Uma morte muito exagerada: Robin G. Collingwood e a "romanização" da Bretanha romana

  • Renato Pinto Universidade Federal de Pernambuco
Palavras-chave: Robin G. Collingwood, Bretanha romana, romanização.

Resumo

Robin G. Collingwood é considerado o grande pesquisador dos estudos romano-bretões no período entreguerras. Suas contribuições neste campo, ainda que menos famosas do que seus trabalhos na Filosofia da História, lograram inserir a Bretanha Romana na história Britânica, e trouxeram, a reboque, uma abordagem interpretativa única que alinhavava conceitos filosóficos e históricos às suas pesquisas arqueológicas sobre o fenômeno da “Romanização” das províncias romanas. Sua crença na inevitabilidade do preconceito do estudioso ao se aproximar de seu objeto e na necessidade e possibilidade deste de recriar o passado em sua mente, no presente, rendeu-lhe uma espécie de renascença bibliográfica na produção arqueológica pós-processual. De alguma forma conectada a isso, sua concepção da “Romanização”, ainda que rígida, mostra-se indelével à crítica epistemológica do termo no pós-colonialismo britânico. O legado de Robin Collingwood costuma oscilar entre o reverencial e o ridículo, algo que só reforça a importância de tais movimentos tão longevos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Renato Pinto, Universidade Federal de Pernambuco
Possui título de Doutor em História Cultural pelo Instituto de Filosofia e Ciências Humanas (IFCH) da Universidade Estadual de Campinas (2011) e de Mestre em Arqueologia pelo Museu de Arqueologia e Etnologia (MAE) da Universidade de São Paulo (2003). Pós-doutor em Arqueologia pelo MAE-USP (2013). Professor Adjunto III de História Antiga - CFCH/UFPE. Foi bolsista da FAPESP durante o doutoramento. Atua, principalmente, nos seguintes temas: estudos sobre a Bretanha Romana, Roma Antiga, Imperialismo, Relações de Gênero, Sexualidade, Usos do Passado e Teoria da Arqueologia. Bacharel em História pela Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas (FFLCH) da Universidade de São Paulo. Participa do Grupo de Pesquisa Antiguidade e Modernidade: História Antiga e Usos do Passado, coordenação de Dr. Glaydson José da Silva e Dra. Renata Senna Garraffoni. Ano de formação: 2010, até o presente. CNPq: http://dgp.cnpq.br/buscaoperacional/detalhegrupo.jsp?grupo=0062705COY5FQ0. (Fonte: Currículo Lattes)
Publicado
2018-03-23
Como Citar
Pinto, R. (2018). Uma morte muito exagerada: Robin G. Collingwood e a "romanização" da Bretanha romana. Heródoto: Revista Do Grupo De Estudos E Pesquisas Sobre a Antiguidade Clássica E Suas Conexões Afro-asiáticas, 2(2), 522-543. https://doi.org/10.31669/herodoto.v2i2.296