Educação Ambiental: uma análise geográfica do lixão a céu aberto na cidade de Itamarati (AM)

Autores

DOI:

https://doi.org/10.34024/revbea.2022.v17.12951

Palavras-chave:

Educação Ambiental, Resíduos sólidos, Cidade de Itamarati

Resumo

O artigo é um estudo que descreve os principais impactos socioambientais do lixão. Com uma abordagem qualitativa observacional e documental, tem como base os conhecimentos prévios do lugar e o objetivo de identificar os impactos socioambientais provenientes do descarte dos resíduos sólidos em lixões a céu aberto. Os resultados alcançados mostraram que a população itamaratiense, não se diferindo das demais cidades brasileiras, ainda faz o descarte em lixões a céu aberto próximo a área urbana, ficando perceptível que os resíduos quando não tratados e despejados podem causar sérios impactos ao meio ambiente e, consequentemente, à sociedade, a longo ou em curto prazo, dependendo de sua intensidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BOFF L. Saber cuidar, Ética do humano: compaixão pela terra. Petrópolis: Vozes; 1999.

CARVALHO, V.S. A Dimensão Sócio-Ambiental da Educação: Uma Introdução à Educação Ambiental. Interfaces entre Educação Ambiental e Educação a Distância. 2ed. Rio de Janeiro: WAK, 2013, v., p. 1-200.

CARVALHO, A. R; OLIVEIRA, M. V. C. Princípios Básicos do Saneamento do Meio. 10º edição. São Paulo-SP. Editora SENAC. 2010.

STOREY, C. Contextualizando a Educação Ambiental. 2007. (Desenvolvimento de material didático ou instrucional – Caderno de Estudo).

CORRÊA, R. L.; ROSENDAHL, Z. (Orgs.) Introdução a geografia cultural. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2003.

CONFERÊNCIA INTERGOVERNAMENTAL de Tbilisi, Geórgia, ex-União Soviética (URSS). Entre 14- 26 de outubro, 1977.

CLAVAL, P. A Geografia Cultural. 2 ed. Florianópolis: Editora da UFSC, 2001.

CHRISTOFOLETTI, A. Impactos no meio ambiente ocasionado pela urbanização do mundo tropical. In: SOUZA, M. A.; SANTOS, M; SCARLATO, F. C; ARROYO, M. O novo mapa do mundo Natureza e Sociedade de hoje: uma leitura geográfica. 3. Ed.

CRISTOFOLETTI, A. Modelagem de sistemas ambientais. São Paulo: Edgard Blucher, 1999.

FIGUEIREDO, P. J. M. A sociedade do lixo: os resíduos, a questão energética e a crise ambiental. 2ª ed. Piracicaba: UNIMEP, 1995.

LEFF, E. Saber Ambiental: Sustentabilidade, Racionalidade, Complexidade, Poder. Petropolis: RJ: Vozes, 2015

NASSER, A.C.A.; FUMAGALLI, M. A opressão da equivalência, as diferenças. p. 25-37. In: MARTINS, J.S. (Org.) Henri Lefebvre e o retorno à dialética. São Paulo: Hucitec, 1996.

MANO, E. B.; PACHECCO, E. B. A.V; BONELLI, C. M. C. Meio Ambiente Poluição e Reciclagem. São Paulo- SP, 2º edição. 2010.

NASCIMENTO, M. L. S.; MARQUES, A. L. P., NASCIMENTO, N. impactos ambientais: a importancia de seus estudos. Estudos Geográficos, Rio Claro, v.4, n.2, p.97 – 114 dezembro – 2006

NUNES, E. N.; SCACABAROSSI, H.; ARAÚJO, M. N. A Geografia dos resíduos sólidos urbanos ( RSU) na sede do Município de Caroebe-RR. Macapá, n. 8, p. 15-24, 2016.

PERAZZA, M. C. D. et al. Estudo analítico de metodologias de avaliação de impacto ambiental. São Paulo: CETESB, 1985. 12 p.

PEREIRA, L. A. Contextualizando a Educação Ambiental. 2007. (Desenvolvimento de material didático ou instrucional – Caderno de Estudo).

RODRIGUES, A. M. Produção e consumo do e no espaço: Problemática Ambiental Urbana. Editora Rucitec, 1998. 193 p.

RODRIGUES, A. M. Problemática Ambiental: Agenda Política, Espaço, território, classes sociais. Perspectiva Critica, nº 83-dezembro de 2005- p. 91 a 110. Boletim Paulista de Geografia Associação dos Geógrafos Brasileiros—AGB-SP.

SPOSITO, E. S. Redes e cidade. São Paulo: Editora UNESP, 2008.

SANTOS, M. Por uma Geografia Nova. São Paulo: Hucitec, 1986.

SANCHEZ, C. Contextualizando a Educação Ambiental. 2007. (Desenvolvimento de material didático ou instrucional – Caderno de Estudo).

STOREY, C. Representações sociais e meio ambiente: participação de um grupo de mulheres no planejamento de uma intervenção de Educação Ambental popular urbana e, Manaus (AM). Tese de doutorado, Programa de Pós-Graduação em Ecologoa e Recursos Naturais. São Carlos: UFSCar, 2003.

TRINDADE JR. Cidades e centralidades na Amazônia: dos diferentes ordenamentos territoriais ao processo de urbanização difusa. Cidades (Presidente Prudente), v. 12, p. 305-334, 2015.

VEYRET, Y. (org). Dicionário do meio ambiente. Editora Senac: São Paulo, 2012.

Downloads

Publicado

01-04-2022

Como Citar

Nascimento, W. de P., Rodrigues, E. A., Billacres, M. A. R., & Rabelo, F. D. B. (2022). Educação Ambiental: uma análise geográfica do lixão a céu aberto na cidade de Itamarati (AM): . Revista Brasileira De Educação Ambiental (RevBEA), 17(2), 133–152. https://doi.org/10.34024/revbea.2022.v17.12951

Edição

Seção

Artigos
Recebido: 2021-11-18
Aceito: 2022-01-27
Publicado: 2022-04-01

Artigos Semelhantes

<< < 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.