Conectando saberes para Educação Ambiental: o caso do peixe Mero

Autores

  • Roberta Oliveira Marinho Universidade Federal do Pará
  • Gláucia Caroline Silva-Oliveira Universidade Federal do Pará

DOI:

https://doi.org/10.34024/revbea.2023.v18.15157

Palavras-chave:

Educação ambiental, percepção de estudantes, mero, Epinephelus itajara

Resumo

O peixe mero é uma espécie marinho-estuarina ameaçada de extinção que habita a zona costeira do Brasil. Há mais de duas décadas a espécie vem sendo alvo de diversas estratégias para conservar as suas populações. Considerando a abundância de desembarque pesqueiro e a apreciação da espécie no mercado consumidor na cidade de Bragança-Pará. O presente estudo buscou conhecer a percepção de estudantes do Ensino Fundamental e realizar atividades educativas durante um projeto de Educação Ambiental em uma escola pública. Dessa forma, buscou-se articular os diferentes saberes em uma proposta que promovesse a Educação Ambiental de forma crítica e sensível, diante dos contextos de vida apresentados.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BONACHELA, D.P.; MARTA, T. N. Educação Ambiental: um importante papel da família. Revista de Direito Público, v.5, n.3, p.236-253,2010.

BRASIL. Portaria nº 121, de 20 de setembro de 2002. Proíbe, nas águas jurisdicionais brasileiras, a captura do mero (Epinephelus itajara), por um período de cinco anos. Diário oficial da União, Brasília, DF, 23 set. 2002.

BRASIL. Portaria nº 42, de 19 de setembro de 2007. Prorroga, por um período de cinco anos, nas águas jurisdicionais brasileiras, a proibição da captura da espécie Epinephelus itajara. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 20 set. de 2007.

BRASIL. Portaria Interministerial MPA/MMA nº 13, de 2 de outubro de 2015. Proíbe, por um período de oito anos, a pesca direcionada, retenção a bordo e transbordo do mero (Epinephelus itajara). Diário Oficial da União, Brasília, DF, 6 out. de 2015.

CARVALHO, K.G. et. al. A importância da Educação Ambiental na escola. Anais da Jornada de ensino, pesquisa e extensão, 13, 2013. Recife: UFRPE. 2013. Disponível em: <http://www.eventosufrpe.com.br/2013/cd/resumos/R1259-1.pdf>. Acesso em: 29 nov. 2022.

CHIZZOTTI, A. Pesquisa em ciências humanas e sociais. 6ª ed. São Paulo-SP: Cortez. 2003.

FERNANDES, K. M., et al. Educação Ambiental com tinta ecológica para sensibilização sobre a conservação do solo. Revista Brasileira de Educação Ambiental, v.18, n.1, p.155-173, 2023.

FERREIRA, B.P.; MAIDA, M. Projeto Mero: apresentação de resultados preliminares. Boletim Técnico-Científico do CEPENE, v.3, n.1, p.204-213,1995.

FRANKHAM, R.; BALLOU, J.D.; BRISCOE, D. A. Fundamentos de genética da conservação. Ribeirão Preto-SP: Sociedade Brasileira de Genética, 2008.

GIGLIO, V.J. et al. Landings of goliath grouper, Epinephelus itajara, in Brazil: despite prohibited over ten years, fishing continues. Natureza e Conservação, v.12, n.2, p.118-123, 2014a.

GIGLIO, V.J. et al. Habitat use and abundance of goliath grouper Epinephelus itajara in Brazil: a participative survey. Neotropical Ichthyology, v.12, n.4, p.803-810, 2014b.

GIGLIO, V.J. et. al. Mapping goliath grouper aggregations in the southwestern Atlantic. Brazilian Journal of Oceanografy, v.64, n.4, p.417-429, 2016.

Goliath Grouper on French Reef Diving with Lucky Fish. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=LSpHtlpx4BU> Acesso em: 29 nov. 2022.

GIRARDI, G. Manguezais perdem 20% de sua área em 15 anos. O Estado de S. Paulo, 2017. Disponível em: <https://www.estadao.com.br/sustentabilidade/manguezais-perdem-20-de-sua-area-em-15-anos/>. Acesso em: 29 nov. 2022.

IUCN Red List of Threatened Species. Disponível em: <https://www.iucnredlist.org/>. Acesso em: 29 nov. 2022.

JACOBI, P. Educação Ambiental, cidadania e sustentabilidade. Cadernos de Pesquisa, n.118, p.189-205, 2003.

KOENIG, C.C. et al. Mangrove as essential nursery habitat for goliath grouper (Epinephelus itajara). Bulletin of Marine Science, v.80, n.3, p.567-586, 2007.

LARA, M.R. et al. Early life history stages of goliath grouper Epinephelus itajara (Pisces: Epinephelinae) from Tem Thousand Islands, Florida. Endangered Species Research, v 7, p.221-218, 2009.

MATOS, M.J.S. et al. Genetic material reveals illegal sale in northern Brazil: the case of the critically endangered species Epinephelus itajara. Conservation Genetics Resources, v.13, p.389-393, 2021.

MEDEIROS, A.B. et al. A importância da Educação Ambiental na escola nas séries iniciais. Revista Faculdade Belos Montes, v.4, n.1, p.1-17, 2011.

MOREIRA, M.A.; MASINI, E.S. Aprendizagem significativa: a teoria de. David Ausubel. São Paulo: Centauro, 2001.

PELICIONI, M.C.F. Educação Ambiental, qualidade de vida e sustentabilidade. Saúde e Sociedade, v.7, n.2, p.19-31,1998.

PEREIRA, L.J.G. et al. Análise multidisciplinar de uma pescaria proibida: estudo de caso da pesca do mero Epinephelus itajara (Lichtenstein, 1822) no litoral paraense, Amazônia oriental. Research, Society and Development, v.9, n.8, p. e944986338-e944986338, 2020.

PINHEIRO, C.P.S. et al. Educação Ambiental na E.E.E.F. Virgílio Libonati, Belém-PA: um relato de experiência. Revista Educação Ambiental em Ação, n.64, 2018.

PRIMACK, R.B.; RODRIGUES, E. Biologia da Conservação. Rio de Janeiro: Vozes, 2001.

ROOS, A. A biodiversidade e a extinção de espécies. Revista Eletrônica em Gestão, Educação e Tecnologia Ambiental, v.7, n.7, p.1494-1499, 2012.

SADOVY DE MITCHESON, Y.; COLIN, P.L. Reef fish spawning aggregations: biology, researchand management. Amsterdam: Springer, 2012.

SADOVY, I.; EKLUND, A.M. Synopsis of biological data on the Nassau grouper, Epinephelus striatus (Bloch, 1792), and the Jewfish, Epinephelus itajara (Lichtenstein, 1822).National Marine Fisheries Service, Seattle, 1999.

SANTOS, I.R. et al. Carbono "Azul" nos Manguezais Amazônicos: Conservação e Valoração Econômica. Revista Iberoamericana de Economía Ecológica, v.3, n.1, p.18-28, 2019.

SILVA-OLIVEIRA, G.C. Mero o Senhor das pedras. Belém, 2010.

SOUZA, A. A. et al. Percepção de estudantes do Sertão do Araripe Pernambucano sobre a caatinga. Revista Brasileira de Educação Ambiental, v.18, n.1, p.211-227, 2023.

Downloads

Publicado

01-12-2023

Como Citar

Marinho, R. O., & Silva-Oliveira, G. C. (2023). Conectando saberes para Educação Ambiental: o caso do peixe Mero. Revista Brasileira De Educação Ambiental (RevBEA), 18(7), 70–83. https://doi.org/10.34024/revbea.2023.v18.15157

Edição

Seção

Relatos de Experiências
Recebido: 2023-05-31
Aceito: 2023-09-26
Publicado: 2023-12-01