Nietzsche e Sartre:

bárbaros da modernidade

  • Marcelo S. Norberto Doutorando em filosofia pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio) e professor convidado do curso de especialização em Filosofia Contemporânea (PUC-Rio/CCE).
Palavras-chave: cultura inautêntica, extemporaneidade, agir filosófico, espelho existencial

Resumo

Este ensaio pretende refletir sobre a peculiar relação entre Nietzsche e Sartre. Das acusações infames de Sartre sobre a pseudorelevância filosófica de Nietzsche aos pontos confluentes encontrados a partir da análise dos textos “David Strauss: sectário e escritor” e “O que é literatura?”, surge a possibilidade de uma nova compreensão desta afinidade existencial, para além dos aparatos conceituais de cada autor.

Referências

BEAUVOIR, S. A cerimônia do adeus - seguido de Entrevistas com Jean-Paul Sartre. Trad. Rita Braga. Rio de Janeiro: Editora Nova Fronteira. 1982.

BLANCHOT, M. A parte do fogo. Trad. Ana Maria Scherer. Rio de Janeiro: Editora Rocco. 1997.

DAIGLE, C. Le nihilisme est-il un humanisme? – Étude sur Nietzsche et Sartre. Québec: Les Presses de L’Université Laval. 2005.

__________ Sartre and Nietzsche: Brothers in arms. In: Sartre’s Second Century. O’Donohoe, Benedict and Elveten, Roy (org.). Newcatle: Cambridge Scholars Publishing. 2009.

LÉVY, B-H. O século de Sartre - inquérito filosófico. Trad. Jorge Bastos. Rio de Janeiro: Editora Nova Fronteira. 2001.

MARTON, S. Voltas e reviravoltas - acerca da recepção de Nietzsche na França. In: Nietzsche, um “francês” entre os franceses. São Paulo: Editora Barcarolla; Discurso Editorial. 2009.

MURICY, K. Benjamin e Nietzsche: considerações sobre o conceito de história e a crítica da cultura. In: Revista Síntese Nova Fase, v.20, n.63. Belo Horizonte. 1993.

NIETZSCHE, F. Werke: Kritische Gesamtausgabe (KGW). Organizada por Giorgio Colli e Mazzino Montinari. Berlin/New York: Walter de Gruyter & CO., 1968-1978.

_____________ Além do bem e do mal. Trad. Paulo César de Souza. São Paulo: Editora Companhia das letras. 2005.

_____________ I consideração intempestiva: David Strauss, sectário e escritor. Trad. Antônio Carlos Braga. São Paulo: Editora Escala. 2008.

____________ III Consideração intempestiva: Schopenhauer educador in Escritos sobre educação. 4ª Edição. Trad. Noéli Correia de Melo Sobrinho. Rio de Janeiro: Editora PUC-Rio; São Paulo, Editora Loyola. 2009.

RIDER, J. Nietzsche en France - De la fin du XIX siècle au temps présent. Paris: Presses Universitaires de France. 1999.

SARTRE, J-P. Apresentação da revista “Les Temps Modernes”. In: Situações II. Trad. Rui Mário Gonçalves. Lisboa: Publicações Europa-América. 1968.

___________ Carnet Midy. In: Écrits de Jeunesse. Contat, Michel et Rybalka, Michel (org.). Paris: Éditions Gallimard. 1990.

___________ O que é a literatura? Trad. Carlos Felipe Moisés. São Paulo: Editora Ática. 2004.

____________ O ser e o nada - ensaio de ontologia fenomenológica. Trad. Paulo Perdigão. Petrópolis: Editora Vozes. 2005. 17. ____________ Ida e volta. In: Situações I - críticas literárias. Trad. Cristina Prado. São Paulo: Editora CosacNaify. 2005.

Publicado
2019-03-06
Seção
Artigos Originais