Efeitos da Fisioterapia com Trampolim no Traumatismo Raquimedular:

Estudo de Caso

Autores

  • Eloísa Mombelli Citero Fisioterapeuta, Especialista em Fisioterapia Neurológica pela Umesp, São Paulo-SP, Brasil.
  • Eduardo Mário Mederdrut Fisioterapeuta, Especialista em Fisioterapia Esportiva, São Paulo-SP, Brasil.
  • Sissy Veloso Fontes Fisioterapeuta e Pesquisadora do Departamento de Neurologia e Neurocirurgia da Unifesp, Professora de Educação Física, Doutora em Ciências pela Unifesp e Coordenadora do Curso de Especialização em Teorias e Técnicas para Cuidados Integrativos da Unifesp, São Paulo-SP, Brasil.

DOI:

https://doi.org/10.34024/rnc.2012.v20.8287

Palavras-chave:

Traumatismos da Medula Espinal, Fisioterapia (Especialidade), Equilíbrio, Marcha, Tono Muscular

Resumo

Introdução. A lesão medular é uma desordem neurológica frequente, importante causa de morbidade e mortalidade e, que traz consequên­cias graves, às vezes irreversíveis, na vida dos indivíduos acometidos. O trampolim é um recurso fisioterapêutico que pode contribuir para a recuperação de pacientes com acometimento neurológico. Objeti­vo. Verificar os efeitos da intervenção fisioterapêutica (cinesioterapia) utilizando o trampolim no equilíbrio, na marcha, na flexibilidade arti­cular e no tono muscular de uma paciente com trauma raquimedular incompleto, nível C7-T1, imediatamente após o término do trata­mento e após seis meses sem intervenção. Método. Foi realizada ava­liação do equilíbrio (escala de Berg), marcha (escala de Tinetti), tono (escala de Ashworth) e flexibilidade (flexímetro) pré, pós-tratamento e, imediatamente seis meses depois do término do tratamento, sem intervenção. Resultados. Obteve-se melhora do equilíbrio e da mar­cha, houve interferência no tono muscular, na flexibilidade articular ora positiva, ora negativamente dependendo da articulação analisada, depois da intervenção e no follow up. Conclusão. cinesioterapia com trampolim melhorou o equilíbrio e a marcha e, modificou o tono e a flexibilidade articular, porém a manutenção desses efeitos após seis meses sem tratamento foi heterogenia em um caso de lesão medular traumática incompleta.

Métricas

Carregando Métricas ...

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Dawodu ST. Spinal cord injury: definition, epidemiology, pathophysiology. Rehab Sports Med Assoc: Emedicine J 2001;2:307-21.

Dumont RJ, Okonkwo DO, Verma S, Hurlbert RJ, Boulos PT, Ellegala DB, et al. Acute spinal cord injury, part I: Pathophysiologic Mechanisms. Clin Neuropharmacol 2001;24:254-64. http://dx.doi.org/10.1097/00002826200109000-00003 http://dx.doi.org/10.1097/00002826-200109000-00002

Marotta JT. Traumatismo Raquimedular. In: Rowland LP. Merrit Tratado de Neurologia. 9ª. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1997, p.350-4.

Masini M. Estimativa da incidência e prevalência de lesão medular no Brasil. J. Bras. Neurocirurg. 2001;12:97-100.

Mederdrut EM, Araújo MLM. Trampolim Terapêutico [apostilado]. São Paulo: Centro de Performance Humana; 2004, p.3-5.

Otsuka GH, Fontes SV, Mederdrut EM, Fukujima MM. Effects of physiotherapy using the therapeutic springboard in balance of in ataxic patient. Arq Neuropsiquiatr 2004;62(supl2):77.

Garcia T. Efeitos da cinesioterapia utilizando como recurso coadjuvante da cinesioterapia o trampolim terapêutico no equilíbrio, na flexibilidade, no tônus muscular e na marcha de um paciente com esclerose múltipla (Trabalho de Conclusão de Curso). São Bernardo do Campo: Umesp, 2004, 119p.

Consani T. Efeitos da cinesioterapia utilizando como recurso o trampolim terapêutico no equilíbrio e coordenação motora de paciente com paralisia cerebral (Trabalho de Conclusão de Curso). São Bernardo do Campo: Umesp, 2004, 62p.

Zanelli S. Efeitos da intervenção fisioterapêutica utilizando como recurso coadjuvante da cinesioterapia o trampolim terapêutico na flexibilidade articular, no equilíbrio, na marcha e na qualidade de vida de paciente com doença de Parkinson (Trabalho de Conclusão de Curso). São Bernardo do Campo: UMESP, 2004, 141p.

Krebs PW. Efeitos da cinesioterapia utilizando o recurso trampolim terapêutico no equilíbrio e na marcha de paciente com acidente vascular encefálico (Trabalho de Conclusão de Curso). São Bernardo do Campo: UMESP, 2004, 84p.

Barak A, Wexler ID, Efrati O, Bentur L, Augarten A, Mussaffi H, et al.Trampoline use as Physiotherapy for Cystic Fibrosis Patients. Pediatr Pulmonol 2005;39:70-3. http://dx.doi.org/10.1002/ppul.20133

Tiburcio TT. Revisão bibliográfica de instrumentos utilizados para avaliação do equilíbrio em indivíduos adultos, (Trabalho de Conclusão de Curso). São Bernardo do Campo: Umesp, 2004, 80p.

Berg KO, Maki BE, Williams JI, Holliday PJ, Wood-dauphinee SL. Clinical and laboratory measures of postural balance in an elderly population. Arch Phys Med Rehabil 1992;73:1073-82.

Berg KO, Wood-Dauphinee SL, Williams JI, Maki BE. Measuring Bce in the Elderly: Validation of an instrument. Can J Public Health 1992;83:7-11.

Tinetti B, Raiche M, Hebert R, Prince F, Corriveau H. Screening older adults at risk of falling with the Tinetti Balance Scale. Lancet 2000;356:1001-2. http://dx.doi.org/10.1016/S0140-6736(00)02695-7

Shumway-Cook A, Horak FB, Yardley L, Bronstein AM. Rehabilitation of Balance Disorders in the Patient with Vestibular Pathology. In: Bronstein AM, Brandt T, Woollacott MH. Clinical disorders of balance, posture and gait. London: Arnold; 1996, p.213-4.

Bohannon RW, Smith MB. Interrater Reliaability of a Modified Ashworth Scales of Muscles Spasticity. Phys Ther 1987;67:206-7.

Achour JA. Avaliando a flexibilidade: fleximeter. Londrina: Midiograf,. Manual de instruções, 1997, 79p.

Fontes SV, Alves MAF, Ottoboni C, Fukujima MM. Classificação dos procedimentos fisioterápicos. In: Fontes SV, Fukujima MM, Cardeal JO. Fisioterapia Neurofuncional: fundamentos para a prática. São Paulo: Atheneu, 2007, p.149-64.

Moreira MMF, Maudonnet OAQ. Equilíbrio: conceitos básicos e mecanismos visuais no controle do equilíbrio. Acta Awho 1998;17:66-9.

Ragnarsdottir M. The concept of balance. Physiother 1996;82:368-75. http://dx.doi.org/10.1016/S00319406(05)66484-X

Guyton AC, Hall JE. Tratado de Fisiologia Médica. 10ª. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2002, 973p.

Kisner C, Colby LA. Amplitude de movimento. In: Kisner C, Colby LA. Exercícios terapêuticos: fundamentos e técnicas. 4ª .ed. São Paulo: Manole, 2005, 841p.

Downloads

Publicado

2012-03-31

Como Citar

Citero, E. M., Mederdrut, E. M., & Fontes, S. V. (2012). Efeitos da Fisioterapia com Trampolim no Traumatismo Raquimedular:: Estudo de Caso. Revista Neurociências, 20(2), 222–232. https://doi.org/10.34024/rnc.2012.v20.8287

Edição

Seção

Relato de Caso

Artigos Semelhantes

<< < 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 3 4 5 > >>