A política por trás de um nome: considerações sobre terminologia, de arqueologia bíblica até arqueologia do Oriente Próximo

Autores

  • Gabriella Rodrigues

DOI:

https://doi.org/10.31669/herodoto.v2i2.294

Palavras-chave:

“Arqueologia Bíblica”, “Arqueologia da Palestina”, Arqueologia do Oriente Próximo, Terminologia, História da Ciência, Arqueologia e Política.

Resumo

Este artigo examina as tendências em terminologia para a prática arqueológica em Israel e na Palestina ao longo do tempo. A adoção de termos como “Arqueologia Bíblica” até a arqueologia de um período determinado numa região geográfica específica reflete não apenas o escopo da pesquisa, mas principalmente sua agenda política. Após uma apresentação dos termos mais comumente empregados na literatura, este texto discute como o nome da disciplina pode afetar a prática arqueológica no Oriente Próximo, ao mesmo tempo em que faz um apelo aos praticantes da disciplina que considerem a importância da discussão teórica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Gabriella Rodrigues

Arqueóloga e Historiadora. Doutora em Arqueologia da Palestina e Estudos Bíblicos pela Universidade de Heidelberg, com apoio do CNPq/DAAD. Estudo teorias e práticas arqueológicas, sempre buscando novas formas mais críticas e éticas de se fazer Arqueologia. Tenho interesse em estudos sobre o patrimônio e na aplicação da arqueologia digital em métodos de investigação e preservação do patrimônio cultural, especialmente na América do Sul e Oriente Médio. Também participo de escavações arqueológicas em Israel. (Fonte: Currículo Lattes)

Downloads

Publicado

2018-03-23

Como Citar

Rodrigues, G. (2018). A política por trás de um nome: considerações sobre terminologia, de arqueologia bíblica até arqueologia do Oriente Próximo. Heródoto: Revista Do Grupo De Estudos E Pesquisas Sobre a Antiguidade Clássica E Suas Conexões Afro-asiáticas, 2(2), 484–502. https://doi.org/10.31669/herodoto.v2i2.294