Os primeiros contatos de Nietzsche com o pensamento asiático

  • Johann Figl Professor de Filosofia da Universidade de Viena (Instituto de Ciências da Religião)
Palavras-chave: cultura asiática, estudos orientais, budismo, pensamento indiano

Resumo

O presente ensaio conta levar a cabo um exame escrupuloso acerca dos primeiríssimos conhecimentos de Nietzsche – à época de seus estudos colegiais e universitários – sobre o pensamento asiático. Revelase, então, que não só o jovem Nietzsche possuía uma familiaridade abrangente com a cultural oriental, mas como tal fato é decisório quando se trata de interpretar seus primeiros escritos. A ser assim, torna-se nítido que a publicação integral do Nachlass (espólio) atinentes ao período de juventude do filósofo alemão é uma questão da ordem da necessidade. Segundo o autor, somente desta forma nós teremos condições de obter uma visão clara e satisfatória do conhecimento que Nietzsche possuía acerca das culturas não-européias.

Referências

BOHLEY, R. “Über die Landesschule zur Pforte: Materialen aus der Schulzeit Nietzsches”, in: Nietzsche-Studien 5. Berlim: Walter de Gruyter, 1976.

_______. Die Christlichkeit einer Schule: Schulpforta zur Schulzeit Nietzsches, 2 Vols. Naumburg, 1975.

FIGL, Johann, “Nietzsches Begegnung mit Schopenhauers Hauptwerk: Unter Heranziehung eines unveröffentlichten Exzerptes” in: Schopenhauer-Studien (3), 1990.

_______. “Die Buddhismus-Kenntnis des jungen Nietzsche: Unter Heranziehung einer unveröffentlichten Vorlesungnachschrift der Philosophiegeschichte” in: Das gold im Wachs, ed. E. Gössman/G. Zobel. Munique, 1988.

_______. “Nietzsche frühe Begegung mit dem Denken Indiens: Auf der Grundlage seiner unveröffentlichten Kollegnachschrift aus Philosophiegeschichte (1865)” in: Nietzsche-Studien (18), 1989.

Publicado
2019-03-06
Seção
Artigos Originais