do Laboratório de Arqueologia Romana Provincial (LARP-MAE-USP) e do Núcleo de Estudos Antigos e Medievais (NEAM-UNESP). Tem experiência prática na área de Arqueologia, tanto no Brasil como no exterior, atuando principalmente nos seguintes temas: Arqueologia Romana, Arqueologia do Oriente Médio, Contatos no Mediterrâneo, Cerâmica Antiga, Redes de Comércio, Judaísmo e Diáspora Judaica no Norte da África, Judaísmo e Cristianismo em Israel. (Fonte: Currículo Lattes)
Publicado
2019-01-30
Como Citar
Bastos, M. T. (2019). Redes emergentes de distribuição cerâmica no Mediterrâneo antigo: as lucernas de terra sigillata da África Proconsular. Heródoto: Revista Do Grupo De Estudos E Pesquisas Sobre a Antiguidade Clássica E Suas Conexões Afro-asiáticas, 3(2), 105-131. https://doi.org/10.31669/herodoto.v3n2.12