https://periodicos.unifesp.br/index.php/herodoto/issue/feed Heródoto: Revista do Grupo de Estudos e Pesquisas sobre a Antiguidade Clássica e suas Conexões Afro-asiáticas 2019-11-06T18:05:26-03:00 Prof. Dr. Glaydson José da Silva (Editor) sglaydson@hotmail.com Open Journal Systems <div style="text-align: justify;"> <p>Heródoto originou-se do interesse de investigação de estudiosos do mundo clássico que o pensam a partir de suas conexões&nbsp;com os mundos africano e asiático conhecidos na Antiguidade. Desenvolveu-se em parceria com pesquisadores do mundo contemporâneo de História da África, da Arte Africana e da Ásia, que consideram o mundo antigo como&nbsp;presença posterior, determinada e reformulada pelas múltiplas visões de diferentes historicidades que lhe sucederam.&nbsp;</p> </div> https://periodicos.unifesp.br/index.php/herodoto/article/view/https%3A%2F%2Fperiodicos.unifesp.br%2Findex.php%2Fherodoto%2Farticle%2Fview%2F1252 Herodoto - V.03, N.02, dezembro de 2018 (PDF do número completo) 2019-11-06T18:05:06-03:00 Glaydson José da Silva sglaydson@hotmail.com 2019-01-30T15:48:06-02:00 Copyright (c) 2019 Heródoto - Revista do Grupo de Estudos e Pesquisas sobre a Antiguidade Clássica e suas Conexões Afro-asiáticas https://periodicos.unifesp.br/index.php/herodoto/article/view/1253 EXPEDIENTE/EXPEDIENT 2019-11-06T18:05:06-03:00 Glaydson José da Silva sglaydson@hotmail.com 2019-01-30T16:15:48-02:00 Copyright (c) 2019 Heródoto - Revista do Grupo de Estudos e Pesquisas sobre a Antiguidade Clássica e suas Conexões Afro-asiáticas https://periodicos.unifesp.br/index.php/herodoto/article/view/1200 Editorial 2019-11-06T18:05:26-03:00 Glaydson José da Silva sglaydson@hotmail.com Gilberto da Silva Francisco gisifran@gmail.com 2019-01-29T12:41:20-02:00 Copyright (c) 2019 Heródoto - Revista do Grupo de Estudos e Pesquisas sobre a Antiguidade Clássica e suas Conexões Afro-asiáticas https://periodicos.unifesp.br/index.php/herodoto/article/view/1202 Editors Note 2019-11-06T18:05:26-03:00 Glaydson José da Silva sglaydson@hotmail.com Gilberto da Silva Francisco gisifran@gmail.com 2019-01-29T13:32:21-02:00 Copyright (c) 2019 Heródoto - Revista do Grupo de Estudos e Pesquisas sobre a Antiguidade Clássica e suas Conexões Afro-asiáticas https://periodicos.unifesp.br/index.php/herodoto/article/view/1203 História Antiga na África e a África na História Antiga 2019-11-06T18:05:25-03:00 Luciano César Garcia Pinto lucianuscaesar@gmail.com Apresentação 2019-01-29T15:03:10-02:00 Copyright (c) 2019 Heródoto - Revista do Grupo de Estudos e Pesquisas sobre a Antiguidade Clássica e suas Conexões Afro-asiáticas https://periodicos.unifesp.br/index.php/herodoto/article/view/1204 Ancient History in Africa and Africa in Ancient History 2019-11-06T18:05:25-03:00 Luciano César Garcia Pinto lucianuscaesar@gmail.com Preface 2019-01-29T15:09:47-02:00 Copyright (c) 2019 Heródoto - Revista do Grupo de Estudos e Pesquisas sobre a Antiguidade Clássica e suas Conexões Afro-asiáticas https://periodicos.unifesp.br/index.php/herodoto/article/view/1205 O Mediterrâneo Antigo e o Norte da África 2019-11-06T18:05:24-03:00 Julio Cesar Magalhães de Oliveira jcmo@usp.br Maria Cristina Nicolau Kormikiari tanit@usp.br Maria Cristina Nicolau Kormikiari tanit@usp.br Entrevista 2019-01-29T15:33:27-02:00 Copyright (c) 2019 Heródoto - Revista do Grupo de Estudos e Pesquisas sobre a Antiguidade Clássica e suas Conexões Afro-asiáticas https://periodicos.unifesp.br/index.php/herodoto/article/view/1207 The Ancient Mediterranean and Northern Africa 2019-11-06T18:05:24-03:00 Julio Cesar Magalhães de Oliveira jcmo@usp.br Maria Cristina Nicolau Kormikiari tanit@usp.br Maria Cristina Nicolau Kormikiari tanit@usp.br Interview 2019-01-29T16:01:32-02:00 Copyright (c) 2019 Heródoto - Revista do Grupo de Estudos e Pesquisas sobre a Antiguidade Clássica e suas Conexões Afro-asiáticas https://periodicos.unifesp.br/index.php/herodoto/article/view/1210 Os conflitos sociais na África e suas resoluções 2019-11-06T18:05:23-03:00 Benjamin Diouf benjdiouf067@yahoo.fr <p>A África antiga passou por conflitos sociais, às vezes violentos, que fez os membros de uma mesma comunidade se levantarem uns contra os outros. Mas a cada vez, os atores sociais encontravam mecanismos de resolução para essas distorções. Podem esses mesmos mecanismos ter permanecido nos modos de resolução de nossos conflitos?</p> 2019-01-29T23:56:11-02:00 Copyright (c) 2019 Heródoto - Revista do Grupo de Estudos e Pesquisas sobre a Antiguidade Clássica e suas Conexões Afro-asiáticas https://periodicos.unifesp.br/index.php/herodoto/article/view/1216 Les conflits sociaux en Afrique ancienne et leurs résolutions 2019-11-06T18:05:23-03:00 Benjamin Diouf benjdiouf067@yahoo.fr <p>L’Afrique ancienne a vécu des conflits sociaux, parfois violents, qui ont dressé,<br />les uns contre les autres, les membres d’une même communauté. Mais, à<br />chaque fois, les acteurs sociaux ont trouvé des mécanismes de résolution de<br />ces distorsions. Existe- t- il une survivance de ceux-ci dans les modes de règlement<br />de nos conflits?</p> 2019-01-30T00:32:58-02:00 Copyright (c) 2019 Heródoto - Revista do Grupo de Estudos e Pesquisas sobre a Antiguidade Clássica e suas Conexões Afro-asiáticas https://periodicos.unifesp.br/index.php/herodoto/article/view/1218 Paideia e ascensão social na África romana: a biografia de Apuleio de Madaura (séc. II d. C) 2019-11-06T18:05:22-03:00 Belchior Monteiro Lima Neto belchior67@hotmail.com <p>Com o retorno dos estudos biográficos, verificado nas últimas décadas, abrem-<br />-se novas possibilidades de pesquisa no tocante à Antiguidade, demonstrando-<br />-nos a complexidade da ação dos indivíduos nas sociedades antigas. Dentro<br />desta perspectiva, como objeto de investigação, analisaremos a história de vida<br />de Apuleio de Madaura, com o intuito de perceber a importância da paideia greco-<br />romana como elemento fulcral no processo de inserção social das elites norte-<br />africanas na sociedade romana imperial. Em termos gerais, a biografia de<br />Apuleio pode ser compreendida como um caso modelo no seio das aristocracias<br />citadinas locais, oferecendo-nos uma amostra do modo como este grupo,<br />por meio da instrução na paideia, ascendia socialmente e se apropriava das novas<br />possibilidades abertas pelo advento do domínio romano na região.</p> 2019-01-30T08:28:34-02:00 Copyright (c) 2019 Heródoto - Revista do Grupo de Estudos e Pesquisas sobre a Antiguidade Clássica e suas Conexões Afro-asiáticas https://periodicos.unifesp.br/index.php/herodoto/article/view/1219 Paideia and social ascension in Roman Africa: the life of Apuleius from Madaura (2nd Century A.D.) 2019-11-06T18:05:22-03:00 Belchior Monteiro Lima Neto sglaydson@hotmail.com <p>The comeback of biographical studies in the last decades opens new possibilities<br />of research in what concerns Ancient History. That shows how complex<br />the action of individuals in ancient societies was. Within this perspective, our<br />investigation will focus on the life of Apuleius from Madauros, in order to<br />perceive the importance of Greek-Roman paideia as a fundamental element of<br />social insertion for North-African elites in Roman imperial society. In general<br />terms, the biography of Apuleius could be understood as a model case in the<br />heart of local urban aristocracies, offering us an example of the way in which<br />this group, through the instruction in paideia, experienced social ascension<br />and grasp the new possibilities opened by the advent of Roman domination<br />in that region.</p> 2019-01-30T08:42:41-02:00 Copyright (c) 2019 Heródoto - Revista do Grupo de Estudos e Pesquisas sobre a Antiguidade Clássica e suas Conexões Afro-asiáticas https://periodicos.unifesp.br/index.php/herodoto/article/view/1220 Redes emergentes de distribuição cerâmica no Mediterrâneo antigo: as lucernas de terra sigillata da África Proconsular 2019-11-06T18:05:21-03:00 Marcio Teixeira Bastos marcio_quisleu@yahoo.com.br <p>O presente artigo examina o beneficio da utilização da Ciência das Redes,<br />do pensamento sobre redes, e das metodologias e técnicas analíticas aplicadas<br />ao estudo da Arqueologia e História Antiga, com especial foco para a<br />economia romana, produção de cerâmica, e a representatividade étnico-religiosa<br />na materialidade. As recentes aplicações das técnicas e análises de<br />redes em Antiguidade Clássica e Arqueologia, demonstram que existe uma<br />variedade de abordagens que permite reconhecer padrões e pensar sobre<br />os fenômenos (humanos e não-humanos) como produtos dos processos em<br />rede. A conectividade provincial é um dos aspectos mais debatidos em economia<br />romana e tem o potencial de permitir abordagens de grupos (clusters),<br />nesse caso religiosos, através de suas materialidades em redes de contato<br />e consumo, com extroversões na macro-economia romana. Os padrões<br />de consumo de cerâmica no interior e nas regiões costeiras da África Proconsular<br />demostraram ser muito diferentes. A tendência dominante de voltar-<br />se para as comunidades formadas e estruturadas em torno de identidades<br />nativas, especialmente aquelas assentadas nos principais centros<br />urbanos e áreas maiores, parece se estabelecer como um argumento sólido<br />para as negociações na economia do Império Romano. A África Proconsular<br />demonstra evidências que as oficinas cerâmicas através de suas áreas<br />produtores e redes emergentes, estabeleceram-se procurando tanto engajar-<br />se nos amplos negócios do Mediterrâneo Antigo, quanto atender tanto a<br />demanda religiosa de consumo.</p> 2019-01-30T08:56:27-02:00 Copyright (c) 2019 Heródoto - Revista do Grupo de Estudos e Pesquisas sobre a Antiguidade Clássica e suas Conexões Afro-asiáticas https://periodicos.unifesp.br/index.php/herodoto/article/view/1221 Emerging distribution networks of Roman pottery in the Ancient Mediterranean: the sigillata clay lamps of Proconsular Africa 2019-11-06T18:05:21-03:00 Marcio Teixeira Bastos marcio_quisleu@yahoo.com.br <p>This paper surveys the use of Network Science, especially the role of Archaeological<br />Networks to the study of Archeology and Ancient History. Network<br />thinking and network science are valuable methodologies and analytical techniques<br />to apply to the study clay lamps in the framework of Roman economy.<br />The recent application of network analysis in Antiquity and Archaeology has<br />demonstrated that there are a variety of approaches to recognizing network<br />patterns or thinking about phenomena as products of networked processes.<br />Provincial connectivity is one of the most debated aspects of Roman economics,<br />and ceramic consumption patterns in the interior and coastal regions of<br />Africa Proconsularis have proven to be very different. The dominant tendency<br />to turn to the communities formed and structured around native identities,<br />especially those based in the major urban centers and larger areas, seems to<br />establish itself as an argument for the economy and exchanges of the Roman<br />Empire. This types of networks helped to spread ideas and religious symbols<br />through clay lamps. Africa Proconsular demonstrates evidence that the ceramic<br />workshops emerged as networks in order to established themselves seeking<br />to meet the Mediterranean demand and religious consumption.</p> 2019-01-30T09:15:17-02:00 Copyright (c) 2019 Heródoto - Revista do Grupo de Estudos e Pesquisas sobre a Antiguidade Clássica e suas Conexões Afro-asiáticas https://periodicos.unifesp.br/index.php/herodoto/article/view/1222 Lucumon e Mansa Waly: dois homens um destino 2019-11-06T18:05:20-03:00 Ibrahima Diouf idiouf414@gmail.com <p>Lucumon deixou Tarquínia por Roma a fim de aceder ao poder real exatamente<br />no início do exílio de Mansa Waly Gabu, também entre os sererês, onde<br />o esperava um trono. Lucumon foi o primeiro rei de origem estrangeira a<br />reinar em Roma, onde instalou a dinastia etrusca no poder, assim como Mansa<br />Waly, também primeiro soberano estrangeiro, introduziu a realeza entre os<br />sererês, onde reinou a dinastia dos Gelwaar.<br />Tanto um como outro, pode se impor, cada um em seu meio, graças a uma<br />estratégia sabiamente calculada. Além das boas relações com as populações<br />locais, cada um dos dois reis havia conseguido organizar casamentos entre<br />suas famílias e os autóctones, a fim de reforçar seu poder.</p> 2019-01-30T09:49:59-02:00 Copyright (c) 2019 Heródoto - Revista do Grupo de Estudos e Pesquisas sobre a Antiguidade Clássica e suas Conexões Afro-asiáticas https://periodicos.unifesp.br/index.php/herodoto/article/view/1223 Lucumon et Mansa Waly: deux hommes un destin 2019-11-06T18:05:20-03:00 Ibrahima Diouf idiouf414@gmail.com <p>Lucumon avait quitté Tarquinies pour Rome afin d’accéder au pouvoir royal<br />tout comme l’exil de Mansa Waly avait commencé au Gabou jusqu’en milieu<br />sérère où l’attendait un trône. Lucumon fut le premier roi d’origine étrangère<br />à régner à Rome où il installa la dynastie étrusque au pouvoir de même que<br />Mansa Waly, premier souverain étranger, avait introduit la royauté en milieu<br />sérère où régna la dynastie des Gelwaar.<br />L’un comme l’autre ont pu s’imposer, chacun dans son milieu, grâce à une<br />stratégie savamment calculée. En plus des bonnes relations avec les populations<br />locales, chacun des deux rois avait réussi à organiser des mariages entre<br />sa famille et les autochtones afin de renforcer son pouvoir.</p> 2019-01-30T09:59:12-02:00 Copyright (c) 2019 Heródoto - Revista do Grupo de Estudos e Pesquisas sobre a Antiguidade Clássica e suas Conexões Afro-asiáticas https://periodicos.unifesp.br/index.php/herodoto/article/view/1224 A África antiga no Ensino de História 2019-11-06T18:05:19-03:00 Raquel dos Santos Funari raquelsfunari@uol.com.br <p>O artigo trata da África Antiga no ensino de história no Brasil. Trata, ainda,<br />das maneiras como a África Antiga tem sido e pode ser retratada na educação,<br />para propor um retrato mais complexo, profundo e inspirador. Volta-se, em<br />seguida, para a presença humana na África, por meio de situações de aprendizagem.<br />O Egito destaca-se como parte da cultura africana. Conclui-se por<br />enfatizar o papel das aulas de História para reconhecer a presença africana<br />muito antes e para além do período moderno.</p> 2019-01-30T10:09:01-02:00 Copyright (c) 2019 Heródoto - Revista do Grupo de Estudos e Pesquisas sobre a Antiguidade Clássica e suas Conexões Afro-asiáticas https://periodicos.unifesp.br/index.php/herodoto/article/view/1229 Ancient Africa and the teaching of history 2019-11-06T18:05:18-03:00 Raquel dos Santos Funari raquelsfunari@uol.com.br <p>The paper deals with the subject of ancient Africa in teaching of history in<br />Brazil. It deals with the ways in which African Antiquity has been and can be<br />portrayed in education, to propose a more complex, profound and inspiring<br />picture. It turns to the antiquity of human presence in Africa, through learning<br />situations. Egypt shines as part of African culture. It concludes by stressing<br />the role of history classes for the recognition of African presence much<br />before and beyond the modern period.</p> 2019-01-30T10:15:58-02:00 Copyright (c) 2019 Heródoto - Revista do Grupo de Estudos e Pesquisas sobre a Antiguidade Clássica e suas Conexões Afro-asiáticas https://periodicos.unifesp.br/index.php/herodoto/article/view/1230 As figuras protetoras e seu efeito político. Reis e daimones: as marcas da custódia 2019-11-06T18:05:18-03:00 Maria Cecilia Colombani ceciliacolombani@hotmail.com <p>O objetivo deste artigo é analisar as figuras protetoras presentes na Teogonia e<br />em Os trabalhos e os dias. Delas, escolhemos a figura do rei, como garante da<br />ordem e da justiça emanada de Zeus, e os daimones, que são vigilantes invisíveis<br />dos homens. Para isso, utilizaremos os conceitos do Mesmo e do Outro,<br />encarnados em linhagens diurnas e noturnas, a fim de ressaltar as características<br />associadas a essas figuras – traduzidas, em nível textual, em adjetivos e<br />verbos específicos. Da mesma forma, veremos como elas influenciam no equilíbrio<br />político da cidade.</p> 2019-01-30T11:26:52-02:00 Copyright (c) 2019 Heródoto - Revista do Grupo de Estudos e Pesquisas sobre a Antiguidade Clássica e suas Conexões Afro-asiáticas https://periodicos.unifesp.br/index.php/herodoto/article/view/1231 Las figuras protectoras y su efecto político. Reys y damimones: las marcas de la custodia 2019-11-06T18:05:17-03:00 Maria Cecilia Colombani ceciliacolombani@hotmail.com <p>El objetivo de este artículo es analizar las figuras protectoras que se encuentran<br />presentes en Teogonía y Trabajos y días. De ellas hemos escogido al rey,<br />como garante del orden y la justicia emanada de Zeus, y a los daimones, vigilantes<br />invisibles de los hombres. Para ello utilizaremos los conceptos de lo<br />Mismo y lo Otro, encarnados en linajes diurnos y nocturnos, a fin de subrayar<br />las características asociadas a estas figuras que se traducen a nivel textual en<br />adjetivos y verbos específicos. Asimismo, veremos cómo afectan el equilibrio<br />político de la ciudad.</p> 2019-01-30T11:33:13-02:00 Copyright (c) 2019 Heródoto - Revista do Grupo de Estudos e Pesquisas sobre a Antiguidade Clássica e suas Conexões Afro-asiáticas https://periodicos.unifesp.br/index.php/herodoto/article/view/1232 A aculturação como modelo interpretativo: o estudo de caso da romanização 2019-11-06T18:05:16-03:00 Pedro Paulo Abreu Funari ppfunari@uol.com.br Renata Senna Garraffoni resenna93@gmail.com <p>O objetivo da conferência é discutir como a teoria pós-colonial permite o questionamento<br />das noções de identidade romana e da teoria de Romanização. A conferência<br />explora diferentes modelos teóricos e foca em dois tópicos relacionados:<br />inicialmente discutiremos como o modelo de aculturação promoveu uma explicação<br />homogênea e conservadora do passado romano para, em seguida, argumentar<br />que o estudo da diferença e da alteridade é um instrumento importante<br />para propor modelos mais heterogêneos do Império Romano.</p> 2019-01-30T11:41:48-02:00 Copyright (c) 2019 Heródoto - Revista do Grupo de Estudos e Pesquisas sobre a Antiguidade Clássica e suas Conexões Afro-asiáticas https://periodicos.unifesp.br/index.php/herodoto/article/view/1234 Discussing acculturation as an interpretative model: romanisation as a case-study 2019-11-06T18:05:13-03:00 Pedro Paulo Abreu Funari ppfunari@uol.com.br Renata Senna Garraffoni resenna93@gmail.com <p>The aim of this conference is to discuss how post-colonial approach can help<br />us to rethink Roman identity and the theory of Romanization. The conference<br />explores different theoretical models and focuses in two inter-related topics:<br />first we shall discuss how acculturation model promoted a more homogenous<br />and conservative understanding of the Roman past and then we shall argue<br />how diference and otherness can be an important tool to propose a more heterogeneous<br />approach to the Roman Empire.</p> 2019-01-30T12:17:25-02:00 Copyright (c) 2019 Heródoto - Revista do Grupo de Estudos e Pesquisas sobre a Antiguidade Clássica e suas Conexões Afro-asiáticas https://periodicos.unifesp.br/index.php/herodoto/article/view/1254 Uma carta de Kenneth Sisam para Ronald Syme e sua resposta: junho de 1939 2019-11-06T18:05:05-03:00 Gustavo A. Vivas García gusgarvi@gmail.com <p>O arquivo editorial de The Roman Revolution pode ser consultado na sede da<br />Oxford University Press. Lá se encontram interesantes documentos datados<br />de meados de junho de 1939, aproximadamente dois meses e meio antes da<br />publicação da famosa monografia escrita por Syme. Trata-se de uma carta<br />datilografada de keneth Sisam, alto funcionario da editora, dirigida a Ronald<br />Syme e datada de terça-feira, 13 de junho de 1939 e a resposta desta,<br />assinada e enviada no dia seguinte, quarta-feira, 14 de junho, a partir do<br />Trinity College. Este trabalho analisa em detalhe e extensivamente estas<br />duas cartas.</p> 2019-01-30T18:22:45-02:00 Copyright (c) 2019 Heródoto - Revista do Grupo de Estudos e Pesquisas sobre a Antiguidade Clássica e suas Conexões Afro-asiáticas https://periodicos.unifesp.br/index.php/herodoto/article/view/1236 Una carta de Kenneth Sisam a Ronald Syme y su respuesta: Junio de 1939 2019-11-06T18:05:13-03:00 Gustavo A. Vivas García sglaydson@hotmail.com <p>El archivo editorial de The Roman Revolution puede consultarse en la sede de<br />la Oxford University Press. Ahí se encuentran dos interesantes documentos<br />fechados a mediados de junio de 1939, aproximadamente dos meses y medio<br />antes de la publicación de la famosa monografía escrita por Syme. Se trata de<br />una carta mecanografiada de Kenneth Sisam, alto cargo de la editorial, dirigida<br />a Ronald Syme y fechada el martes 13 de junio de 1939 y la respuesta de<br />éste, autógrafa y enviada al día siguiente miércoles 14 de junio, desde el Trinity<br />College. Este trabajo analiza de manera pormenorizada y por extenso<br />estas dos cartas.</p> 2019-01-30T13:03:09-02:00 Copyright (c) 2019 Heródoto - Revista do Grupo de Estudos e Pesquisas sobre a Antiguidade Clássica e suas Conexões Afro-asiáticas https://periodicos.unifesp.br/index.php/herodoto/article/view/1237 O passado pré-islâmico em al-Andalus: a recepção da Antiguidade e a legitimação do poder omíada nos séculos VIII-X 2019-11-06T18:05:12-03:00 Jorge Elices Ocón jorge.elices.ocon@gmail.com <p>Tradicionalmente se considerou que as sociedades islâmicas não tiveram nenhum<br />tipo de interesse por conhecer ou preservar a Antiguidade. Minha contribuição<br />assinala a necessidade de reconsiderar este paradigma. Para isso, analiso um caso<br />particular, que foi o tema de minha tese de doutorado: a recepção da Antiguidade<br />sob o domínio muçulmano na Península Ibérica ou al-Andalus, durante os primeiros<br />séculos (VIII-X d.C.). Este artigo assinala que al-Andalus constitui um cenário<br />único para os estudos de recepção. Revela a existência de uma profunda e<br />inovadora reflexão sobre o passado, que abarca vários aspectos. Por um lado,<br />uma interpretação impressionante das estátuas clássicas, que deixam de serem<br />consideradas ídolos pagãos para serem vistas como talismãs e protetoras de uma<br />cidade ou comunidade. Por outro lado, a apropriação e reelaboração do passado<br />pelos cronistas árabes, com fins políticos e de legitimação.</p> 2019-01-30T13:17:23-02:00 Copyright (c) 2019 Heródoto - Revista do Grupo de Estudos e Pesquisas sobre a Antiguidade Clássica e suas Conexões Afro-asiáticas https://periodicos.unifesp.br/index.php/herodoto/article/view/1239 El pasado preislámico en al-Andalus: recepción de la Antigüedad y legitimación del poder omeya (ss. VIII-X) 2019-11-06T18:05:12-03:00 Jorge Elices Ocón jorge.elices.ocon@gmail.com <p>Tradicionalmente se ha considerado que las sociedades islámicas medievales<br />no tuvieron ningún tipo de interés por conocer o preservar la antigüedad. Mi<br />contribución señala la necesidad de reconsiderar este paradigma. Para ello<br />analizo un caso particular, que fue el tema de mi tesis doctoral: la recepción de<br />la antigüedad bajo dominio musulmán en la Península Ibérica o al-Andalus,<br />durante los primeros siglos (VIII-X d. C).<br />Este artículo señala que al-Andalus constituye un escenario único para los<br />estudios de recepción. Se pone de manifiesto la existencia de una profunda y<br />novedosa reflexión sobre el pasado, que abarca varios aspectos. Por un lado,<br />una llamativa reinterpretación de las estatuas clásicas, que pasan de ser consideradas<br />ídolos paganos a ser vistas como imágenes talismánicas y protectoras<br />de una ciudad o comunidad. Por otro lado, la apropiación y reelaboración<br />del pasado por los cronistas árabes, con fines políticos y de legitimación.</p> 2019-01-30T13:26:04-02:00 Copyright (c) 2019 Heródoto - Revista do Grupo de Estudos e Pesquisas sobre a Antiguidade Clássica e suas Conexões Afro-asiáticas https://periodicos.unifesp.br/index.php/herodoto/article/view/1240 Sobre arcos-íris e borboletas: os Clássicos, as Ciências Humanas e a África 2019-11-06T18:05:11-03:00 Michel Lambert lambert@ukzn.ac.za <p>O propósito do ensino de Ciências Humanas e, em particular, dos Clássicos,<br />em um contexto Africano pós-colonial, tem sido o tema de intensos debates<br />nas universidades Sul-Africanas e Africanas. Neste trabalho, eu contribuo<br />com esse debate ao considerar como a Universidade de Ibadan na Nigéria se<br />apropriou da tradição clássica em um contexto pós-colonial e quais classicistas<br />na África do Sul podem aprender com o exemplo de Ibadan. Uma breve<br />discussão sobre as complexas relações patrono-cliente, que sustentam a sobrevivência<br />de um forte Departamento de Estudos Clássicos em Ibadan, tem<br />a intenção de sugerir como a política cultural local, inextricavelmente ligada à<br />história da instituição e ao departamento, irá afetar a transformação do curriculum<br />das universidades africanas. Os Departamentos de Estudos Clássicos<br />nas universidades sul-africanas terão que negociar seus próprios caminhos<br />para a transformação, ao refletirem sobre por que os Estudos Clássicos deveriam<br />continuar a ser ensinados em seus contextos sul-africanos específicos.</p> 2019-01-30T13:46:55-02:00 Copyright (c) 2019 Heródoto - Revista do Grupo de Estudos e Pesquisas sobre a Antiguidade Clássica e suas Conexões Afro-asiáticas https://periodicos.unifesp.br/index.php/herodoto/article/view/1241 Colocando a África no mapa 2019-11-06T18:05:11-03:00 Jessie Maritz lucianuscaesar@gmail.com <p>Este artigo analisa a representação da África nas formas linear e visual, em<br />mapas, e como uma personificação. Ele dá um resumo geral das mudanças<br />nas formas dos mapas de Roma Antiga até o Renascimento com o novo conhecimento<br />da geografia mundial e a descoberta da imprensa; e da personificação<br />da África usando um cocar (ou adorno) de escalpo de elefante para o<br />mesmo período. Depois, analisa momentos do século XVI ao século XIX nos<br />quais personificações e mapas são usados em conjunto e se a personificação<br />mudou com o aumento do conhecimento geográfico do continente.</p> 2019-01-30T14:09:04-02:00 Copyright (c) 2019 Heródoto - Revista do Grupo de Estudos e Pesquisas sobre a Antiguidade Clássica e suas Conexões Afro-asiáticas https://periodicos.unifesp.br/index.php/herodoto/article/view/1242 Os negros na Antiguidade mediterrânea 2019-11-06T18:05:10-03:00 Léopold Sédar Senghor sglaydson@hotmail.com <p>Este texto é o mesmo da alocução pronunciada por Léopold Sédar Senghor<br />em 11 de maio de 1977, durante sua visita oficial ao Principado de Mônaco.<br />Ele retoma, expandindo suas reflexões ao conjunto mediterrâneo, seu discurso<br />de abertura do Congresso de Latim, no Dakar.</p> 2019-01-30T14:21:39-02:00 Copyright (c) 2019 Heródoto - Revista do Grupo de Estudos e Pesquisas sobre a Antiguidade Clássica e suas Conexões Afro-asiáticas https://periodicos.unifesp.br/index.php/herodoto/article/view/1243 GUTERRES, TIAGO DA COSTA. HERÓDOTO DE HALICARNASSO AUTORIA E ESCRITA DA HISTÓRIA. CURITIBA: PRISMAS, 2017. 176 P. ISBN: 978-85-5507-670-1. 2019-11-06T18:05:10-03:00 Denis Renan Correa ecnocaos@gmail.com 2019-01-30T14:31:30-02:00 Copyright (c) 2019 Heródoto - Revista do Grupo de Estudos e Pesquisas sobre a Antiguidade Clássica e suas Conexões Afro-asiáticas https://periodicos.unifesp.br/index.php/herodoto/article/view/1248 GUTERRES, TIAGO DA COSTA. HERÓDOTO DE HALICARNASSO AUTORIA E ESCRITA DA HISTÓRIA. CURITIBA: PRISMAS, 2017. 176 P. ISBN: 978-85-5507-670-1. 2019-11-06T18:05:08-03:00 Denis Renan Correa sglaydson@hotmail.com 2019-01-30T15:06:33-02:00 Copyright (c) 2019 Heródoto - Revista do Grupo de Estudos e Pesquisas sobre a Antiguidade Clássica e suas Conexões Afro-asiáticas https://periodicos.unifesp.br/index.php/herodoto/article/view/1246 BENOIT, HECTOR. A ODISSEIA DE PLATÃO: AS AVENTURAS E DESVENTURAS DA DIALÉTICA. SÃO PAULO: ANNABLUME, 2017. 564 P. ISBN 978-85-391-0872-5. 2019-11-06T18:05:09-03:00 Fernando Frota Dillenburg ffrotadillenburg@gmail.com 2019-01-30T14:48:24-02:00 Copyright (c) 2019 Heródoto - Revista do Grupo de Estudos e Pesquisas sobre a Antiguidade Clássica e suas Conexões Afro-asiáticas https://periodicos.unifesp.br/index.php/herodoto/article/view/1247 BENOIT, HECTOR. A ODISSEIA DE PLATÃO: AS AVENTURAS E DESVENTURAS DA DIALÉTICA. SÃO PAULO: ANNABLUME, 2017. 564 P. ISBN 978-85-391-0872-5. 2019-11-06T18:05:08-03:00 Fernando Frota Dillenburg ffrotadillenburg@gmail.com 2019-01-30T14:55:32-02:00 Copyright (c) 2019 Heródoto - Revista do Grupo de Estudos e Pesquisas sobre a Antiguidade Clássica e suas Conexões Afro-asiáticas https://periodicos.unifesp.br/index.php/herodoto/article/view/1250 MUGNAI, NICCOLO; NIKOLAUS, JULIA; RAY, NICHOLAS. DE AFRICA ROMAQUE: MERGING CULTURES ACROSS NORTH AFRICA. LEICESTER: THE SOCIETY FOR LIBYAN STUDIES, 2016. 2019-11-06T18:05:07-03:00 Luiz Alberto das Neves Marchiori luiz.alberto.marchiori@gmail.com . 2019-01-30T15:14:13-02:00 Copyright (c) 2019 Heródoto - Revista do Grupo de Estudos e Pesquisas sobre a Antiguidade Clássica e suas Conexões Afro-asiáticas https://periodicos.unifesp.br/index.php/herodoto/article/view/1251 MUGNAI, NICCOLO; NIKOLAUS, JULIA; RAY, NICHOLAS. DE AFRICA ROMAQUE: MERGING CULTURES ACROSS NORTH AFRICA. LEICESTER: THE SOCIETY FOR LIBYAN STUDIES, 2016. 2019-11-06T18:05:07-03:00 Luis Alberto das Neves Marchiori luiz.alberto.marchiori@gmail.com 2019-01-30T15:22:30-02:00 Copyright (c) 2019 Heródoto - Revista do Grupo de Estudos e Pesquisas sobre a Antiguidade Clássica e suas Conexões Afro-asiáticas