Administração de Conflitos na Gestão Escolar Pública na Rede Municipal

Autores

  • Rosângela Caldas Severino Escola Municipal de Ensino Fundamental EMEF Humberto de Campos, da Prefeitura do Município de São Paulo – SP
  • Ailton Conde Jussani MBA Gestão Empresarial na Fundação Instituto de Administração - FIA

Resumo

Resumo: O conflito e ordem, são resultados da interação entre os seres humanos e, portanto, ocorrem em qualquer ambiente. Na educação básica, além da gestão das finanças e de recursos materiais, o diretor é também responsável pela gestão de pessoas, incluindo-se, neste contexto, a mediação e administração de problemas relacionais e conflitos entre os sujeitos escolares: professores, estudantes e família. O presente estudo tem por objetivo analisar soluções utilizadas na administração de conflitos na gestão escolar. Para isso, utilizou-se de pesquisa bibliográfica em artigos nacionais. Dentre as estratégias descritas, as mais comuns são a direção, a arbitragem, o julgamento, a mediação e a justiça restaurativa. Importante destacar que estudos mostram que os professores consideram que os conflitos mais frequentes e importantes se dão entre seus colegas e diretores, colocando em segundo lugar de importância os conflitos entre alunos. Na comunidade escolar diversos pontos não explícitos ou percebidos podem contribuir para o surgimento dos conflitos e a análise da literatura indica que os gestores que aprendem a trabalhar com diálogo permanente para resolução destes, por meio da exposição madura das ideias, têm mais oportunidades para discutir e assim implementar as melhores soluções. E isso promove um ambiente de cooperação, confiança e solidariedade. Desta forma, conclui-se que é necessário para o gestor compreender que os conflitos podem ser promotores do desenvolvimento e do processo democrático e participativo no ambiente escolar.

Palavras-chave: Gestão da Educação; Administração escolar; Resolução de conflitos; Educação Básica; Rede Municipalde Educação.

 

Abstract: Conflict and order are results of interaction between humans, so they occur in any environment. Considering basic education, in addition to the management of finances and material resources, the Principal is responsible for people management, including, mediation and administration of relational problems and conflicts among school actors: teachers, students and family. The present study aims to analyze solutions used in conflict resolution in daily school management. For this, bibliographic research was used consulting national articles. Among the strategies described, the most common are guidance, arbitration, judgment, mediation and restorative justice. It is important to emphasize that studies showed that teachers consider that the most frequent and important conflicts occur among their colleagues and principals, placing second place of importance the conflicts between students. In the school community, several points that are not explicit or perceived can contribute to the emergence of conflicts, and the analysis of the literature indicates that managers who learn to work with permanent dialogue to resolve conflicts through more mature expositions of ideas have more opportunities to discuss and so implement the best solutions. Furthermore, this fosters an atmosphere of cooperation, trust and solidarity. In this way, it is concluded that it is necessary for the manager to understand that conflicts can be promoters of development and democratic process and participatory in the school environment.

Keywords: Education Management; School administration; Conflict resolution; Basic education; Municipal Education Network

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BERG, E.A. (2012). Administração de conflitos: abordagens práticas para o dia a dia (1. ed.). Curitiba: Juruá.

BIAGGIO, A.M.B. (2006). Lawrence Kohlberg: ética da educação moral. São Paulo: Moderna.

CARITA, A. (2004). Conflito, justiça e cidadania.Aná. Psicológica [online], 22(1), 259-267. Recuperado em 10 setembro de 2015, dehttp://www.scielo.gpeari.mctes.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0870-82312004000100023&lng=pt&nrm=isso.

CHRISPINO, Á. (2007). Gestão do conflito escolar: da classificação dos conflitos aos modelos de mediação. Ensaio: aval. pol. públ. Educ., Rio de Janeiro, 15(54), pp. Recuperado em 8 agosto de 2015, de http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104.

LA TAILLE, Y.&JOEL J.M.R. de. (1992). Desenvolvimento do juízo moral e afetividade na teoria de Jean Piaget. In: Y. LA TAILLE; M. K. OLIVEIRA; H. DANTAS.Piaget, Vygotsky, Wallon: teorias psicogenéticas em discussão. São Paulo: Summus.

LA TAILLE, Y. (2003). Limites: três dimensões educacionais. São Paulo: Ática.

LEME, Maria Isabel da Silva. (2004). Resolução de conflitos interpessoais: interações entre cognição e afetividade na cultura. PsicolReflexCrit, v(3), 367-380. Recuperado em 13 setembro de 2015, de 79722004000300010&lng=en&nrm=isso.

MARCONI, M. de A.; LAKATOS, E. M. (2004). Metodologia do trabalho científico: procedimentos básicos, pesquisa bibliográfica, projeto e relatório, publicações e trabalhos científicos (6. ed. rev. e ampl.). São Paulo: Atlas.

MARTINEZ ZAMPA, D. (2005). Mediación educativa y resolucion de conflictos: modelos de implementacion.Buenos Aires: EdiconesNovedades Educativas.

MEIRELLES, C. (n.d.). Justiça Restaurativa como um método de resolução de conflitos. Recuperado em 18 agosto de 2015, dehttp://www.fde.sp.gov.br/PagesPublic/InternaSupervisao.aspx?contextmenu=mediacao.

MENIN, M.S.S. (2007). Escola e Educação Moral. In: MONTOYA, A. O. D. (org.) Psicologia e Educação: desafios e avanços. Campinas: Mercado das Letras.

MOORE, C.W. (1998). O processo de mediação: estratégias práticas para a resolução de conflitos (2. ed.). Porto Alegre: Artmed.

OLIVEIRA, M. G. P.; GOMES, C. A. (2004). Como os docentes vêem valores e violências escolares no ensino médio.RBPAE, Rio de Janeiro, 20(1), 45-70.

PIAGET, J. (1994). O juízo moral na criança. São Paulo: Summus.

PIAGET, J. (1998). Observações psicológicas sobre o self-government. In: PARRAT, S.; TRYPHON, A. (Orgs). Sobre a Pedagogia: textos inéditos. São Paulo: Casa do Psicólogo.

RAUPP, F.M.; BEUREN, I.M. (2004). Metodologia da pesquisa aplicável às ciências sociais. In: BEUREN, Ilse Maria (Org.). Como elaborar trabalhos monográficos emcontabilidade: teoria e prática. (2. ed.). São Paulo: Atlas.

SOUZA, A.P. de. (2007). Justiça e educação em Heliópolis e Guarulhos: parceria para a cidadania. São Paulo: Cecip.

TOGNETTA, L.R.P. (2009). A formação da personalidade ética: estratégias de trabalho com afetividade na escola. Campinas: Mercado das Letras.

VEZZULLA, J.C. (1998). Teoria e prática da mediação. Curitiba: IMAB.

Downloads

Publicado

2018-11-01

Como Citar

Severino, R. C., & Jussani, A. C. (2018). Administração de Conflitos na Gestão Escolar Pública na Rede Municipal. Revista Internacional De Debates Da Administração &Amp; Públicas - RIDAP, 3(1), 1–17. Recuperado de https://periodicos.unifesp.br/index.php/RIDAP/article/view/1285