Educação Ambiental e nutricional através da horta escolar em escola pública de São Bernardo do Campo (SP)

Autores

  • Michel Anderson Breve Universidade Federal de São Paulo
  • Camila Kayssa Targino Dutra Universidade Federal do Rio Grande do Norte
  • Romário Oliveira de Sant'ana Universidade Federal do Rio Grande do Norte - UFRN
  • Amanda Almeida Gomes Dantas Universidade Federal do Rio Grande do Norte - UFRN https://orcid.org/0000-0002-7621-086X
  • Sueli Aparecida Moreira Universidade Federal do Rio Grande do Norte - UFRN http://orcid.org/0000-0002-0558-5808

DOI:

https://doi.org/10.34024/revbea.2021.v16.11101

Palavras-chave:

Educação Ambiental;, Agroecologia;, Educação Nutricional;, Horticultura.

Resumo

A horta escolar constitui espaço de ensino de educação nutricional e ambiental, aproximando a sala de aula aos processos da natureza. Então, programou-se uma horta orgânica (agroecológica) com o objetivo de contextualizar o ensino interdisciplinar durante a percepção sobre a origem dos alimentos. A pesquisa foi realizada por meio de observação participante em escola pública do município de São Bernardo do Campo, com alunos do 6º ano do ensino fundamental. A horta desempenhou um papel de suporte no processo de aprendizagem nas disciplinas de Geografia, História, Matemática e Ciências. O principal desafio encontrado foi implementar o projeto da horta ao currículo e incorporá-lo à rotina escolar.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Michel Anderson Breve, Universidade Federal de São Paulo

Bacharel em Geografia, Especialista em Educação Nutricional pela Universidade Federal de São Paulo/UNIFESP - Diadema/SP.

Camila Kayssa Targino Dutra, Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Possui graduação em Direito pela Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (2013), mestrado em Desenvolvimento e Meio Ambiente pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (2017). É pesquisadora voluntária PIBIC na área de Linguística e Literatura de Língua Inglesa, com ênfase em gênero, discurso e feminismo.

Romário Oliveira de Sant'ana, Universidade Federal do Rio Grande do Norte - UFRN

Nutricionista, Mestrando pelo Programa de Pós-graduação em Turismo da Universidade Federal do Rio Grande do Norte/UFRN, Natal/RN.

Amanda Almeida Gomes Dantas, Universidade Federal do Rio Grande do Norte - UFRN

Nutricionista com Mestrado em Saúde Coletiva pelo Programa PPGSacol (UFRN-FACISA).

Sueli Aparecida Moreira, Universidade Federal do Rio Grande do Norte - UFRN

Docente de Antropologia da Alimentação e Segurança Alimentar do Centro de Biociências - Universidade Federal do Rio Grande do Norte - UFRN, Programa de Pos graduação em Estudos Urbanos e Regionais - PPEUR -

Referências

ALIAGA, M.A.; SANTOS, S.M.C.; TRAD, L.A.B. Segurança alimentar e nutricional: significados construídos por líderes comunitários e moradores de um bairro popular de Salvador, Bahia, Brasil. Cad. de Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 36, n. 1, p. 1-15, jan. 2020.

ANVISA – AGENCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA. Agrotóxicos: ANVISA é contrária ao PL 6299/02. Brasília, ANVISA, 2018. Disponível em: <https://bit.ly/32doUln>. Acesso em 17 dez. 2019.

ANVISA – AGENCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA. Seminário Mercado de Agrotóxico e Regulação. Brasília, ANVISA/ UFPR, 2012.

BOFF, L. Ecologia: grito da Terra, grito dos pobres. São Paulo, Ática, 2012.

BOMBARDI, L.M. Geografia do Uso de Agrotóxicos no Brasil e Conexões com a União Europeia- São Paulo, FFLCH - USP, 2017. 296 p.

BRASIL. Lei nº 11.346, de 15 de setembro de 2006. Cria o Sistema Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional – SISAN com vistas em assegurar o direito humano à alimentação adequada e dá outras providências. Brasília, DF, 15 set. 2006.

BRASIL. Projeto de Lei Nº 6.299. Altera os arts 3º e 9º da lei nº 7.802, de 11 de julho de 1989, que dispõe sobre a pesquisa, a experimentação, a produção, a embalagem e rotulagem, o transporte, o armazenamento, a comercialização, a propaganda comercial, a utilização, a importação, a exportação, o destino final dos resíduos e embalagens, o registro, a classificação, o controle, a inspeção e a fiscalização de agrotóxicos, seus componentes e afins, e dá outras providências, e apensados. Brasília: Senado Federal, 2002.

BRASIL. Lei Nº 7.802, DE 11 DE Julho DE 1989. Brasília, Ministério da Agricultura - MAGR; Ministério do Interior - MINTER; Presidência da República, 1989. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/L7802.htm>. Acesso em: 17 dez. 2019.

CAPORAL, F.R.; COSTABEBER, J.A.; PAULUS, G. Agroecologia matriz disciplinar ou novo paradigma para o desenvolvimento rural sustentável. Paraná, IFPR, 2006.

CARNEIRO, F.F.; AUGUSTO, L.G.S, RIGOTTO, RM; FRIEDRICH, K; BÚRIGO, A.C. Dossiê ABRASCO: um alerta sobre os impactos dos agrotóxicos na saúde. Rio de Janeiro: EPSJV; São Paulo: Expressão Popular, 2015.

ENGELS, F. A origem da família, da propriedade privada e do Estado. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1985.

FAO - FOOD AND AGRICULTURAL ORGANIZATIONS. Database results [on-line]. FAOSTAT, 2013. Disponível em: <http://apps.fao.org>. Acesso em 25 set. 2019.

FNDE. Manual de apoio para atividades técnicas do nutricionista no âmbito do PNAE / Programa Nacional de Alimentação Escolar. Brasília: FNDE, 2018.

GALLAGHER, J. Cientistas ligam alimentos ultraprocessados a mortes prematuras. 2019. Disponível em: <https://www.bbc.com/portuguese/geral-48451985>. Acesso em: 17 dez. 2019.

HAMERSCHMIDT, I.; OLIVEIRA, S. Alimentação saudável e sustentabilidade ambiental nas escolas do Paraná. Curitiba, EMATER, 2014.

HERNANDES, R. Da escola para o mundo 6º e 7º anos: ensino fundamental, anos finais/Roberta Hernandes, Ricardo Gonçalves Barreto. São Paulo, Ática, 2018.

MADEIRA, C.G.; LIMA, C.V.; LIMA, D.V.; OLIVEIRA, P.C. Educação Ambiental: a agroecologia como instrumento de efetivação do pensamento ecológico. Pelotas: Editora da UFPel, 2012.

MAZZETTO, C.S. Monocultura e Conflitos Ambientais. Artigo para sítio digital Mapa dos Conflitos Ambientais de Minas Gerais. Brasil, Minas Gerais, FAFICH/UFMG, 2011.

MÉNDEZ, V. Ernesto; BACON, M. Christopher; COHEN, Roseann. Agroecology as a Transdisciplinary, Participatory and Action-Oriented Approach. 2013. v.1.

MINAYO, M. C. S. Trabalho de Campo: Contexto de Observação, Interação e descoberta”. In: M.C.S. MINAYO (Ed.), S.F., DESLANDES.; R. GOMES: Pesquisa Social: Teoria, Método e criatividade. Rio de Janeiro, Vozes, 2009.

MORIN, E. Os sete saberes necessários à educação do futuro. São Paulo/ Brasília: Cortez/UNESCO, 2000.

MORIN, E. A cabeça bem-feita: repensar a reforma, reformar o pensamento / Edgar Morin; tradução Eloá Jacobina. 8. ed. Rio de Janeiro, Bertrand Brasil, 2003.

OLIVEIRA, M. K. Vygotsky: aprendizado e desenvolvimento: um processo sóciohistórico. 4. ed. São Paulo, Scipione, 1997.

PRIMAVESI, A. Manejo ecológico do solo: a agricultura em regiões tropicais. São Paulo, Nobel, 1984. 541 p.

PTA/FASE – PROJETO TECNOLOGIAS ALTERNATIVAS/FEDERAÇAO DE ÓRGAOS PARA ASSISTENCIA SOCIAL E EDUCACIONAL. Memória do Projeto Tecnologias Alternativas 1983/1987. Rio de Janeiro, PTA/FASE, 1988.

REED, E. Sexo contra sexo ou classe contra classe. São Paulo: Versus, 1980.

SANTOS, A. S. R. O direito ambiental e a participação da sociedade. In: BEJAMIN, Antônio Herman V.; MILARÉ, E. (Coord.). Revista de Direito Ambiental. São Paulo, n. 3, v.1, 1997, p. 219.

SANTOS, K.L. et al. Perdas e desperdícios de alimentos: reflexões sobre o atual cenário brasileiro: reflexões sobre o atual cenário brasileiro. Brazilian Journal Of Food Technology, Campinas, v. 23, p. 1-12, mar. 2020.

SANTOS, M.; GLASS, V. Atlas do agronegócio. Fatos e números sobre as corporações que controlam o que comemos. Rio de Janeiro, Fundação Heinrich Böll, 2018.

SANTOS, M. A Natureza do Espaço: Técnica e Tempo, Razão e Emoção.. São Paulo, Edusp, 2006.

SANTOS, M. O Brasil: território e sociedade no inicio do séc. XXI. 14º ed. Rio de Janeiro, Record, 2010.

SINDAG – SINDICATO NACIONAL DAS INDÚSTRIAS DE DEFENSIVOS AGRÍCOLA. Vendas de defensivos agrícolas são recordes e vão a US$ 8,5 bi em 2011. São Paulo, Folha de São Paulo, 20 abr. 2012.

SIQUEIRA, R. História – 7ª serie. Niterói, Projeto Araribá, 2013.

VIGOTSKI, L.S; LURIA, A.R.; LEONTIEV, A.N. Linguagem, desenvolvimento e aprendizagem. São Paulo, Icone, 1998.

WEZEL, A.; SOLDAT, V. A quantitative and qualitative historical analysis of the scientic discipline of agroecology. International Journal of Agricultural Sustainability, v. 7, n. 1, p. 3-18, 2009.

ZIMMERMANN, C.L. Monocultura e transgenia: impactos ambientais e insegurança alimentar. Veredas do Direito. Belo Horizonte, v. 6, n. 12, p. 79-100, 2009

Downloads

Publicado

2021-08-01

Como Citar

Breve, M. A., Dutra, C. K. T., Sant’ana, R. . O. de, Dantas, A. A. G., & Moreira, S. A. (2021). Educação Ambiental e nutricional através da horta escolar em escola pública de São Bernardo do Campo (SP). Revista Brasileira De Educação Ambiental (RevBEA), 16(4), 475–496. https://doi.org/10.34024/revbea.2021.v16.11101

Edição

Seção

Artigos
Recebido em 2020-08-24
Aceito em 2021-07-14
Publicado em 2021-08-01

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)