Nietzsche

esboços de um perspectivismo político

  • Miguel Angel Rossi Professor da Universidade de Buenos Aires (UBA).
Palavras-chave: perspectivismo, modernidade, política, estado, niilismo político

Resumo

O objetivo de nosso trabalho orienta-se em relação a dois eixos temáticos. O primeiro deles gira em torno da crítica encarada por Nietzsche com respeito ao Historicismo e, em contrapartida, a abertura a uma visão da História que acentua as noções de horizonte de sentido e hermenêutica. Disto provém a relevância do perspectivismo nietzschiano. O segundo eixo focaliza a crítica de Nietzsche ao Estado moderno e à democracia, aproximando-nos daquilo que, em nossos próprios termos, podemos denominar como a emergência do “niilismo político”. No que se refere a este ponto em particular, nos concentraremos fundamentalmente em sua obra Humano, demasiado humano, sobretudo por entendermos que na mesma encontram-se concentradas as chaves de seu pensamento político.

Referências

CASULLO, Nicolás; FORSTER, Ricardo; KAUFMAN, Alejandro. Itinerarios de la Modernidad, Ricardo Forster: “Nietzsche y el siglo XIX”, Oficina de publicaciones del CBC, Univ. de Buenos Aires, 1999.

CRAGNOLINI, Mónica. Nietzsche, camino y demora. Buenos Aires: Biblos, 2003.

FINK, Eugen. La filosofia de Nietzsche. Madrid: Alianza, 1979.

FOUCAULT, Michel. La verdad y las formas jurídicas. Gedisa, México, 1997.

MARESCA, Silvio. Actualidad de un inactual. Buenos Aires: UCES, s/d.6. NIETZSCHE, F. Humano, demasiado humano. Madrid: Akal, 1996.

_______. Aurora. Obras Completas. Tomo II. Trad. para o alemão de Pablo Simón. Buenos Aires: Pretigio, 1970.

NOLTE, Ernst. Nietzsche y el nietzschianismo. Madrid: Alianza, 1995.

STRAUSS, Leo; CROPSEY, Joseph (compiladores), Historia de la filosofia política. DANNHAUSER, Werner: “Nietzsche”. FCE, 1992.

Publicado
2019-03-06
Seção
Artigos Originais