OS PRIMEIROS A MORRER:

AS VANGUARDAS ARTÍSTICAS NO PERÍODO DA DITADURA MILITAR NO BRASIL

  • Rodrigo Medina Zagni
Palavras-chave: Arte, vanguarda artística, ditadura militar

Resumo

O presente estudo tem por objetivo verificar como as correntes artísticas responderam ao estabelecimento da ditadura militar no Brasil. Nosso objeto é a produção artística engajada do primeiro período de regime militar, de 1964 a 1968 (do golpe ao AI-5). É necessário determinar o nível de engajamento de diferentes grupos artísticos e como os suportes foram utilizados para esta finalidade crítica. É necessário ainda determinar como a mensagem vazada codificadamente – em função da perseguição empreendida pelos órgãos oficiais de censura – acabava sendo (ou não) decodificada por diferentes públicos, e quais grupos chegavam de fato a compreendê-la. Com isso pretendemos lançar luzes sobre a produção cultural, no maior âmbito que pudermos abarcar, circunscrita a um dos períodos chave na evolução política e na configuração cultural do Brasil contemporâneo.

Referências

BENJAMIN, Walter. Obras Escolhidas. São Paulo : Brasiliense, 1993.

BEZERRA DE MENEZES. Ulpiano Toledo. Fontes visuais, cultura visual, História visual: balanço provisório, propostas cautelares. Revista Brasileira de História, v. 23, no. 45, 2003.

BOAL, Augusto. “O que pensa você da arte de esquerda”. Folheto de apresentação da I Feira Paulista de Opinião, Teatro de Arena, São Paulo, 1968.

BOURDIEU, P. “Modos de produção e percepção artística”. A Economia das trocas simbólicas. São Paulo: Perspectiva, 1974.

BRAUDEL, Fernand. Écrits sur l'histoire. Paris: Flammarion, 1969 e História e Ciências Sociais. São Paulo: Editorial Presença, 1972.

BRITO, Antonio Carlos. Tropicalismo: Sua estética, sua história. São Paulo: Vozes, 1972.

BURKE, Peter (Org.). A escrita da História: Novas perspectivas. São Paulo: Unesp, 2002.

CANCLINI, Néstor Garcia. Culturas Híbridas: Estratégias para entrar e sair da modernidade. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 1997.

CARDOSO, Ciro Flamarion; BRIGNOLI, Héctor Pérez. Os métodos da História: Introdução aos problemas, métodos e técnicas da história demográfica, econômica e social. Rio de Janeiro: Graal, 1983.

__________; VAINFAS, Ronaldo. Domínios da História. Ensaios de teoria e metodologia. Rio de Janeiro: Campus, 1997.

História social da literatura e da arte. São Paulo: Martins Fontes, 2000.

GODINHO, Vitorino Magalhães. A História Social: Problemas, fontes e método.

Colóquio da Escola Normal Superior de Saint-Cloud (15-16 de Maio de 1965).

Lisboa: Edições Cosmos, 1967.

GULLAR, Ferreira. Vanguarda e subdesenvolvimento. Ensaios sobre Arte. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1984.

HUG, Alfons. “Contrabandistas de imagens”. 26a Bienal de São Paulo. Artistas convidados [invited artists]. São Paulo: Fundação Bienal, 2004.

JAMESON, Fredric. A cultura do dinheiro. Petrópolis: Vozes, 2001.

MACIEL, Luiz Carlos. Geração em Transe: Memórias do Tempo Tropicalismo. São Paulo: Nova Fronteira, s/d.

MARX, Karl. Trabalho assalariado e capital. Rio de Janeiro : Vitoria, 1954.

__________. O Capital. Rio de Janeiro : Zahar, 1969.

NAPOLITANO, Marcos. “A arte engajada e seus públicos (1955-1968)”. Estudos Históricos, Rio de Janeiro, n° 28, 2001.

NEIVA, Eduardo. “Imagem, história e semiótica”. Anais do Museu Paulista: História e Cultura Material. Nova série no. 1, 1993.

O controle ideológico na USP (1964-1978). São Paulo: ADUSP, 2004.

OITICICA, Hélio. “Situação da vanguarda no Brasil”. Seminário ‘Propostas 66’. Arte em Revista, CEAC nº 2, mar/ 1979.

PAIANO, Enor. Tropicalismo: Bananas ao Vento no Coração do Brasil. São Paulo: Editora Scipione, 1996.

SAMAIN, Etienne (org.). O fotográfico. São Paulo: Hucitec/CNPq, 1998.

SCHWARZ, Roberto. “Nota sobre vanguarda e conformismo e Cultura e Política: 1964-69”. O Pai de Família e outros estudos. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1978.

VELOSO, Caetano. Verdade tropical. São Paulo: Companhia das Letras, s/d.

Publicado
2017-12-22
Como Citar
Zagni, R. M. (2017). OS PRIMEIROS A MORRER:. Revista Hades, 1(1), 1-35. https://doi.org/10.34024/hades.2017.v1.7947
Seção
Artigos