Cross and Roman legion: popular imaginary in the first century

  • Luiz Alexandre Solano Rossi Pontifical Catholic University of Paraná

Resumo

From the year 63 BCE the new imperial order arrives in Palestine. An empire desired by the gods and considered eternal as the gods themselves are. Nevertheless, the eternity of the Empire passes through instruments of violence against the peoples subjugated in the present. Thus, the cross and the Roman legion will become symbols in the social imaginary of the Palestine’s peasants. Imaginary that is constructed from images present in the daily routine. Crosses and soldiers were present in the Palestinian scenario to remind any peasants of their vulnerability and at the same time to reaffirm the perennity of an empire deified by force.

##plugins.generic.paperbuzz.metrics##

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Luiz Alexandre Solano Rossi, Pontifical Catholic University of Paraná
Possui graduação em Teologia - Seminário Teológico de Londrina (1988), mestrado em Teologia pelo Instituto Superior Evangélico de Estudos Teológicos - ISEDET (1996), doutorado em Ciências da Religião pela Universidade Metodista de São Paulo (1999) e pós-doutorado em História Antiga pela UNICAMP (2004 e em Teologia pelo Fuller Theological Seminary (2006). Pesquisador nos seguintes temas: profetismo, Jó, Teologia e sociedade de consumo, arqueologia da guerra e do exército no antigo Oriente Próximo, espiritualidade. Atualmente é professor-adjunto na Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC) no programa do Mestrado e Doutorado em Teologia. Professor visitante no Instituto de Filosofia e Teologia do Timor Leste. Membro do corpo editorial da Revista estudos Bíblicos, da revista Caminhos (PUCGO), da revista Pistis & Práxis (PUCPR); da Revista Reflexus (Faculdade Unida) e membro do conselho do Comentário Bíblico Latinoamericano. (Texto informado pelo autor)
Publicado
2018-03-23
Como Citar
Rossi, L. A. S. (2018). Cross and Roman legion: popular imaginary in the first century. Heródoto: Revista Do Grupo De Estudos E Pesquisas Sobre a Antiguidade Clássica E Suas Conexões Afro-asiáticas, 2(2), 419-431. https://doi.org/10.31669/herodoto.v2i2.288