COMUNISMO, NACIONALISMO E POLÍTICA NA DIÁSPORA:

OS ARMÊNIOS EM SÃO PAULO (1930-1964)

  • Heitor de Andrade Carvalho Loureiro Graduado em História pela Universidade Federal de Juiz de Fora-MG, mestrando em História Social pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
Palavras-chave: Comunismo, Armênios, DEOPS/SP

Resumo

O presente artigo tem por finalidade compreender melhor o que foi o comunismo da coletividade armênia em São Paulo entre os anos de 1930 e 1964 e também, como a repressão do DEOPS/SP agia sobre esse grupo.

Referências

BASTOS, Wilson de Lima (1988). Os Sírios em Juiz de Fora. Juiz de Fora: Paraibuna.

CAMPOLINA MARTINS, Antônio Henrique (1998). “Armênia, um povo em luta pela liberdade: o mais longo genocídio da história”. Dossiê – Direitos Humanos. In: Ética e Filosofia Política. Juiz de Fora: UFJF, v. 3, nº 1.

CARNEIRO, Maria Luiza Tucci. “O Estado Novo, o Dops e a ideologia da segurança nacional”. In: PANDOLFI, Dulce (org). Repensando o Estado Novo. Rio de Janeiro: FGV.

CARNEIRO, Maria Luiza Tucci & KOSSOY, Boris (2003). A Imprensa Confiscada pelo DEOPS. São Paulo: Ateliê Editorial. GRÜN, Roberto (1992). Negócios e Famílias: armênios em São Paulo. São Paulo: Sumaré.

HECKER, F. Alexandre (1989). Um Socialismo Possível: a atuação de Antonio Piccarolo em São Paulo. São Paulo: T. A. Queiroz Editor.

KECHICHIAN, Hagop (2000). Os Sobreviventes do Genocídio: imigração e integração armênia no Brasil – um estudo introdutório (das origens à 1950). São Paulo: Tese de doutoramento defendida no curso de pós-graduação em História Social da Universidade de São Paulo.

KERIMIAN, Nubar (1998). Massacres de Armênios. São Paulo: Comunidade da Igreja Apostólica Armênia, 2ª ed.

LOUREIRO, Heitor (2006). “Breve história dos primórdios da Igreja Apostólica Armênia”. In: Rhema. Juiz de Fora: ITASA, v. 13, nº 40.

_____ (2009). A Queda da Casa do Islã: o Genocídio Armênio (1915-1923) como práxis paradigmática no século XX. Juiz de Fora: Monografia de bacharelado em História pela UFJF.

MEDEIROS E ALBUQUERQUE, J. J. C. C (1982). Quando Eu Era Vivo. Rio de Janeiro: Record.

PEDROSO, Regina Célia (2005). Estado Autoritário e Ideologia Policial. São Paulo: Laboratório de Estudos sobre Intolerância/Humanitas/FAPESP.

SAPSEZIAN, Aharon (1988). História da Armênia: drama e esperança de uma nação. Rio de Janeiro: Paz e Terra.

SEYFERTH, Giralda (1999). “Os Imigrantes e a campanha de nacionalização do Estado Novo”. In: PANDOLFI, Dulce (org). op. cit.

TERNON, Yves (1996). Les Arméniens: histoire d’un génocide. Paris: Seuil.

TRUZZI, Oswaldo (2005). Sírios e Libaneses: narrativas de história e cultura. São Paulo: Companhia Editora Nacional.

VIANNA, Marly (2007). “O PCB, a ANL e as insurreições de novembro de 1935”. In: FERREIRA, Jorge. &

DELGADO, Lucília. O Brasil Republicano. Vol. 2. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2ª ed.

WIAZOVSKI, Taciana (2001). Bolchevismo e Judaísmo: a comunidade judaica sob o olhar do DEOPS. Módulo VI – Comunistas. São Paulo: Arquivo do Estado/Imprensa Oficial.

Publicado
2017-12-22
Como Citar
Loureiro, H. de A. C. (2017). COMUNISMO, NACIONALISMO E POLÍTICA NA DIÁSPORA:. Revista Hades, 1(1), 1-16. https://doi.org/10.34024/hades.2017.v1.7959
Seção
Artigos