Sobre a Metamorfoseabilidade da Experiência em Die Geburt der Tragödie de Nietzsche

  • Nuno Venturinha Doutorando da Universidade Nova de Lisboa. Bolsista da Fundação para a Ciência e a Tecnologia.
Palavras-chave: apolíneo, dionisíaco, epistemologia, metamorfose

Resumo

A proposta deste artigo é apresentar um problema fundamental do empreendimento nietzschiano. O primeiro livro de Nietzsche, O nascimento da tragédia, lança luz sobre a possibilidade de uma metamorfose empírica, que depende de uma intuição revolucionária da natureza humana. O elemento mais significativo da metamorfose da experiência em O nascimento da tragédia consiste no caráter complementar do apolíneodionisíaco. Essa questão é de fundamental importância para a filosofia do conhecimento – em sua relação intrínseca com a investigação antropológica. Assim, o artigo pretende delinear essa epistemologia problemática, que se radica numa ligação naturalizada com uma forma de ser questionável.

Referências

COLLI, G. Dopo Nietzsche. Milão: Adelphi, 1988.

_______. Scritti su Nietzsche. Milão: Adelphi, 1980. Edição portuguesa: Escritos sobre Nietzsche, Tradução e Prefácio de Maria Filomena Molder. Lisboa: Relógio D’Água, 2000.

DELEUZE, Gilles. Différence et repetition. Paris: PUF, Paris, 1968

_______. Logique du sens. Paris: Les Éditions de Minuit, 1997.

NIETZSCHE, F. Obras Escolhidas de Friedrich Nietzsche. Organizada e prefaciada por António Marques. Lisboa: Relógio D’Água, 1997-2000.

_______. Sämtliche Werke. Kritische Studienausgabe (KSA) in 15 Bänden, Herausgegeben von Giorgio Colli und Mazzino Montinari, Walter de Gruyter, Berlin/New York, Neuausgabe 1999.

Publicado
2019-03-06
Seção
Artigos Originais