Globalizando a Idade do Ferro mediterrânea

  • Tamar Hodos University of Bristol
Palavras-chave: Idade do Ferro Mediterrânea, globalização, colonização, hibridização, colonialismo, pós-colonialismo.

Resumo

A Idade do Ferro Mediterrânea (c. 1200-600 AEC) foi um dos seus períodos mais dinâmicos.  Embora não tenha sido a primeira era na qual seus habitantes trocaram bens, ideias, valores, costumes, práticas e tecnologias, a escala foi sem precedentes. Em grande parte, o período é caracterizado por assentamentos gregos e fenícios ao redor de todo o mar, facilitando uma comunicação frequente e ampla. O impacto a longo prazo foi a criação do primeiro período globalmente conectado do Mediterrâneo. Entretanto, uma era globalizada nem sempre foi a narrativa apresentada pelos estudiosos. O presente capítulo começa definindo globalização e avaliando oito tendências fundamentais que ocorrem na globalização contemporânea. Depois, ele esboça a Idade do Ferro Mediterrânea e a nossa história acadêmica na interpretação dos movimentos coloniais gregos e fenícios, de perspectivas colonialistas até pós-coloniais. Finalmente, ele explora como as teorias de globalização contemporâneas podem transformar a nossa compreensão desta época culturalmente complexa e socialmente vibrante.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando métricas...

Biografia do Autor

Tamar Hodos, University of Bristol

I am a world-leading expert in the archaeology of the Mediterranean's Iron Age, a period that extends between c.1100-c.600 BCE. My particular expertise lies in the impact of colonisation, and the construction and expression of social identities. I use postcolonial and globalisation theories to examine the interactions and influences between the various communities and cultures of the Mediterranean during this period of unprecedented connectivity. Unusually, my research spans the traditional disciplines of Near Eastern Archaeology and Classical Archaeology. My major recent publications on this topic include The Routledge Handbook of Archaeology and Globalization (Routledge 2017) and The Archaeology of the Mediterranean Iron Age (Cambridge University Press 2020)

In addition, I spearhead the Globalising Luxuries research project, a multi-strand collaboration with the British Museum that explores the role luxuries play in the social and economic relations in the late second and first millennia BCE wider Mediterranean. Using a variety of methodologies, our work is revealing how luxuries were created, circulated, and used as social indicators within a cross-cultural framework to transcend cultural differences between Mediterranean societies. Project activities include a major, international British Museum touring exhibition (Hong Kong: 2018; Spain: 2019-2020) and a series of analytical studies on organic luxuries including ostrich eggs and ivories

I have over twenty-five years of fieldwork experience in the eastern Mediterranean. This has been primarily in Turkey, where I am a recognised specialist in Iron Age ceramics.  From 2020, I am planning to commence new fieldwork in Israel at the site of Tel Dor in collaboration with colleagues from Universidade de São Paulo, Brazil.

Publicado
2019-12-12
Como Citar
Hodos, T. (2019). Globalizando a Idade do Ferro mediterrânea . Heródoto: Revista Do Grupo De Estudos E Pesquisas Sobre a Antiguidade Clássica E Suas Conexões Afro-asiáticas, 4(1), 45-73. https://doi.org/10.34024/herodoto.2019.v4.10087