O naturalismo de Nietzsche

  • Richard Schacht Professor Emérito da Universidade de Illinois, Urbana-Champaign, Estados Unidos.
Palavras-chave: ciências da natureza, formas de vida, história, naturalismo, sensibilidade

Resumo

Partindo da discussão de algumas versões recentes da relação entre Nietzsche e o naturalismo filosófico e científico, o artigo consiste em uma apresentação daqueles que, mais plausivelmente, podem ser tomados como os traços naturalistas do pensamento nietzschiano. Admitida a rejeição, pelo filósofo, da existência de qualquer realidade mais verdadeira do que a que constitui o mundo da nossa experiência, avança-se no sentido de considerar a emergência das sensibilidades e o desenvolvimento das formas de vida como aspectos centrais do naturalismo de Nietzsche — portanto, reconhecidamente incompatível com qualquer modo de pensamento cientificista.

Referências

JANAWAY, C. Beyond Selflessness. Oxford: Oxford University Press, 2007.

LEITER, B. Nietzsche on Morality. London: Routledge, 2002.

______. Nietzsche’s naturalism reconsidered. In: JAMES, K.; RICHARDSON, J. (orgs.). Oxford Handbook of Nietzsche. Oxford: Oxford University Press, 2009. (no prelo).

NIETZSCHE, F. Sämtliche Werke.Kritische Studienausgabe. Organizada por Giorgio Colli e Mazzino Montinari. München, Berlin/New York: Walter de Gruyter, 1980, 15 v.

______. Basic Writings of Nietzsche. Trad.: W. Kaufmann. New York: Modern Library, 2000.

SCHACHT, R. Nietzsche. London: Routledge & Kegan Paul, 1983.

______. Making sense of Nietzsche. Urbana and Chicago: University of Illinois Press, 1996.

Publicado
2019-03-06
Seção
Artigos Originais