A reciprocidade e o Egito Antigo

algumas ponderações sobre o substantivismo polanyiano, o Estado e o parentesco

Autores

  • Alexandre Galvão Carvalho Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia

DOI:

https://doi.org/10.34024/herodoto.2020.v5.11779

Palavras-chave:

Egito antigo, Karl Polanyi, Reciprocidade

Resumo

As teses de Polanyi sobre as formas de integração nas sociedades pré-capitalistas, reciprocidade e redistribuição, continuam sendo tema de debates na historiografia sobre as economias e sociedades do mundo antigo. O objetivo deste trabalho é investigar a reciprocidade antes e depois do advento do Estado Egípcio, procurando perceber suas permanências e modificações tanto na esfera doméstica quanto no setor público, levando em consideração a articulação das relações de parentesco com a lógica estatal e a natureza do Estado egípcio.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Alexandre Galvão Carvalho, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia

Possui graduação em História pela Universidade Federal Fluminense (1992), mestrado em História pela Universidade Federal Fluminense (1997) e doutorado em História pela Universidade Federal Fluminense (2007). Atualmente é professor pleno do Departamento de História da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia. Tem experiência na área de História, com ênfase em História Antiga e Medieval, atuando principalmente nos seguintes temas: economia antiga, historiografia do mundo antigo. Antiguidade Oriental, Reciprocidade

Publicado

2021-02-18

Como Citar

Carvalho, A. G. (2021). A reciprocidade e o Egito Antigo: algumas ponderações sobre o substantivismo polanyiano, o Estado e o parentesco. Heródoto: Revista Do Grupo De Estudos E Pesquisas Sobre a Antiguidade Clássica E Suas Conexões Afro-asiáticas, 5(1), 20–42. https://doi.org/10.34024/herodoto.2020.v5.11779