Povos e Pátrias

Wagner e a política

  • Henry Burnett Doutor em Filosofia/Unicamp
Palavras-chave: arte, música, política, Wagner

Resumo

Este ensaio se constitui numa tentativa de interpretação das relações da música de Wagner com a política alemã, tais como Nietzsche as sugeriu na seção “povos e pátrias” de Para além de bem e mal

Referências

JANZ, Curt Paul. Friedrich Nietzsche. Biographie. Munique: C. Hanser Verlag, 1978.

MILLINGTON, Barry (org.). Wagner. Um compêndio. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 1995.

MÜLLER-LAUTER, Wolfgang. “Décadence artística enquanto décadence fisiológica (A propósito da crítica tardia de Friedrich Nietzsche a Richard Wagner)”. Tradução: Scarlett Marton. In: Cadernos Nietzsche (6). São Paulo: Discurso Editorial/USP, 1999.

______. A doutrina da vontade de poder em Nietzsche. Tradução: Oswaldo Giacoia Junior. São Paulo: Annablume, 1997.

NIETZSCHE, Friedrich. Kritische Studienausgabe. Herausgegeben von Giorgio Colli und Mazzino Montinari. München, DTV/Walter de Gruyter: Neuausgabe 1999.

______. Sämtliche Briefe. Kritische Studienausgabe. München/Berlim/New York: DTV/de Gruyter, 2. Auflage, 2003.

______. Além do bem e do mal. Tradução: Paulo César de Souza. São Paulo: Cia das Letras, 1993.

______. Ecce Homo. Tradução: Paulo César de Souza. São Paulo: Cia. das Letras, 1998.

______. Obras incompletas. Tradução: Rubens Rodrigues Torres Filho. São Paulo: Abril, 1974.

Publicado
2019-03-06
Seção
Artigos Originais